A Hora do Chá ‘Fascínio da Nobreza – Lorraine Heath’

Oi ooooi gente! Hoje é dia do nosso chá semanal. E, não poderia estar mais feliz do que falar sobre o lançamento da minha deusa suprema dos romances de época, que é a Lorraine Heath. Fascínio da Nobreza foi lançado no meio de maio e eu já corri para essa leitura, o mais rápido que eu pude. Afinal, não só ela é de uma das minhas autora preferidas, como ele faz parte da uma das séries que eu mais amo, a Irmãos Trewlove. Esse é o quinto e penúltimo livro a ser lançado e, ai ai, já começo a sentir falta desses irmãos. Antes de falar mais alguma coisa, fiquem com a sinopse…

FANCY TREWLOVE sempre esteve determinada a cumprir o desejo de sua mãe de ver a filha casada com um nobre. Afinal, depois de todos os sacrifícios que a família fez por Fancy, era o mínimo que podiam esperar. Seu intelecto e sua formação a tornam a esposa perfeita para qualquer cavalheiro… desde que esteja disposto a ignorar sua origem escandalosa! Mas os planos da jovem são postos em xeque quando um plebeu misterioso começa a visitar sua livraria, e logo depois seus pensamentos, seus sonhos, seus planos para o futuro…
MATTHEW SOMMERSBY, o conde de Rosemont, está viúvo há um ano e vem sendo perseguido por praticamente todas as damas em idade de se casar. A última coisa que ele quer, porém, é uma nova esposa, ainda mais uma interessada apenas em seu título. Desesperado por um pouco de paz, ele foge de sua vida em meio à sociedade e acaba se tornando vizinho de uma certa livraria, cuja dona começa a lhe atrair mais do que qualquer título no catálogo.

Em Fascínio da Nobreza, teremos a caçula dos Trewlove assumindo o protagonismo da história e de sua própria vida. Assim como no livro anterior, vamos ter o exato momento em que a bolsa de Ettie Trewlove rompe e ela dá à luz a sua única filha biológica. E, mesmo que seu plano fosse ter o apoio de uma parteira, as coisas não funcionam muito bem. Só que ela tem o apoio daqueles que nunca vão desampará-la, seus filhos adotivos. Um querido grupo que foi deixado em sua porta e que ela amou e cuidou de todo coração. E ela, assim como Mick, Gillie, Aiden, Finn e Fera, fizeram a promessa que a pequena Fancy teria tudo o que eles não tiveram, boa educação, não passaria necessidade e debutaria na sociedade, casando com um nobre. Mal sabiam que o destino reservava a nobreza para vários deles.

Anos depois desse fato, a história nos apresenta o Conde de Rosemont. Ele está viúvo há um ano e estava vivendo o momento apropriado do luto, mas tudo muda quando uma carta de sua falecida esposa é publicada nos jornais. Onde ela fala o quanto ele é um homem dedicado e amoroso, além de que não espera que ele respeite o período após sua morte e que encontre logo um novo amor. Isso seria uma boa coisa, se não fosse o clima entre os dois. A verdade é que sim, ele foi totalmente cativado e apaixonado pela beleza de Elise e teria se casado de bom grado, se não fosse a armadilha que ela preparou para que o enlace acontecesse. Isso fez com que ele suspeitasse que toda mulher não pode ser confiável, afinal, até mesmo sua mãe e sua irmã usaram desse subterfúgio. Como não tem interesse de se casar nem tão cedo e não aguenta mais ter que receber as mães e debutantes da temporada, o nobre cavalheiro decide tirar um tempo da sociedade.

Na juventude, uma rapaz havia lhe dito que ela tinha um fetiche por livros. Por ser uma leitora ávida, Fancy sabia o significado da palavra e sabia que ele não estava a elogiando, então o acertara no nariz. O que ela tinha pelos livros era uma apreciação saudável por tudo o que ofereciam, uma admiração por quem os escrevera e uma gratidão por quem os publicara. 

Voltando a Fancy, ela agora está administrando sua própria livraria, e agora tem um novo cliente, Matthew Sommersby. Ele entra quando a loja já está fechada, mas ela nunca nega um livro a ninguém. Como uma apaixonada pelo mundo da literatura, ela quer que as pessoas sempre encontrem um mundo para o qual possam viajar. Os dois se reencontram quando a dama vai jantar no pub que pertence a sua irmã e os dois acabam tendo que dividir uma mesa e começam a conversar. Entre várias coisas, Fancy conta que em breve vai ser apresentada a sociedade e que irá se casar com um lorde, afinal, esse é o sonho de sua mãe e pelo o que seus irmãos tem batalhado a vida toda. Isso faz com que Matthew já fique desapontado e piora quando, do bolso do vestido dela, caí a carta que falecida Condessa de Rosemont escreveu.

