A Hora do Chá ‘Entre a Culpa e o Desejo – Sarah MacLean’

Oi ooooi gente! Hoje é a última quinta do mês e isso significa que estou trazendo a resenha de uma série mais antiga, que é O Clube dos Canalhas, da Sarah MacLean. Depois de Entre o Amor e a Vingança, com a história de Penélope e Bourne, temos outra menina Marbury roubando a cena, já que Lady Philippa vai assumir o protagonismo junto com Cross, o outro sócio do Anjo Caído. Antes de falar mais, vamos a sinopse do livro.

Seu próximo experimento científico? Entregar-se a um canalha! Lady Philippa Marbury não é como as jovens de sua época. A brilhante filha do marquês de Needham e Dolby se preocupa mais com seus livros e experimentos do que com vestidos e bailes. Para ela, um laboratório é muito mais atraente que uma proposta de casamento, e é por isso que, ao ser prometida a um noivo com quem não tem nada em comum, Pippa tem apenas duas semanas para empreender seu último experimento: descobrir todos os prazeres e todas as delícias da vida antes de passar o resto de seus dias ao lado de alguém que ela mal conhece. Como boa cientista que é, Pippa investiga a vida do homem que parece ser a cobaia ideal para realizar suas experiências: Sr. Cross, o atraente sócio do cassino mais famoso e cobiçado de Londres, um libertino cuja má-fama foi cuidadosamente construída sobre o vício e a devassidão. Um canalha perfeito para explorar suas fantasias e satisfazer sua curiosidade sem manchar sua reputação de moça de família. Mas o que Pippa não sabe é que, por baixo das aparências, Cross esconde segredos obscuros e que, ao receber a proposta da garota, ele está diante de uma oferta que pode destruir tudo aquilo que durante anos ele se esforçou para proteger. Terrivelmente tentado a se envolver nessa aventura que promete o mais puro prazer sem qualquer outra emoção, tudo o que Cross deseja é dar a Pippa exatamente o que ela quer, mas ele sabe que ninguém sai ileso do caminho da satisfação e, assim, Cross terá de usar cada miligrama de sua força de vontade para não perder o controle e resistir à tentação de entregar à jovem muito mais do que ela ousa imaginar.

Assim como o livro de Bourne, o de Cross começa antes, em 1824, nos mostrando como iniciou a sua queda da sociedade. Até então, ele era apenas Jasper, o segundo filho, vivendo sem responsabilidades e sem expectativas de ninguém. Era um bom libertino, que vivia na farra e só pensava em si próprio, afinal, seu irmão mais velho, Lorde Baine, quem assumiria o posto de Conde Harlow, quando necessário. Só que o destino resolveu lhe pregar uma peça, e o herdeiro por direito acabou morrendo em um acidente de carruagem. Ainda pior que isso, foi o fato que de era ele quem deveria estar nela, acompanhando a irmã mais nova em um evento da nobreza. Só que preferiu não cumprir com sua palavra, para ir se divertir. Mas, com esse inesperado fato, se tornou o novo Lorde Baine e ouviu seu pai desejar que fosse ele quem tivesse falecido.

Depois dessa introdução, voltamos para o exato ponto onde o primeiro livro acabou, com Lady Philippa Marbury na sala de Cross, pedindo para que ele a ajude a se perder. Afinal, faltam apenas 15 dias para seu casamento com Lorde Castleton e ela está preocupada com alguns pontos dos votos que ela deve prometer e não quer pronunciar nada que ela não conheça, principalmente na parte carnal e selvagem. Sendo assim, depois de ouvir os rumores sobre o lado libertino do sócio de seu cunhado, ela acredita que ele seja uma boa opção para lhe mostrar este lado do casamento.

“Você me considera um perigo, Sr. Cross?”
“Cross. Não precisa do Sr. E, sim, eu considero você um perigo.”

Obviamente, Cross pensa que a lady está fora de si e não aceita a oferta e a manda para casa. Mas, quando o caminho da dama cruza com o de Digger Knight, o sócio do Anjo acaba recuando na ideia de mandá-la embora e propõe que eles apostem sobre as aulas que ela deseja. Caso ganhe, Pippa terá as respostas que busca, se perder, irá embora e não irá procurar nem Cross ou outro cavalheiro para fazer suas perguntas. E, jogando contra um dono de cassino, ela irá perder. Só que a jovem não vai desistir tão fácil assim e arruma uma nova ideia para saciar a sua curiosidade, ela vai procurar por uma prostituta conhecida no estabelecimento.

Enquanto lida com a curiosidade e persistência constante da menina Marbury e pensa em alternativas que não envolvam o escândalo com o nome dela e seu sócio o matando, Cross acaba ameaçado por Digger, que sabe coisas demais sobre sua família e quer algo: que ele se case com sua filha e a faça sua condessa. E, como ele não vai aceitar isso tão facilmente, começa a planejar um ataque que o proteja dessa armadilha. Só não será tão fácil como ele pensou, ainda mais quando não se pode confiar em pessoas que possam ser compradas e com o futuro da mulher que vem roubando seu coração, correndo risco.

