A Hora do Chá: ‘A Mentira Sobre Amores e Herdeiras – Laura Lee Guhrke’

Oi gente!! Cada série que chega ao final dá uma dorzinha no coração, né? A Mentira Sobre Amores e Herdeiras chega para concluir a primeira série da autora Laura Lee Guhrke publicada no Brasil. Eu acompanho essa série desde a publicação do primeiro livro, A Verdade Sobre Amores e Duques, que por sinal foi o livro que abriu a nossa amada coluna A Hora do Chá lá em 2018. Olha a nostalgia batendo! Enfim, a série começou quando o Duque de Torquil viu o nome de sua família ser mencionado na coluna de conselhos amorosos de Lady Truelove e a partir daí fomos conhecendo a família Deverill. Agora chegou a vez de conhecer um pouco mais sobre o único Deverill que passou esse tempo todo sendo apenas citado: Jonathan, mas isso fica para depois de vocês lerem a sinopse…

“Cara Lady Truelove,
Minha protegida está me enlouquecendo. Preciso casá-la para me livrar dela o mais rápido possível. Só tem um problema… Quando Jonathan Deverill prometeu ao amigo moribundo que seria guardião de sua filha, ele estava esperando uma garota com trancinhas e uma boneca de pano a tiracolo, uma criança que poderia ser deixada na escola por mais alguns anos. Mas sua protegida é, na verdade, uma beldade crescida e rebelde, cujos sonhos por romance ameaçam fazer de sua tutela um inferno. A herdeira nova-iorquina Marjorie McGann quer uma temporada em Londres e um marido nobre que a ajude a gastar os milhões de dólares que o pai lhe deixou, e acredita que seu novo guardião, com seus valiosos contatos, é o homem perfeito para ajudá-la na empreitada. Porém, quando ele se mostra mais rigoroso que a mais severa das professoras, Marjorie decide tomar as rédeas da situação. Afinal, ela passou vinte anos esperando para ser livre, e vai encontrar o amor, de um jeito ou de outro.”

Jonathan Deverill é o irmão de Irene e Clara, protagonistas dos primeiros livros da série, que vive na América e que deveria ter voltado para ajudar as irmãs com o jornal, mas assim que prometeu que voltaria à Londres, ele e o amigo, Billy McGann, descobriram uma reserva de prata. A vontade de conquistar algo por si só foi maior do que sua palavra de que voltaria. Os anos foram se passando e Jonathan foi se tornando cada vez mais rico como minerador e ainda mais distante de um dia voltar à Inglaterra. Já se passaram 10 anos desde que chegou nos Estados Unidos como um jovem sozinho de 18 anos e agora a vida como um cavalheiro londrino parece totalmente fora da sua realidade atual.

IMG_20210520_162346

Tudo parecia se encaminhar para que ele e seu amigo se tornassem cada vez mais ricos e isso realmente aconteceu, mas a vida de Jonathan sofre um grande baque quando Billy fica muito doente e morre, mas antes de morrer, ele faz uma grande revelação: ele tem uma filha que atualmente vive na Academia Forsyte, uma escola para meninas em Nova York. Se isso já não fosse um grande choque, haja visto que ele conhecia Billy há muitos anos e ele nunca mencionou ter uma filha, ele deixa Jonathan como guardião legal dela. Sem saber como vai lidar com a menina, ele decide que deve conhecê-la antes de partir para uma viagem de negócios muito longa.

E as surpresas só estavam começando. Jonathan acreditou que sua protegida ainda ficaria uns bons anos na escola e até lá só deveria se preocupar em administrar sua herança e mantê-la bem e em segurança, enquanto isso continuaria viajando para cuidas de seus negócios, mas seus planos terão que mudar já que Marjorie McGann está longe de ser uma garotinha de tranças. Ela é uma mulher adulta e que não tem intenção alguma de continuar a viver na Academia Forsyte até que Jonathan volte da África do Sul. Ela quer ir para Londres, ser apresentada na Sociedade, encontrar um marido e viver tudo que não lhe foi permitido até agora.

“- Você é filha do Billy? Mesmo? […] – Não sabia que meninas da sua idade ainda podiam frequentar a escola – comentou ele, tirando Marjorie de suas ponderações. – Não sou uma menina – corrigiu ela, ríspida, e entrou na sala. – Sou uma mulher.”

Jonathan considera tudo isso um absurdo, já que Marjorie deveria manter o luto por pelo menos um ano, mas a moça logo o desafiará de que, não só não deseja se manter de luto, como tem muitas mágoas do pai por tê-la abandonado na escola e nunca ter voltado. O pai de Marjorie a deixou na academia quando ela tinha 7 anos com a promessa de que voltaria para buscá-la, mas os anos se passaram e depois de muitas cartas, ela logo percebeu que nunca sairia de lá. Com quase 21 anos e com um guardião, ela enxerga sua grande chance: ir para Londres e finalmente ter a vida que todas as jovens herdeiras querem.

Como Jonathan se nega a levá-la, Marjorie dá um jeito e vai assim mesmo. Ele vai para a África do Sul para verificar alguns investimentos tanto dele quanto de Billy, nesse caso de Marjorie, mas antes passará em Londres para visitar as irmãs e pedir ajuda para cuidar dela quando finalmente ele retornar à Nova York, mas como a moça está cansada de promessas vazias, ela foge da academia e embarca no mesmo navio que Jonathan. Ela fica escondida em sua cabine e só se revela quando não é mais possível retornar ao porto e que ele só tenha a opção de levá-la para Londres.

