Resenha ‘Mortos Não Contam Segredos – Karen M. McManus’

Oi ooooi gente! Hoje eu vim trazer a resenha de um livro que, apesar de ter demorado a fazer a leitura, me deixou curiosa desde que foi lançado. Mortos Não Contam Segredos é da mesma autora de Um de Nós está Mentindo. E, apesar de ser mais um suspense adolescente, com mortes para resolver, não é continuação. Dessa vez, o mistério vai além dos muros da escola e atingem uma cidade inteira. Antes de falar mais, vamos a sinopse…

Por trás das cercas brancas e dos gramados perfeitos da pacata cidadezinha de Echo Ridge, há segredos de natureza obscura. Ellery conhece as histórias a respeito da cidade natal de sua mãe e sabe que ali garotas desaparecidas não voltam para casa. Cinco anos atrás, a rainha do baile foi assassinada e o culpado jamais foi preso. Sua tia também foi uma das vítimas quando ainda era adolescente, mas a mãe pouco fala sobre isso, preferindo mascarar o luto com bebidas e remédios. Quando o vicio culmina em uma internação na clínica de reabilitação, Ellery e seu irmão gêmeo, Ezra, se mudam para a casa da avó em Echo Ridge e passam a testemunhar em primeira mão a sinistra fama da cidade. Antes mesmo do inicio das aulas, novas ameaças surgem em forma de pichações. Alguém deixa bem claro que a temporada de caça às rainhas do baile está aberta, e o nome de Ellery surge entre as possíveis vítimas. Poucos dias depois, outra garota desaparece e, desta vez, Ellery está determinada a descobrir quem está por trás de tudo isso. Mas quanto mais a menina se envolve com os segredos dos moradores, mais se põe na mira do responsável pelas mortes. Ellery está prestes a descobrir que segredos são perigosos, e é por isso que, em Echo Ridge, é melhor guardá-los para si.

Ellery e seu irmão Ezra estão se mudando para a casa da avó, em Echo Ridge, depois que sua mãe se mete em um acidente por estar sob o efeito de medicamentos, sendo assim, acaba internada em uma clínica de reabilitação. Finalmente os gêmeos vão conhecer o lugar onde a mãe nasceu, cresceu e perdeu a sua irmã – também – gêmea, depois que ela acabou sendo assassinada perto do baile. Mas, esse não é único crime que cerca a pequena cidade, já que, cinco anos antes, a jovem Lacey teve o mesmo triste fim.

10

Tentar saber mais sobre esses crimes é algo que Ellery quer muito. Ela é apaixonada por casos policiais e investigações, então, quer tentar entender os mistérios que envolvem os desaparecimentos em Echo Ridge. Também quer descobrir mais sobre sua tia Sarah, já que sua mãe nunca quer falar sobre a falecida irmã. O que é algo que sempre incomodou a filha, que imagina o quanto seria doloroso perder o irmão que tanto tem ligação.

Sei que não há maneira de ela conseguir se sentir completa. Quando chegamos ao mundo com outra pessoa, essa pessoa é parte de nós como as batidas do próprio coração.

Chegando na cidade, os gêmeos vão acompanhar fatos que começam a aparece, de várias formas, avisando que o que aconteceu em Murderland, local onde ocorreu o último assassinato, há cinco anos, está pronto para acontecer novamente. E, os alvos são a Corte Real do Baile. E, qual não é a surpresa de Ellery em ver que o seu nome está no meio das três candidatas a Rainha, mesmo ela acabando de chegar a cidade. Tudo isso enquanto faz amizade com Mia e Malcom, irmão de Declan, o rapaz que foi suspeito até hoje de de ter matado a Rainha anterior.

Todos na cidade estão muito preocupados, tomando quantas precauções forem possíveis para que as coisas sigam em paz. Mas não é o bastante, já que Brooke acaba desaparecendo. E, em Echo Ridge, quando uma garota some, ela não volta. O problema aumenta quando tentam envolver o nome de Mal como suspeito, assim como foi com seu irmão. Afinal, ele foi o último a vê-la. Então, os amigos começam a tentar resolver o mistério, antes que pessoas inocentes sejam acusadas. Todos são suspeitos, todos tem atitudes comprometedoras. Quem está falando a verdade? Será que os mortos poderão contar os segredos por trás dos assassinatos?

– Moças bonitas abrem sepulturas – diz ele por fim. – Conhecem essa música?
[…]
– Cabe certinho nessa cidade, não é? Echo Ridge continua perdendo suas rainhas do baile. Ou as irmãs delas. – Seus olhos percorrem as três bonecas. – Alguém foi criativo.

