A Hora do Chá ‘Seduzido pelo Coração de uma Lady – Christi Caldwell’

Oi ooooi gente! Olha eu chegando de volta para a coluna mais xodó desse blog! E é minha primeira resenha de Romance de Época em 2021. E, para isso, escolhi falar sobre Seduzido pelo Coração de um Lady, livro de estreia em solo brasileiro da autora Christi Caldwell. Lançado em 2019 pela Editora Pausa, ele é o primeiro da série Lords of Honor, que eu espero que volte a surgir por aqui. Antes de falar mais sobre a história, vamos a sinopse…

O Tenente Lucien Jones, filho de um visconde, regressou da guerra para descobrir que a sua mulher e filho estavam mortos. Culpando seu pai pela missão dada de lutar contra as forças de Boney, ele se contentou em definhar no Hospital de Londres… até que conseguiu um emprego com o Marquês de Drake. Através de sua posição, Lucien encontrou um propósito na vida e se contentou em manter seu passado enterrado. Lady Eloise Yardley ama Lucien desde criança. Quando desistiu de sonhar com ele, a jovem se casou com outro. Anos depois, ela é uma viúva solitária que não se encaixa na sociedade. Quando a família de Lucien pede sua ajuda para reunir pai e filho, ela aproveita a oportunidade para não apenas ajudar seu antigo amigo, mas também escapar de Londres. Lucien não sabe o plano arquitetado por Eloise, mas conhecendo-a tal como é, quando a jovem faz uma visita à Marquesa, ele sabe que a amiga de infância está tramando algo. A última coisa que ele quer é a tentação que essa nova Eloise oferece; uma lembrança reconfortante de tempos mais felizes e de paz. No entanto, a jovem está determinada a conquistar o amor de Lucien de uma vez por todas… se ao menos ele pudesse deixar de lado a dor de seu passado e arriscar tudo pelo coração de uma lady.

A história começa com Lady Eloise visitando um hospital, em que soldados feridos estão se recuperando. A jovem precisa reunir forças para enfrentar o local, porque fica aterrorizada com médicos e enfermeiras. Mas ela tem um objetivo e não é só fazer uma boa ação. De alguma forma, precisa ser apresentada a Lady Drake e conseguir ser convidada para um chá. Afinal, existe algo, ou melhor, alguém que a família Drake tem em sua casa, que Eloise precisa reencontrar.

A Marquesa de Drake, durante suas visitas ao hospital e aos feridos de guerra, cruzou seu caminho com o do Tenente Lucien Jones, ou melhor, Jonas. Ele é o terceiro filho de um Visconde, que acabou sendo mandado para guerra, devido aos caprichos de seu pai, mesmo ele querendo entrar para o clero e permanecer com sua esposa. Mas ele acabou indo e, além de sofrer danos em seu próprio corpo, acabou descobrindo que a mulher que tanto amava e o filho, que nunca conheceu, acabaram falecendo. E, o pior, ninguém contou nada, até ele voltar. Sendo assim, Lucien se tornou um homem muito duro, que nunca mais quis saber de seu progenitor.

A ousadia dele. Eloise encontrou seu olhar de frente e depois congelou, com a boca seca. Suas vidas poderiam estar intrinsicamente entrelaçadas, mas seu olhar cinzento e penetrante, o mesmo que havia assombrado seus sonhos e pesadelos, pertencia a um estranho. E a agonia de perdê-lo, a alegria de estar com ele, tudo misturado, roubando seus pensamentos, a fala e o movimento.  

Lucien e Eloise são amigos de infância. Só que mais do que isso, ela foi e é apaixonada por ele durante toda uma vida. Mesmo depois que ele se casou com Sara e ela teve seu próprio casamento. E agora que o pai dele está morrendo, os irmãos a procuram para que a lady possa convencer o amigo a retornar para o lar e poder perdoar e se despedir. Mas não será uma tarefa fácil. Ele está tão endurecido por tudo o que passou, que além de realmente não querer voltar para o seio familiar, ele não quer nem muita ideia com Eloise.

E isso a deixa magoada demais. Eloise sente muito o impacto do fato de que Lucien nunca pensou nela, nem mesmo pela amizade que eles mantinham desde a infância. Que deixou de ser importante, que ele nem imaginou que pudesse contar com a ajuda dela. Mas, ela não desistirá fácil de convencer o duro Jones a retornar para seu lar, mesmo que ela precise tomar drásticas atitudes e contar com surpreendentes cúmplices.

