Resenha ‘Lições Inesperadas Sobre o Amor – Lucy Dillon’

Oi ooooi gente! Hoje vim trazer a resenha de Lições Inesperados Sobre o Amor, livro de estreia em solo brasileiro, da autora Lucy Dillon. A Editora Arqueiro trouxe esse livro para dentro da Coleção Romances de Hoje, que conta com nomes como o de Jenny Colgan. Assim que essa fofura e delicadeza em forma de capa e descobri que ainda viria com o mais um pin, sabia que não poderia deixar passar a oportunidade. Então, antes de falar sobre o livro e o que achei dele, vamos a sinopse…

Jeannie sempre sonhou com uma grande paixão, e agora finalmente está vivendo um romance avassalador com Dan, um jovem veterinário. Depois de menos de um ano de namoro, ele a pede em casamento durante um fim de semana romântico em Nova York.
Os meses de noivado voam e de repente ela se vê no carro a caminho do casamento. Tudo parece perfeito e mágico demais para ser verdade. Mas ela não consegue afastar do peito a sensação sufocante de que está tomando a decisão errada.
Jeannie tem uma última chance de voltar atrás. Porém, quando decide agarrá-la, um golpe do destino joga tudo o que ela conhece pelos ares.
Com o futuro parecendo incerto e sombrio, Jeannie mergulha uma jornada de autodescoberta e constata que, para amar totalmente outra pessoa, primeiro precisamos aprender a ouvir nossos próprios desejos e necessidades.

Jeannie estava passando um final de semana prolongado em Nova York, junto com seu namorado Dan. Ele planejou toda a viagem como uma doce surpresa para ela, escolhendo todos os possíveis locais e passeios que a amada amaria fazer. Só isso, já seria a realização de um grande e romântico sonho. Mas, tudo ainda fica mais mágico quando ele, no meio da Ponte do Brooklyn, se ajoelha e a pede em casamento. Não havia outra resposta a dar a não ser… sim!

Os meses de planejamento se passam e o grande dia chega. Jeannie escolhe um vestido enorme, de princesa, mas que está tão apertado, que ela mal consegue respirar. Mas ela consegue pensar e começa a perceber que talvez esteja prestes a cometer um grande erro e isso fica ainda mais claro, quando seu pai começa a falar de seu relacionamento com a mãe dela. Então, ela decide contar a ele o que está passando em sua cabeça e decide ligar para Dan e contar que acha melhor ele não ir para o local da cerimônia, porque ela está em dúvidas. Entre ligação não atendida e um recado na secretária eletrônica, o padrinho do casamento, Owen, liga e dá uma chocante notícia, Dan foi atropelado por um ônibus e não está nada bem.

– […] A gente precisa estar presente nos momentos ruins e também nos bons. Esse é o teste verdadeiro do ser humano, e da relação, eu acho. Ficar. Eu só queria que as pessoas soubessem que as coisas se ajeitam. Nem sempre do modo como imaginávamos, mas, se nos amamos o bastante, de algum jeito dá tudo certo.

Com Dan no hospital, em coma, ela fica desesperada. Acredita piamente que tem culpa na situação, que era enquanto ouvia a sua mensagem que ele sofreu o atropelamento. Como percebe que ninguém além de seu pai sabe da história, ela decide manter tudo em segredo, até mesmo de sua mãe. Ela não tem coragem de falar algo nesse momento delicado, em que seu noivo corre riscos, o melhor amigo dele quer dar toda assistência a ela e sua sogra parece sem chão. Nos primeiros dias, ela não sai de perto do hospital, esperando e torcendo que Dan acorde logo. Mas quando isso não acontece, ela sabe que precisa ir para a casa nova dos dois.

Eles se mudaram para uma casa alugada do patrão de Dan, que é veterinário. Jeannie logo começa uma amizade com Rachel, a esposa de George. Se o marido é veterinário, a esposa é responsável por um centro de resgate de cães. E, eles estão recebendo vários filhotes, depois que eles acabaram com uma fazenda de criação ilegal. E isso, só serve para estreitar o laço entre as duas mulheres. Enquanto se reveza entre ir ao hospital acompanhar a recuperação de Dan e fazer o possível para ajudar, ela também ajuda Rachel com os lindos filhotinhos que estão por ali.

Ela havia testemunhado muito amor nas últimas semanas: amor na prática, de verdade; amor que suavizava a dor e a decepção e se estendia para carregar o ser amado sobre quaisquer obstáculos, chegando ao horizonte, sem nunca duvidar. Paciente, resignado, profundo, alentador e sempre em expansão.

Mas, não só de amor vive os bichinhos e como precisa de dinheiro para custear os procedimentos necessários, Rachel, junto com Jeannie e Natalie começam a pensar em uma forma de conseguir o valor. E então, nasce a ideia de venderem vestidos usados de casamento, contar suas histórias e podem fazer novas mulheres felizes. Serão muitas histórias. Umas engraçadas, outras emocionantes, mas todas com muito amor, que vai tocar todos aqueles que escutarem. Inclusive, Jeannie decide vender o seu. Não só porque nunca mais quer usar o vestido que estava machucando, mas pela terrível lembrança. Mas, claro que ela ainda precisa que Dan acorde. E, mais do que isso, se ele acordar, quais sequelas pode ter e se isso vai influenciar a decisão de continuar ou de se separar.

