Semana do Terror 2019/ A Hora do Chá: ‘A Chama de Ember – Colleen Houck’

Oi oi gente! Dando continuidade a nossa Semana do Terror, hoje eu trouxe um livro recheado de mistérios e criaturas sobrenaturais para a nossa amada coluna A Hora do Chá. A Chama de Ember, da querida Colleen Houck, foi publicado recentemente pela Editora Arqueiro e eu fiquei eufórica. Antes de saber mais, confere a sinopse:

“Quinhentos anos atrás, Jack fez um pacto com um demônio e acabou condenado a uma eternidade de servidão. Como um lanterna, seu único dever é guardar um dos portais que levam ao reino imortal, garantindo que nenhuma alma se infiltre onde não é bem-vinda. Jack sempre fez um excelente trabalho… até conhecer a bela Ember O’Dare. Há tempos, a bruxa de 17 anos vem tentando enganar Jack para atravessar o portal. Insistente, sem temer os alertas dele, Ember enfim consegue adentrar a dimensão proibida com a ajuda de um vampiro afável e misterioso, e então tem início uma perseguição frenética através de um mundo deslumbrante e perigoso. Agora Jack precisa resgatar Ember antes que os universos terreno e sobrenatural entrem em colapso e se tornem um caos.”

Logo de cara somos apresentados a Jack, um lanterna que tem como missão proteger uma das milhares de encruzilhadas existentes no mundo mortal, que são as passagens para o Outro Mundo, uma dimensão cheia de diversos tipos de criaturas, como Trolls, Gnomos, Vampiros e Lobisomens. Depois de ser enganado, alguns séculos atrás e transformado em algo que ele não escolheu ser, Jack não tem escolha e precisa vigiar e reportar para o lanterna-chefe Rune, tudo que for fora do normal. É um trabalho tedioso e solitário, exceto pela companhia de sua abóbora, que guarda a alma de Jack em seu interior.

Rune avisa Jack sobre os rumores de um vento de bruxaria vindo da encruzilhada de Jack e diz que ele precisa ficar atento e delatar qualquer bruxa que ele encontrar. Tudo o que Jack sabe é que as bruxas, principalmente as mais poderosas, são perigosas e podem destruir o Outro Mundo, então a entrada delas nesta dimensão é proibida e elas devem ser resgatadas e levadas ao Senhor, que controla o outro mundo juntamente com sua esposa, a Bruxa Superior, a única bruxa permitida no mundo sobrenatural.

Jack acredita que Rune está enganado, pois a anos ele não se depara com uma bruxa, mas assim que Rune se vai, Jack, do lado do mundo mortal de seu posto, avista uma carruagem chegando na Hallowell, uma cidadezinha da Nova Inglaterra, e percebe que os rumores estavam certos afinal. Dentro da carruagem se encontrava uma garotinha pálida, de olhos arregalados e cabelo castanho.

Aquela era Ember O’Dare, uma bruxinha que veio morar com sua tia-avó e nada se sabe de sua vida de antes. Jack já tinha visto outras vezes o que acontecia com bruxas que eram descobertas e preferiu ficar de olho em Ember, ao invés de delatá-la. E assim o tempo foi passando, Ember se tornou uma moça encantadora e uma bruxa muito poderosa, apesar de ter que aprender tudo sozinha. Jack, disfarçado de vento ou névoa sobre o solo, estava sempre de olho nela, observando-a de longe, rindo de suas trapalhadas com os feitiços, protegendo-a, mas também garantindo que ela nunca fosse para o Outro Mundo.

“O que ela mais queria mesmo era que ele se revelasse. Que lhe dissesse por que passara toda a sua vida a observá-la das sombras.”

Ember agora já crescida, desenvolveu uma personalidade forte e resiliente. Teimosia em pessoa. Ela é destemida e apesar da tenra idade, sabe o que quer e não abaixa a cabeça pra ninguém. Mas o que mais Ember deseja é conhecer o ser que ela sentiu presente perto dela desde que ela chegou em Hallowell. Ela pensa nele como um amigo e guardião, mesmo tendo o visto uma única vez, quando ainda menina, dentro da carruagem que a trazia para sua tia. Ela não se recorda muito mas sabe que o mesmo cara que ela viu na ponte, sempre está olhando por ela até hoje.

Jack acaba finalmente se revelando para Ember e acaba contando para ela o que ele é e qual é o seu trabalho. Ember se encanta pelo Outro Mundo, com suas tecnologias nunca antes ouvida por ela, e deseja conhecê-lo mesmo Jack a alertando que é um mundo muito perigoso, especialmente para uma bruxa despreparada. Apesar de forte, Ember ainda não tem controle do que pode fazer e nenhum treinamento para se defender.

Porém Ember começa a sentir uma força a puxando para o mundo mágico, e essa urgência começa a crescer a cada dia. Ela então decide, com a ajuda de seu amigo humano, Finney – um menino muito inteligente que inventa diversos equipamentos que serão úteis para Ember – se equipar com seus feitiços e tenta enganar Jack de diversas formas, para poder atravessar a passagem para o Outro Mundo, mas ela só consegue se frustrar a cada tentativa, e arrancar gargalhadas de Jack, deixando-a irritada e mais obstinada a ter êxito.

Até que um dia ela conhece um encantador vampiro, chamado Deverell, mandado para o mundo mortal, pela bruxa superior, para encontrar Ember a levá-la ao Outro Mundo. Ember não confia no vampiro em um primeiro momento, e preferiria conhecer essa dimensão na companhia de Jack, mas Dev é um ser audacioso e convincente, e com a crescente força chamando Ember para o outro lado, ela acaba embarcando nessa jornada com o vampiro.

