Resenha: 'Apenas Amigos – Elizabeth Grey'

Oiiii oi gente. Hoje eu trago a resenha de uma comédia romântica, que foi lançamento de fevereiro da nossa parceira Editora Bookmarks. Apenas Amigos é a estreia da autora Elizabeth Grey por aqui, e traz uma premissa de romance entre melhores amigos que sempre conquista meu coração, portanto, assim que li a sinopse já fiquei mega interessada e com a expectativa lá em cima. Então sem mais delongas, bora saber tudo o que eu achei desse livro.

“Violet Archer tem o emprego dos sonhos em uma das principais agências de publicidade de Londres. O fato de trabalhar com Ethan Fraser todos os dias o torna ainda mais especial. Ele é o melhor amigo que uma garota poderia ter. E ela nem percebeu como ele é gostoso. Não. Com certeza, não.
Quando uma noite incrível se transforma em uma grande confusão, o mundo de Violet começa a oscilar como uma girafa bêbada andando com pernas de pau. Ela se vê presa em uma teia de segredos, mas nenhum deles é seu. E talvez ela esteja começando a perceber o quanto Ethan é gostoso. E fofo, e gentil e… ah, caramba. Será que Violet se apaixonou pelo melhor amigo? Essa amizade pode sobreviver a outro segredo? E a pergunta que Violet tem mais medo de fazer: será que Ethan também sente algo por ela?”

IMG_20200324_165509.jpg

Violet Archer tem uma carreira promissora como redatora da prestigiada agência de publicidade Barrett McAllan Gray. Ela trabalha ao lado de seu melhor amigo, Ethan Fraser, e juntos formam uma dupla imbatível. Não é a toa que eles são indicados a um prêmio super importante nesse meio, o AdAg Awards, na categoria Melhor Campanha Publicitária do Ano. Violet não gosta das atenções para si, então não estava nada animada em ir nessa noite de premiação – mesmo se sentindo feliz e honrada por estar concorrendo. Principalmente depois de seu encontro desastroso na noite anterior, com Stuart, seu colega de trabalho que se acha um garanhão mas está longe de ser.

E mesmo Violet inventando mil desculpas para não comparecer a premiação, e deixar que Ethan lide com toda a atenção, seu melhor amigo a conhece melhor do que ninguém e ela não vai ter escapatória. Só que o momento de azar de Violet não terminou junto com seu encontro com Stuart, e mal sabia ela que tudo só iria piorar depois da festa pós premiação. Ela e Ethan ganham o prêmio na categoria em que desputavam, e isso foi a única coisa boa que aconteceu naquela noite. Depois de ficar a festa toda encostada na parede, como costuma fazer nas festas, ao lado de Max, seu outro grande amigo da agência, observando e comentando sobre as pessoas na pista de dança, ela decide ir embora e acaba flagrando um funcionário da agência, Ridley, um grande idiota casado, aos beijos com outra funcionária, Carly, e isso é só o início de uma trama cheia de segredos que Violet acaba envolvida, sendo que nenhum deles é seu.

“Parece que meu mundo mudou para sempre e não sei como recuperá-lo.”

Os segredos vão desde Violet descobrindo quem não prestou socorro para uma funcionária que teve uma overdose na festa, passando por segredos dentro da empresa envolvendo seu chefe e até um dossiê incriminador caindo em suas mãos, que podem acabar com a agência. E o pior, Violet não quer ter nada a ver com isso, mas está tão envolvida que fica sem saber o que fazer, e só sabe que quer ajudar de alguma forma. Mas as coisas ficam sérias demais e fogem de seu controle, principalmente depois que ela sofre assédio de um cara totalmente dissimulado e capaz de fazer tudo para conseguir o que quer.

Como se tudo isso não fosse suficiente, Violet vai começar a desenvolver sentimentos bem profundos por seu melhor amigo, Ethan. Os dois sempre foram muito próximos, desde o primeiro dia que se viram na agência, então ela fica totalmente perdida no meio desse sentimento e tenta negar a todo custo o que está acontecendo, com medo de perder sua amizade, ainda mais com a incerteza dos sentimentos de Ethan por ela. Mas as coisas vão ficando cada vez mais difíceis de serem ignoradas. Eu confesso que me irritei um pouco com esses dois, porque é óbvio que eles se completam, mas a falta de diálogo só atrapalhava tudo.

“Nenhum de nós se mexe. É como se estivéssemos presos, com medo de seguir em frente, mas nos recusando a voltar.”