IMG_20210520_162513

É claro que o motivo para que ele seja tão contrário a essa vagem não é apenas porque ela não tem uma acompanhante e que ele não tenha avisado as irmãs. Vai muito além disso e Jonathan se envergonha de estar tendo esses pensamentos referentes a garotinha de Billy. O problema é que Marjorie não é uma garotinha, ela é uma mulher linda, inteligente e que o tira do sério o tempo todo. Ele não sabe como vai aguentar ficar perto dela durante o trajeto até Londres, mas sabe que precisa se manter o mais distante possível para que não faça uma besteira. Chegando na Inglaterra ele deixará sua protegida com as irmãs, seguirá viagem e assim terá muitos meses para tirar a moça da cabeça. Só que mais uma vez, Jonathan terá seus planos frustrados.

“Era a filha de seu maior amigo, a garotinha de Billy, que ele jurara guardar e proteger. Mas naquele momento, se sentia tão protetor quanto um lobo cuidando de um cordeiro.”

Eu vou parar de falar da trama e falar um pouco dos personagens e do que senti lendo o encerramento dessa série. Eu não sei muito bem o que esperava, mas esperava muito mais, principalmente por ser o final de uma saga. Acho que esperei aquela grande reunião de todos os personagens e isso até que vai acontecer, com exceção de Jamie e Amanda, casal protagonista de Um Amor de Vigarista, que não aparecem, apenas são mencionados. Teremos muito da Irene e Henry já que eles receberão Marjorie e Jonathan em sua casa. E graças à Laura, a autora nos deu um encontro descente entre Clara, protagonista de O Desafio do Amor Verdadeiro, e Jonathan. Eu fiquei imaginando o tanto de mágoa que ela precisaria descarregar no irmão e eu não estava errada. Ele deu sua palavra à ela e voltou depois de seis anos, é claro que ela não estaria mais esperando por ele, mas os dois tiveram o momento para se entender.

Jonathan é um personagem que vem sendo mencionado desde o primeiro livro, então estava cheia de expectativas para ele. O rapaz construiu uma fortuna após ser renegado pelo pai. Ele saiu de Londres sem nada, mesmo que seu sonho sempre tenha sido administrar os jornais da família, e desde aquele dia passou a buscar outros objetivos. O início da vida na América não foi fácil, mas ele foi muito bem recompensado nos anos seguintes. Dez anos depois está de volta e não sabe como se encaixar naquela vida. Já Marjorie é uma moça que foi abandonada pelo pai, mesmo que ele não tenha feito isso intencionalmente, que viveu quase a vida toda dentro de uma escola. Mesmo quando se formou e achou que o pai finalmente viria buscá-la foi novamente deixada para trás. Ela se tornou professora para ter um propósito, mas seu sonho de verdade sempre foi construir uma família, ter um lar, estabilidade.

“Três anos depois de me deixar com a Sra. Forsyte, ele voltou para Nova York, mas não foi me ver.”

Quando Jonathan se torna seu guardião, ela finalmente consegue ver todos esses sonhos se tornando realidade, mas ele logo vai frustrá-la, quando avisa que ela ainda ficaria um tempo em Nova York. Cansada de ser abandonada e que todos tomem decisões por ela, Marjorie decide lutar pelo o que realmente deseja. Ela não vai abaixar a cabeça e vi que muitas pessoas acharam a personagem chata. Eu não achei isso, ela tem dificuldades de confiar nas pessoas e tem uma bagagem cheia de traumas, então é claro que não confiaria cegamente em Jonathan. Marjorie me lembrou a própria Clara Deverill que queria uma temporada, muitos bailes, se apaixonar e construir uma família. Achei super válido que ela desejasse ser colocada sempre em primeiro plano já que esteve sempre largada. Acho que ela foi heroína demais de sua história e até o último minuto exigiu de Jonathan que ela fosse uma prioridade.

“A vida nem sempre é como pensamos que deveria ser. O amor não é um caminho certinho que leva direito à felicidade eterna.”

A edição de A Mentira Sobre Amores e Herdeiras é linda assim como todos os outros livros da série. A capa é perfeita e pra mim resume muito a Marjorie e o momento em que ela usa um vestido rosa em seu aniversário de 21 anos. A diagramação segue os demais livros, mas eu ainda não superei que as lombadas são diferentes e que apenas no primeiro livro temos a numeração. Sem falar que não é mencionado que todos eles fazem parte da série Querida Conselheira Amorosa. Enfim, algo que pode passar despercebido para alguns, mas que pra mim faz uma diferença enorme. Fica a dica Harlequin Books! A escrita da Laura é maravilhosa e gosto muito que ela sempre tenha assuntos relevantes para abordar além do romance entre o casal protagonista.

IMG_20210520_163758

“Eu não desisti. Quero você demais, não tenho como desistir.”

A Mentira Sobre Amores e Herdeiras veio para finalizar uma saga e apesar de não ter sido completamente apaixonante, eu não consegui largar o livro até chegar ao fim. Acho que esperei mais do romance do casal. É inegável que existia química entre eles, mas eles tiveram pouco envolvimento para que uma história de amor fosse criada. Me pareceu mais paixão, um desejo que ambos queriam saciar, mas que Jonathan se negava por causa da promessa ao amigo e, Marjorie por ainda ser muito inocente. O que mais gosto nesse livro é o desenvolvimento pessoal de cada um deles. Pra mim o romance ficou em segundo plano e acho que se tivesse mais um capítulo ou dois, teria sido perfeito. Encerraria a série maravilhosamente bem, mas não tivemos nem mesmo um epilogo, algo que nenhum dos outros também teve, mas aqui eu senti mais falta. Enfim, mesmo com altos e baixos, acho que merece minhas 5 Angélicas e meus votos de que a Harlequin continue publicando a Laura por aqui.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s