O Conde de Rosemont, ou melhor Matthew, acredita que Fancy é só mais uma menina que faria armadilhas para se casar com um lorde, como é de seu desejo. E isso faz com que ele seja grosseiro com ela, quando a jovem faz um simples pedido, que é ajudar nas aulas de leitura para adultos, quando ela for apresentada para a sociedade. Ela nem imagina o porque desse comportamento, afinal, não sabe que ele é o lorde que deseja conhecer por causa de uma carta. E, vai ficar ainda mais confusa quando ele reaparecer, enquanto ela estiver prestes a embarcar em uma aventura, que não é bem apropriada para uma dama. Mas ela deseja ver como é um teatro marginal e, como ele não aceita a ideia dela ir sozinha, se oferece para ir junto.

– É uma coisa perigosa, srta. Trewlove, se apaixonar por um homem antes de conhecê-lo.

Esse momento que os dois tem, vai servir para fazer nascer uma amizade entre os eles. Enquanto ela vai se preparando para ir nos bailes e ser apresentada para a sociedade, ele vai ajudando nas aulas para adultos e estando por ali, sempre que ela precisa. Matthew vai, cada vez mais, percebendo que Fancy não é quem ele pensava, que ela é uma mulher muito especial e vai se apaixonando pela menina. Já ela, também vai ser apaixonando por aquele homem, mesmo que ele não seja aquilo que a sua família sempre sonhou para ela. Ambos tem encruzilhadas em seu caminho. Afinal, ele precisa encontrar um momento de dizer a verdade, que é o Conde de Rosemont, sendo assim, ela pode pode ter o lorde e o amor. Já ela, precisa saber se vai realizar o sonho da mãe e dos irmãos, se casando com um lorde, ou se vai se deixar levar pelo próprio coração e se entregar ao homem que ama, mas que não faz parte da nobreza.

Bom, parece que falei muito, não é? Mas, acreditem, Fancy e Matthew passam por muita coisa e são elas que vão deixar o livro mágico! Mas, como não posso mais falar sobre a trama, vamos falar sobre os personagens, começando com a minha doce Fancy Trewlove. Ela é uma menina incrível, verdadeiramente apaixonante. Ama muito ler e tem sua própria livraria, o que a deixa muito feliz e realizada. Tenta agradar a mãe e os irmãos, porque é grata por tudo o que eles fizeram e proporcionaram a ela. Também faz de tudo para ajudar pessoas menos afortunadas, lê para crianças, dá aula de leitura para adultos, compra livros que crianças levam para ela. O coração é do tamanho do mundo! E é justamente esse seu jeito que conquista Matthew. Eles criam um grande laço, fazendo coisas que uma dama desacompanhada não deveria, mas confia totalmente nele. Afinal, ele está ali por ela, até mesmo em momentos em que seu mundo desaba e ela descobre que muita coisa que sempre acreditou, era uma mentira. Inclusive, esse momento de descoberta dela, me fez querer colocar ela em um potinho e a proteger de tudo. Sua evolução no livro é linda, porque ela vai desde a menininha que deseja realizar o sonhos dos outros, para a mulher que quer guiar seus próprios sonhos e vontades.

Só que Matthew não queria que ela o quisesse por causa da carta, ou do título, ou por ele ter meios para colocá-la em um pedestal diante da sociedade. Queria ser desejado por quem ele era, sem toda a parafernália que vinha junto por ser quem era. 

Já Matthew… ai ai, vocês podem ouvir meus suspiros? Porque já vou começar dizendo, ele se tornou um dos meus lordes preferidos da vida. Mas, não quer dizer que ele é perfeito. Ele comete erros sim. Seja de julgamento, afinal, ele acredita que Fancy pode ser mais uma a fazer armadilha para se casar, seja por omitir quem ele é verdadeiramente. Só que, até mesmo isso, conseguimos entender. Sua vontade é que, com quem quer que ele se case no futuro, se apaixone por quem ele é e não pelo título que ele tem. E, é desse modo que ele vai conquistar o coração da srta. Trewlove. Entre longas e verdadeiras conversas, idas a teatro marginal ou a passeios de barcos, uma centelha vai nascendo entre eles. Beijos e toques vão acontecer, é claro, mas a troca entre eles vai muito além. Matthew quer fazer com que Fancy se sinta tão especial quanto merece, quer que, mesmo quando duvide de si mesma, ela entenda que é uma pessoa incrível e suas atitudes que fazem ela ser quem é. Pelo o que aconteceu com sua ex esposa, ele se tornou uma pessoa fechada e desconfiada, mas se apaixonar, vai fazer com que ele floresça. O problema é que, quando mais ele esconde quem é, mais dificuldade vai ter de contar a verdade.