Eu não posso mais contar sobre a história. Antes até mesmo de falar sobre os personagens, preciso contar da minha experiência lendo livro. E, vou começar dizendo que, quanto menos vocês souberem da trama, melhor e mais incrível será a leitura. Eu ia tentando juntar as peças que apareciam, me imaginando no lugar dos personagens e ver se eu poderia resolver aquele mistério. Mas quebrei, lindamente, a cara. E, para mim, isso que faz o livro ser bom. Até mesmo superior que o livro de estréia da autora.

11

Falando de Ellery, ela é uma mocinha diferente. Não é tão comum uma personagem gostar tanto de ver e ler sobre casos policiais, além de tentar resolver um. Ela é persistente e desconfiada. Além de muito curiosa sobre várias situações, principalmente em relação a tia que mal sabe sobre. Gosto muito da sua relação com seu gêmeo, como eles se protegem e se compreendem. Para descobrir pistas sobre tudo o que está acontecendo em sua nova cidade, ela não tem medo de agir. Mas, enquanto investiga o que pode ter acontecido com Brooke, ela vai acabar descobrindo mais sobre sua própria família. Mais até do que ela gostaria.

– […] Mas continuo imaginando… mesmo que alguém fosse ousado o bastante para escapar impune de um assassinato, e depois se gabar fazendo isso de novo cinco anos depois, os MOs são completamente diferentes.

Malcom tem um jeito bem introspectivo, ainda mais depois de tudo o que acontecendo pós morte de Lacey, quando seu irmão foi o suspeito de ter matado a namorada. Sua família foi acabando, com a separação de seus pais e Declan indo para outro estado. Quando sua mãe casa de novo e os dois vão morar com uma família muito popular, ambos acabam voltando a frequentar certos lugares, inclusive um que homenageia sua ex cunhada. O jovem vai sofrer um baque quando se tocar que é o suspeito do mesmo crime que assombra os Kelly. Ainda que não consiga acompanhar todos os planos de Ellery, nem suas suspeitas, vai acompanhá-la. E, mesmo em meio a toda essa situação, os dois adolescentes vão começar a nutrir sentimentos um pelo outro.

Como secundários, temos vários personagens. Alguns legais, uns meio babacas, outros bem babacas. Mas todos, de algumas forma, ajudam a montar o quebra cabeça que é a história dos desaparecimentos e assassinatos por ali. O destaque acaba sendo Mia, melhor amiga de Mal, e Ezra, irmão de Ellery. O quarteto está junto em boa parte do livro e indo atrás do que podem para poder resolver o mistério que há anos cerca Echo Ridge. Isso se, é claro, os três crimes tiverem alguma ligação.

– […] Nós dois estamos presos a um dos mistérios não resolvidos de Echo Ridge, exceto que sua família perdeu uma vítima, e a minha tem um suspeito.

Eu conheci a escrita da Karen lá em Um de Nós está Mentindo e já tinha amado. Dessa vez, ela conseguiu me prender ainda mais. Seu texto é mesmo muito fluído e vai no guiando através das páginas e nos prendendo mais a trama e ao mistério que vamos tentando resolver junto com os personagens. Além disso, ela cria uma narrativa que pode nos remeter a séries e filmes de TV que tanto gostamos e isso é um toque a mais. E, dessa vez, ela conseguiu gerar algo até mais complexo. Não tem mais como negar, Karen ganhou uma fã, que já está ansiosa por seu próximo livro.

12

Sobre a diagramação, temos a capa idêntica a original. Mas o nome teve uma jogada na tradução. O nosso veio como Mortos não Contam Segredos, enquanto lá fora é Two Can Keep a Secret. E, se completarmos essa frase, com a já conhecida canção, temos o “If one of them is dead”. Ou seja, “dois podem guardar um segredo, se um deles está morto”. E eu achei isso genial! Por dentro, temos o que leitores gostam, páginas levemente amareladas, letras e espaçamentos muito confortáveis para a leitura. Para iniciar cada capítulo, temos o nome do narrador – Ellery ou Malcom -, além da data e dia da semana.

– Eu provavelmente deveria começar dizendo que… penso muito em crimes. Tipo, em uma frequência anormal. Sei disso. É meio que um problema. Então, você precisa minimizar o que eu digo, porque sou assim… naturalmente desconfiada, acho.

Como fã de um bom livro de suspense e com um mistério a se resolver, Mortos Não Contam Segredos me deixou maluca. Só dormi no meio da leitura, porque era extremamente necessário rs. Sendo assim, inegável e inevitável dar cinco Angélicas.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

 

 

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s