Sem falar mais da história, vamos aos personagens. Jeannie é uma mulher que sempre foi muito retraída durante a vida. Sempre mais quieta, deixava que sua ex melhor amiga tomasse a frente em muitas coisas, inclusive sobre a banda que elas tinham juntas, até que foi traída e abandonada pela Edith. Perdeu um pouco da paixão pela música, mas vai recuperar quando começar a dar aulas de ukulele para adolescentes da escola local. Ela estava decidida que não queria ficar com Dan, porque não sentia que o conhecia o suficiente e que não teriam o amor arrebatador que ela esperava, mas decide isso em um terrível momento. E, então, quando o acidente acontece, ela decide abdicar dessa decisão e ficar com ele, para ajudar na recuperação. Mas, a maior parte de seu tempo ela passa com Rachel e os cachorros. A ponto de adotar Lady Sadie e formarem um dupla e tanto. Com as histórias dos vestidos e sua própria vivência, ela vai aprender muitas coisas sobre o amor. Inclusive o próprio.

Você não precisa de um vestido de conto de fadas para fazer promessas que vai manter para sempre. Só precisa de uma pessoa que faça com que essas promessas pareçam tão naturais quanto respirar. Alguém que não queira viver sem você.

Jeannie é a estrela de sua própria história, mas temos alguns secundários muito apaixonantes. Sem dúvidas, começando com Rachel. Essa mulher tem um coração que não tem tamanho. Ama o marido George, seu filho Fergus e seu querido cachorro Gem. Se dedica muito aos cães resgatados e as empreitadas para cuidar de quantos forem possíveis. Se torna uma querida amiga para Jeannie e uma das únicas que sabem a verdade de seus sentimentos. E estará ali para tudo o que puder. George não aparece tanto, mas as partes em que ele fala, são muito emocionantes e podemos ver o quanto ele ama sua esposa, mesmo que as típicas brigas de um casal ocorra.

Temos também Owen, melhor amigo de Dan e padrinho do casamento que não aconteceu. Ele é super dedicado e cuidadoso, sempre tenta ajudar Jeannie e Andrea, mãe de Dan, o máximo que pode. Parece querer aliviar todo e qualquer peso que elas possam ter. Falando em Andrea, ela é uma pessoa desesperada, vendo seu único filho numa cama de hospital. Em vários momentos, apesar de me compadecer de sua situação e achar que ela agia muito por causa do efeito do choque, tive vontade de virar para ela e soltar um “amada, dá pra ser mais inconveniente?”. E, claro, não posso negar que os doguinhos roubam a cena. Como não ficar encantada pelos cães adultos e filhotinhos. Desejar dar e sentir todo o amor que os envolve?!

– Quer ir de uma vez, Gem? Ou está fazendo companhia para sua garota?
– Ele está cuidando da Sadie – observou Jeannie.
– Esse é meu Gem. Cuidando de todos nós.

Como disse lá no início, esse foi o livro de estreia de Lucy Dillon em solo brasileiro, sendo assim, meu primeiro contato com ela. E já quero mais. Ela tem um jeito muito suave de escrever, que faz com que a gente não sinta as páginas passando. Adoro como ela foi nos mostrando tantas facetas do amor, desde pelo animalzinho que nos acompanha, até pelo homem que pode – ou não – ser o amor de nossa vida. Ela usa as histórias dos vestidos de casamento que, honestamente, me perguntei se ela se baseou em fatos reais, de tão incríveis que eram. Além de falar sobre um tema super importante que é a exploração de cães para reprodução. Achei maravilhosa a forma que ela usou para poder conscientizar os leitores. Discordo de algumas atitudes que ela imputou a Jeannie e a Dan, mas me apaixonei pelo livro em geral. Sabe aquele livro leve, super gostoso e que faz a gente dar suspiros? Propício para quando queremos uma distração adorável ou sair de uma ressaca literária? É esse, sem a menor sombra de dúvidas. Sua narrativa é feita em terceira pessoa.

Quanto a diagramação, a Editora Arqueiro trouxe uma capa totalmente diferente da original, mas muito fofa. Gente, não tem como não se apaixonar só de ver! Ela trás um cão da raça collie, que é importante na história, porque é a raça de Gem e de Lady Sadie. E eu amo a mistura de verde e rosa que foi usada. Por dentro, o padrão da editora. Os capítulo começam com a numeração, as páginas são amarelas, com espaçamento e letras confortáveis para a leitura. Quem garantiu o exemplar em pré-venda, ainda recebeu o pin2 da coleção Pin Arqueiro 2021.

Acima de tudo, Jeannie aprendera que o amor – sem filtros, sem edições e sem garantia – não era como parece ser no Instagram. Que a hora certa o comprometimento, o humor, as piadas internas e a mais pura coincidência desempenhavam um papel importante no resultado final, independentemente das nossas melhores intenções. Mas que tinha que começar como um encaixe. 

Lições Inesperadas Sobre o Amor foi uma doce surpresa, que eu realmente não esperava gostar tanto. Uma história de aquecer o coração e fazer suspirar. O único motivo que me faz dar apenas quatro Angélicas é que eu acho que poderia trabalhar as dúvidas e o acidente de Dan de uma outra maneira, que não envolvesse abandono no pé do altar. Eu já fui uma noiva e isso era um dos meus pesadelos, então, é algo que me desagrada um tanto. Não me faz odiar a história, longe disso, porque fiquei encantada com essa fofura em forma de livro. Mas não me deixa dar nota máxima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s