Na turma dos secundários, fomos brindados com a presença de todos os irmãos Trewlove. E, Deus do céu, como eu amo essa família! Todos eles são muito unidos, super devotados a mãe deles, a ponto do Mick nomear uma rua em homenagem a Ettie, e agora, seu foco é cuidar de Fancy e fazer com que ela seja apresentada a sociedade e faça um bom casamento. Claro que, em alguns momentos, Mick, Aiden e Finn acabam metendo os pés pelas mãos, fazendo promessas para que lordes dancem com Fancy, mas rapidamente entendem porque isso magoa a irmã. Também temos os amores deles e todos estão empenhados em ajudar a facilitar a vida da mais nova. Já Ettie, cada livro que passa, entendo o amor que ela sente pelos filhos. Não importa se são do coração ou do ventre. Seu desejo é que Fancy tenha absolutamente tudo o que ela não teve, mas não só no quesito dinheiro, mas no amor e realização. Ai, essa família… tudo pra mim! Fancy também faz três amigas, que me surpreenderam, porque não a veem como uma competição ou tentam rebaixá-la por ser bastarda. Elas gostam verdadeiramente da menina, principalmente Lady Penelope, que a tem como inspiração.

– Agora eu sei que você é mais forte do que qualquer outra mulher que eu conheci. […] Você é verdadeiramente notável, e qualquer lorde teria muita sorte em tê-la como esposa.
Qualquer lorde, incluindo ele.

Eu não canso de expressar o meu grande amor pela Lorraine Heath, sua genialidade e escrita. Ainda não peguei um livro seu que não me deixe hipnotizada e completamente apaixonada. Posso até gostar mais de um ou outro, mas são todos maravilhosos. Sempre com uma trama envolvente, que nos mantém ansiosos por cada página, por cada acontecimento que está por vir. A vontade oscila entre devorar o livro inteiro e o mais rápido possível, mas também querer demorar, para poder ficar um pouco mais de tempo com os personagens que tanto me conquistaram. Por sinal, eles não são exemplos de perfeição, tem seus erros, acertos e centenas de camadas, que vamos descobrindo aos poucos. Carregado de partes mais dramáticas e outras mais engraçadas, ela não tem outro objetivo que não seja nos emocionar e nos deixar apaixonados. Sempre digo isso, mas quando acho que ela já me deu um livro favorito, sinto a risada dela e um “ainda não, queridinha”. Porque o próximo é sempre melhor que o anterior. Fascínio da Nobreza roubou o posto de favorito da série e já entrou no hall de favoritos da vida! Eu amo demais essa família que ela criou e os laços tão fortes que os ligam. Espero logo pelo último dos Trewlove, mas que a editora também nos traga mais e mais livros da Lorraine.

Falando sobre a diagramação da Harlequin, eu sou louca pelas capas. Assim como a trama em si, a capa desse também se tornou a minha preferida. Ela é tão… Fancy! Só que, ainda acho que eles poderiam numerar as lombadas ou até mesmo trazer o nome Série Irmãos Trewlove como um pequeno subtítulo. Por dentro, temos o padrão da editora. Os capítulos numerados, as folhas amareladas e o texto com espaçamento e letras confortáveis para a leitura.

Só ele era capaz de fazer seu coração e o corpo cantarem. Ele era um achado raro. Como os livros que ela mais amava, ele oferecia uma visão única de algo que não deveria ser subestimado. Era mais que amor. Era uma conexão profunda de almas que fazia tudo parecer certo e bom.

Fascínio da Nobreza tinha minha atenção desde que eu soube de sua existência e me deixou ansiosa por toda a pré-venda. Quando chegou e eu realizei a leitura, fiquei maravilhada. Não consigo usar outra palavra. Amei, me apaixonei, favoritei… Acho que já deixei isso claro, não é?! Haha. Não existe nota menor do que cinco Angélicas. E, me pego ansiosíssima pelo último, que trará o misterioso Fera como protagonista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s