– Aprendi que às vezes não levamos alguns medos em conta – ele retrucou, trazendo-a de volta. – Mas também aprendi que, na maioria das vezes, há razões para esses medos. – Ele fez uma pausa. – Todos nós a temos, senhora.

Não entrarei em mais por menores da trama, porque esse livro é bem fininho, tendo menos de 200 páginas. Quero falar dos personagens. Eloise é uma personagem que me ganhou rapidamente. Ela é uma pessoa muito bondosa, com um jeito doce e tão apaixonada. Ela é conformada que nunca terá o amor de Lucien, que ele sempre terá Sara em seu coração, mas nem por isso, é amarga. Quando precisou foi lá cuidar da amiga e seu filho, mesmo recém casada e depois dos médicos desenganarem eles. Também sente que não amou o marido o suficiente e que me merecia mais do que ela pode oferecer, mas guarda muito carinho por ele. Mas, é seu amor por Lucien que encanta de vez. Ela não espera o retorno, não se preocupa com o fato dele nunca mais falar com ela, seu desejo é só juntar ele com o pai e os irmãos novamente.

Com isso, Lucien acabou não me agradando tanto. Eu consigo ser plenamente capaz de entender as dores que ele passa, mas acho que em outros pontos ele é egoísta demais. Ele passou por traumas horripilantes, não digo não só em relação a perder parte do braço, mas quanto a perder a família em si, mas acho que não seja justificativa pra tratar todas as pessoas com grosseria, já que não só Eloise atura o mau humor dele, como os outros funcionários da Mansão Drake. Só que, claramente, é o modo dele em relação a nossa lady que mais magoa e irrita, porque ela não é nada menos do que amor e ele acaba confundindo toda a mente dela.

Ela ia deixá-lo louco. Ele sempre soubera disso. Primeiro, quando ela era uma menina de seis anos e insistia que seus soldados de brinquedo dançassem com suas bonecas. Depois, quando lhe pedia para apanhar flores nos campos de margaridas, após terem ido pescar. E agora… ele com trinta anos de idade, ela com vinte e oito, Eloise tão casualmente desprezando sua raiva e exigências frias, expressava sua intenção de viajar para Kent.

Existem outros personagens, como a doce Lady Drake, que faz uma trabalho incrível com os soldados feridos e até mesmo o modo como ela trata Eloise desde o início e a incentiva em relação a Lucien. Também gostei muito de como os irmãos dele e até o pai tratam a jovem, que é ligada com a família desde a infância e acabou se tornando sozinha, já que viu o pai morrer e o marido também.

Esse livro foi o meu encontro com a escrita de Christi Caldwell. Achei que ela tem um modo bem fluído e envolvendo de narra a trama. Eu me peguei curiosa sobre várias situações que ela jogava, tentando descobrir as relações que ela poderia estar criando. Com certeza, eu lerei outros livros da autora, especialmente se a editora continuar com a série, que tem tudo para ser super legal e diferenciada, afinal, apesar de termos nossas belas ladies, temos também vários soldados tão incríveis e isso não costuma ganhar tanto destaque nos livros de época, pelo menos, dos que eu conheço. A única coisa que lamento é o tamanho do livro. Acho que isso a impediu de desenvolver melhor o relacionamento amoroso entre Eloise e Lucien, o que me fez sentir que as coisas foram resolvidas, porque era o final do livro. Mas, eu gostei muito da narrativa dela que, como costuma ser em romances de época, é em terceira pessoa.

A pior parte da vida, ele descobriu, não estava nos erros que tinha cometido, mas em sua incapacidade de voltar atrás e desfazer cada um deles, e colocar sua vida e a vida daqueles que amava no lugar certo.

Falando da diagramação, a Editora Pausa trás uma capa belíssima! Eu amo até mesmo a fonte que eles usam como título. Por dentro, temos páginas amarelas, com letras e espaçamento confortáveis para a leitura. Os capítulos são numerados e tem um arabesco como detalhe.

Seduzindo pelo Coração de uma Lady abre a série Lords of Honor e me apresenta a escrita da autora. Ainda que o mocinho não tenha me conquistado e acho que algumas páginas podem acrescentar muito a história, eu deixo minhas quatro Angélicas. Espero, de coração, que tenhamos as sequências.

Um comentário em “A Hora do Chá ‘Seduzido pelo Coração de uma Lady – Christi Caldwell’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s