“Não provoque o leão”, disse ele, as palavras roçando os lábios dela, abrindo-os com seu toque. “Pois com certeza ele irá morder.”

Cross vai tentar lutar contra a persistência da jovem Lady Philippa o máximo que conseguir, mas chega ao ponto em que não pode negar mais a verdade a si mesmo, que está rendido e conquistado. Só que, com tudo o que aconteceu com ele até esse ponto, não vai ser fácil admitir tudo isso. Muito menos será fácil lidar com uma decidida jovem que, quando percebe que seu interesse deixou de mera curiosidade e passou a envolver sentimentos, lutará para entender sobre os fantasmas de Jasper e como pode fazer para ajudá-lo e até mesmo fisgá-lo de vez.

Tentei falar o menos possível sobre a trama, porque é muito gostoso acompanhar a evolução de Pippa e ver os segredos de Cross serem revelados. Então, vamos falar sobre os personagens, começando pelo nosso conde. Cross foi uma surpresa enorme! Alguns comentários sobre ele no livro anterior me deixaram muito curiosa, mas eu não esperava o que ele apresentou. Para mim, seguiu uma linha que eu não vejo muito nos romances de época e foi muito bom. Ele tem um jeito imperativo, com uma presença marcante, com um toque de ameaça a quem precise, mas com um senso de proteção a quem ele deseja. Ainda que ele tenha medo de ceder ao amor que sente, vai encontrar alguém que não está disposta a abrir mão dele.

“Eu aposto cem libras que ela é a mulher que vai quebrar a sua maldição.”
Sua maldição. Ele precisou de toda a sua força de vontade para não reagir àquelas palavras. À provocação que continham.

Ainda que Cross seja maravilhoso demais, para mim, Pippa é o brilho do livro! Ela começa como uma menina muito tímida, com jeito de patinho feio, casando com a irmã mais bela e cheia de curiosidade. Mas vai crescendo a cada página, vai mostrando o quanto é esperta, não só sobre os ossos do corpo humano, mas sobre vários outros pontos também. Lady Philippa tem o seu lado tão doce, mas que quando perceber o que quer, não vai achar certo condenar uma outra pessoa a algo que não é para ser. E ela vai lutar com todas as armas que tem para salvar, não só a si mesma, como o homem que passa a amar.

Ao falar dos secundários, preciso dizer que temos menos de Penélope e Bourne do que eu desejava, mas podemos ver que eles são um casal muito apaixonado. Uma personagem que eu não consigo criar simpatia é Olivia, a irmã Marbury mais nova e mais bonita, que só pensa nela. Algumas das coisas que ela fala a Pippa me irritaram muito. Quanto aos outros sócios do Anjo Caído, tivemos mais acesso a Temple, que assume o papel de ajudar a mocinha quando ela precisa e não quer pedir ajuda a Cross. Assim como tivemos Chase, mais uma vez, não só falando verdades necessárias ao nosso protagonista, como dando chance a nossa lady para brilhar. Não vou mentir, estou com uma certa suspeita/teoria sobre ele.

“Eu lhe disse que não gosto de mentirosos, Sr. Cross.”
“E eu lhe disse que canalhas mentem. Já estava na hora de você aprender.”

Eu sou completamente apaixonada pela escrita da Sarah. Preciso afirmar isso em cada resenha que eu escreva de seus livros. Acho que ela tem uma fluidez muito gostosa, sempre com uma carta na manga para nos surpreender. Ela sabe criar mocinhos apaixonantes, mas são as mocinhas que brilham, com seus jeitos decididos e que lutam por si próprias e por aqueles que amam. Nessa trama, vamos conhecendo a culpa que Cross carrega, enquanto lida com seu desejo por Lady Phillipa e nos pegamos desejando que ele encontre seu ponto de salvação, enquanto voamos pelas páginas que vão surgindo. Não posso deixar de falar que ela trabalhou com uma enorme tensão sexual por aqui haha.

A diagramação da Gut, por dentro, é bem simples. Temos as folhas amareladas, com letras e espaçamentos confortáveis para a leitura. Os capítulos são numerados e, alguns deles, começam com trechos do diário científico da Pippa. A capa vem com um tom de azul, como um dos mais importante vestidos que a jovem lady usa durante a trama e o objeto que a acompanha é o seu óculos. Novamente, a editora trouxe a capa original.

“Tão educada.” Ele se inclinou para frente. “Este não é o lugar para educação, minha linda de óculos. Aqui, você pede e eu dou. Você oferece e eu pego. Nada de por favor. Nada de obrigado.”

Entre a Culpa é o Desejo é o segundo livro da série e, mais uma vez, já me pego curiosa sobre o próximo. Assim eu entendo e me apaixono mais por um novo Canalha. A história de Pippa e Cross me conquistou, com o toque de delicadeza e proteção que eu não esperava. Vou deixar as minhas cinco Angélicas, enquanto me mato de curiosa pela história de Temple.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s