Crítica Cinematográfica: ‘Mulher Maravilha’

Oi ooooi gente! Acabei de chegar do cinema, após uma sessão de Mulher Maravilha. Então, claro que, eu vim correndo contar o que eu achei da grande estréia da semana. E olha, quem dirá do ano! Vamos dar uma olhada no trailer, antes de começar a falar!

Assim como fiz na última crítica – que também foi de um filme de herói – vou começar falando da abertura. A DC investiu em uma nova abertura para seu DCU – Universo Cinematográfico da DC – e ela me deixou saudosa. Esta na vibe dos desenhos e me lembrou de quando eu via a Liga da Justiça antes de ir para a escola.

O filme começa na atualidade. Diana (Gal Gadot) em Paris, recebendo a foto que Bruce Wayne acha lá em Batman vs Superman. E é assim que vamos entender como ela no Mundo dos Homens. A história nos é contada através da lembrança dela.

A Diana criança é um docinho, dá vontade de morder até. E junto com ela, vendo os treinamentos das Amazonas e MEU DEUS!, essas cenas são sensacionais! Com certeza, merecem destaque durante o filme. Hipólita (Connie Nielsen), mãe de Diana e Rainha das Amazonas, é quem conta todo o surgimento das Amazonas e sua crença: de que Zeus deixou em seus cuidados a arma que irá matar deuses.

Durante um treinamento com Antiope (Robbie Wright) que Diana começa a ter um pouco de noção de seus poderes, quando seu Bracelete Indestrutível dispara um grande poder. Ao ver machucar sua treinadora, Diana se afasta e é assim que seu caminho cruza com Steve Trenor (Chris Pine) ao ver seu avião caindo no mar. Só que homens alemães estão a sua procura e encontram Themyscira, a Ilha Paraíso. E então, começam um ataque contra as Amazonas, com outra cena maravilhosa de luta. Preciso dizer que as coreografias das lutas de todo o filme é um show a parte. É o carro chefe, é o que chama atenção, é o que impressiona.

Então é assim que Diana fica sabendo sobre a Primeira Guerra Mundial e decide ir para Guerra atrás de Ares – sim, o Deus da Guerra -, matá-lo e por um fim em toda a violência. Só que existe todo um caminho para chegar lá, que rendem ótimos momentos durante a narrativa do filme. Só que a chegada real da Mulher Maravilha nos campos de guerra, no fronte de batalha é a hora que a gente vai gritar “É um Mulherão da P*rra” ou “É Maravilhosa Mexxxxxxxxmo”.

Toda a construção de Diana, desde sua inocência de quem viveu por anos apenas no meio de mulheres e sem conhecer de fato o mundo, até toda a sua força em defender a humanidade, é bem construída. Com o pano de fundo da Primeira Guerra, temos muitos confrontos de tirar o fôlego, com direito aquela trilha sonora de arrepiar, mas com vilões que não são bem apresentados e com embasamento apenas de Guerra. O grande plot twist é até um pouco óbvio pra quem já fica ligado nos “paranauês” dos filmes. Logo virei pro meu namorado e disse “vai acontecer isso e isso”.

Mas o filme não é sobre os vilões e suas derrotas. O filme é sobre o surgimento da Mulher Maravilha e isso nos é apresentado com maestria! É emocionante ver um filme de uma Heroína chegando as telonas, em um trabalho tão bem feito e apresentado! O filme vale cada segundo de hype. E não caí em frases piegas, tentando destacar o feminismo. Ele ta ali, presente, na imposição de Diana, mas sem cair em frases óbvias. Como já disse sobre as cenas de lutas, elas são incríveis. Claro que toda a cena final, contra o grande vilão é muito bem feita. Mas, se eu tiver que destacar uma, é uma do meio do filme, no campo de batalha, ao tentar recuperar um vilarejo! É a primeira aparição dela com o uniforme e desde a cena dela subindo a escada, até os slows nos golpes dela…. me arrepiou!

Gal Gadot é dona e proprietária do filme! Mesmo que tenha o personagens de Chris Pine e mais três companheiros ao seu redor, absolutamente NADA ofusca seu brilho. Ela vem calando a boca de cada pessoa que criticou sua contratação para o papel. Seja nas cenas onde usa os braceletes, escudo, espada, o Laço da Verdade, ou até nos voos – sim, fiquem aliviados, fizeram ela voar ❤ – … ela impõe verdade e certeza no que está fazendo.

O filme é o melhor do DCU – que começou com Homem de Aço – sem a menor dúvida. A diretora Patty Jenkins soube driblar todas as grandes críticas de BvS e Esquadrão Suicida. A paleta de cores é mais clara, a maioria das batalhas durante o dia e mesmo nas que são a noite, não torna tudo muito escuro.

Sem o menor medo, falo que Mulher Maravilha é o MELHOR FILME DO ANO, até o momento. E estou com uma leve pena dos três próximos filmes de Heróis que vem por aí. Eles tem uma grande concorrente para bater, principalmente Liga da Justiça, que trará a personagem de volta.

E ah, antes de terminar, já temos a confirmação do segundo filme e ele se passará em tempos atuais. Já to tentando imaginar o que virá pela frente.

Anúncios

18 comentários em “Crítica Cinematográfica: ‘Mulher Maravilha’

  1. Meu Deus, espero poder assistir o filme na segunda-feira, aproveitar que vou sair para a capital rsrsrs, não quero perder mais esse filme, ainda não assisti Batman vs Superman nem Esquadrão Suicida, não aguento perder mais filmes.
    Sua resenha só me deixou mais ansiosa para assistir.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Aiiiii. Veja Carol! Veja todos até. Eu gostei de BvS, ainda que muita gente fale mal. EE é legalzinho, mas fica devendo mt rs. Mas esse! Ai meu Deus. Surto total rs. Já quero voltar rs

      Curtir

      1. Ah cara, aqui no RJ pouquíssima sessões são legendadas. Eu vejo o dublado e depois pego o DVD. Não deixo de ver o filme por causa disso não :/

        Curtido por 1 pessoa

      2. Isso das vozes é verdade. Fora que tem umas que são tão marcantes, que a gente fica lembrando de outros personagens. Pelo menos comigo, é assim rs

        Curtir

  2. Olá Raíssa , confesso à você, que nunca fui muito ligada em filmes de super heróis.Mas fiquei curiosa em assistir , por sua resenha detalhada e super positiva.
    E também por enfim nos presentearem com UMA heroína.
    São tão poucas…

    Se der vou assistir! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ai, eu amo. Sempre quero ir ver todos. Mas isso é de família. Meu pais e minhas tias faziam coleção de HQs
      E ahhh, que bom que te despertou interesse 😍
      E simmmmm. Ser UMA HEROÍNA é total um ponto a parte.

      Curtir

    1. Acho que você vai esperar MUITO haha porque vai demorar, ainda mais tendo que passar na TV a cabo primeito. Se der, tenta assistir online, pelo menos. Vale a pena! Beijos.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s