Falando na falta de diálogo, essa foi uma das coisas que mais me incomodaram como um todo, durante toda a história. Muita coisa poderia ter sido resolvida rapidamente, se Violet não escondesse tanto de todos. Eu quis sacudi-la diversas vezes, pois em vários momentos, ela tinha a faca e o queijo na mão, e só se enrolou. Eu entendo que a intenção dela era das melhores, mas já dizia o ditado né: de boas intenções o inferno tá cheio. Mas apesar de a achar ingrata às vezes, e entender porque algumas pessoas a acham fria, eu sei que isso não a define, e que ela tem um grande coração. Ela tem uma história de seu passado que acabou definindo quem ela se tornou e isso fez com que eu a entendesse melhor.

Outros dois personagens bem presentes na trama são Ethan e Max. Ethan é o típico cara mulherengo e que sabe curtir a vida, inclusive esse é um dos motivos de Violet achar que ele nunca pensaria em ter um relacionamento com ela, por pensar que ele não quer se prender a ninguém. Mas Ethan é um fofo quando quer, que a trata com muito carinho, sempre preocupado e pronto para ajudá-la em tudo, mesmo quando ela não quer isso. Ele é escocês e tem um sotaque que fica mais intenso quando está irritado. Eu só conseguia imaginá-lo como Jamie Fraser – protagonista de Outlander – não pude evitar rs, ainda mais com o sobrenome sendo o mesmo. Já Max, é mais calmo, com uma personalidade mais parecida com Violet, o que fez com que eles fossem tão próximos. Ele vai passar por uma situação difícil e por mais que eu pense que poderia ter sido mais bem trabalhado, foi um arco da trama que eu torci para que acabasse bem. Isso faz com que Violet o mantenha mais afastado para evitar que ele se envolva em suas confusões.

“Sim, a Barrett McAllan Gray é a minha vida, e as pessoas que trabalham lá são minha família. Isso deve dizer tudo o que você precisa saber sobre minha família verdadeira.”

Tem outros personagens que preciso comentar aqui e vou começar por Sarah, a chefe do Departamento Criativo. Que mulher forte, destemida, que sabe colocar ordem na agência, e não tem medo de enfrentar o CEO, Malcolm Barrett, quando necessário. Violet até diz que quer ser Stella quando crescer e admito que eu também quero rs. Falando no CEO, Malcolm é um um fraco, que só tem pulso firme quando quer pegar no pé de Ethan, sem motivo aparente, e só não consegue demiti-lo por causa do talento de Ethan. E, por fim, temos Ridley, chefe do Atendimento ao Cliente e o braço direito de Malcom. Eu não tenho palavras decentes para definir esse cara. Um idiota de marca maior. Ele vai ser um grande destaque negativo nesse livro.

Apenas Amigos me surpreendeu com uma trama diferente do que eu estava esperando. O clima todo da história muda conforme Violet se mete em todas as tramas possíveis e acaba tendo muito em suas mãos para lidar. Assuntos como assédio e drogas são abordados nesse livro de forma bem superficial, e, apesar de não ser o foco central do livro, eu gostaria que tivessem sido trabalhados de forma menos banal Apesar dessas situações que não me agradaram tanto, o livro me conquistou justamente por me surpreender. Os personagens são cativantes, e enquanto que alguns despertam carinho e torcida, outros eu queria tacar de uma ponte rs, então isso me deixou presa a trama.

“Precisa se apaixonar por alguém que te faça ser grata por ser quem é, porque você é incrível.”

Esse livro foi publicado pela nossa parceira Editora Bookmarks, tanto em formato físico, quanto em ebook, e está disponível no Kindle Unlimited. Ele é o primeiro livro da série A Agência, e pelo que eu andei pesquisando, toda a série é ambientada no mundo da publicidade em Londres, e cada livro é numerado cronologicamente na série, mas todo título é uma história completa por si só. A capa é igual a original, exceto a cor de fundo, e eu achei muito fofa. Como podem ver nas fotos, minha leitura foi pelo ebook, e a diagramação é simples mas bem feita, e não encontrei erros gráficos.

Foi a primeira vez que eu tive contato com a escrita da autora Elizabeth Grey e posso dizer que gostei bastante. É uma escrita bem fluída e cativante, que me prendeu à história do início ao fim. Só acho que a autora poderia não ter prolongado certos momentos na trama, e ter encerrado o livro de uma maneira menos corrida. Mas são só pequenos detalhes que podem ser superados, ainda mais que, pelo que entendi, teremos continuação com o mesmo casal, então algumas questões que ficaram pendentes ainda podem ser respondidas.

Apenas Amigos, apesar de ter um tema mais profundo que me pegou de surpresa, é, acima de tudo, uma comédia romântica, com momentos divertidos que equilibram os mais angustiantes. Pra você que está com bastante tempo livre nessa quarentena, esse livro é uma boa pedida e você termina a leitura em uma sentada só. Baseado em tudo o que eu comentei nessa resenha sobre o que me incomodou e agradou, eu deixo minhas 3 Angélicas para essa história e vou esperar ansiosamente pela continuação. Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s