Ember chega no Outro Mundo e vai descobrir coisas que ela nunca poderia imaginar que existissem. Essa dimensão é anos luz mais avançada que o mundo mortal, e tudo funciona a base de luz de bruxaria. Isso já me fez ficar esperta e se eu não estivesse convencida de que Ember estava indo para se meter em uma grande encrenca, quanto mais ela conhece o Outro Mundo, mais certeza eu tinha de que algo não estava nada certo. Eu só não sabia se tinha algo a ver com a bruxa superior, com o Dev, o vampiro misterioso ou com o Senhor. Mas esse mundo funcionar a base do poder de uma bruxa, só sendo permitido a existência da bruxa superior ali, não poderia ser um bom sinal.

“Ele sabia que o Senhor do Outro Mundo e a bruxa superior só tinham um motivo para desejar Ember, e esse motivo não era nada altruísta: eles precisavam de uma substituta. A bruxa superior estava velha e fraca, e Ember era jovem e poderosa.”

Enquanto Ember vai explorar esse novo mundo com Dev, que surpreendentemente é um cavalheiro com ela, Jack não demora para descobrir que sua bruxinha teimosa conseguiu fazer a passagem e agora ele precisa ir atrás dela. Não só para proteger e trazê-la de volta para casa em segurança, mas para cumprir com seu trabalho que é manter uma bruxa longe do Outro Mundo. Ele não quer que descubram sobre a existência de Ember, pois sabe que coisas ruins podem acontecer.

Começa então uma incrível viagem pelo Outro Mundo, com Ember tomando conhecimento de várias criaturas e suas habilidades. Ela se aproxima bastante de Dev, que demonstra estar se afeiçoando a ela. Para Jack a viagem não é nada prazerosa, ele só quer encontrar sua protegida e vai contar com a ajuda de Finney para isso.

A chama de Ember me conquistou desde a primeira página. Que história encantadora. Ember é uma mocinha com uma força gigantesca, e não estou falando só do poder, e sim de personalidade. Apesar de nova e com uma imaturidade que se junta com a ingenuidade, eu me apaixonei por ela. No posso mentir e dizer que ela não me irritou em alguns momentos, porque aconteceu rs, mas teve vários outros momentos que eu disse “ISSO garota, mostra quem é que manda.” Empoderadíssima, não há como negar.

“– Tem uma coisa que você precisa saber sobre mim – falou Ember, saltitando para mais perto dele e cutucando seu peito. – Ninguém, nem mesmo um lanterna bonito que carrega uma abóbora, me diz o que eu posso fazer.”

Jack é um lanterna muito eficiente, apesar de detestar seu trabalho, mas que quebra as regras para proteger Ember. A amizade que cresce entre eles é tão natural e bonita. É tudo MUITO inocente e puro. Devido a sua posição, ele é bem poderoso e vai usar todos os seus recursos para encontrar Ember. Já Dev, eu não me empolguei muito com o personagem. Apesar de aparentemente não ter intenção de ferir Ember, e parecer ter sentimentos por ela, eu nunca tinha total certeza de suas intenções e isso me fez ficar com o pé atrás com ele a todo momento. Outro apaixonado por Ember é Finney. Ele é adorável. Um amigo fiel, sempre a postos para ajudar. Ele não se assusta fácil e se adapta muito bem ao Outro Mundo, ou pelo menos melhor do que eu esperava.

Já perceberam que o que não falta é pretendentes para nossa bruxa rs. Quem conhece a escrita da Colleen já conhece essa dinâmica rs, mas também sabe que o amor real prevalece sempre, independente de qualquer situação. Eu venho tendo sorte de shippar corretamente haha. Muitos outros personagens interessantes vão surgindo ao longo da história. Uns para o bem, outros para o mal, mas todos muito bem construídos. E tem um casal coadjuvante que eu aprendi a amar e torcer, pena que não tiveram o destaque que eu desejava, mas eu totalmente entendo e aceito o tempo de história deles.

Essa história me deixou presa do início ao fim. Eu não conseguia largar e só deixava o livro de lado quando não tinha jeito mesmo, afinal eu precisava trabalhar, estudar e dormir rsrs. Mas todo mínimo tempinho que eu tinha, eu estava grudada nesse livro. É uma trama bem leve, mas não menos instigante. Há várias perguntas suspensas no ar, que vão sendo respondidas aos poucos e quando tudo é revelado, faz todo o sentido e me fez pensar “como eu não tinha pensado nisso?”. Teve alguns detalhes que eu vinha imaginando que poderiam ser, e no fim se concretizaram, mas mesmo eu suspeitando, não deixou de me cativar.

“Você não está errado. Antes de Ember eu observava mais do que agia. Agora, sou vagalume preso no pote dela. Ela me leva para onde bem entende. Até que me liberte, preciso estar nessa estrada com ela.”

A Chama de Ember é recheada de referências a contos e lendas, como Jack O’ lantern, Frankstein, A Ilha do Dr. Moreau, A lenda do Cavalheiro Sem Cabeça, e até do Bicho Papão, e isso é um grande destaque do livro. Eu já conhecia a escrita da Colleen – já tinha me apaixonado por ela na série A Maldição do Tigre – então eu não estava esperando uma trama muito assombrosa, apesar de todas as referências, e achei que esses detalhes casaram muito bem com a história, deixando o livro mais interessante para mim.

O livro é contado em terceira pessoa e tem o ponto de vista de vários personagens, apesar de os personagens principais terem mais voz. Isso ajudou a construir um suspense e deixar a história muito mais proveitosa. Colleen tem uma escrita fluída, e que mesmo detalhada, não deixa de nos envolver. A diagramação não decepciona, com páginas amareladas e fonte e espaçamento confortáveis. E essa capa gente? é a coisa mais linda.

Esse livro é divertido e aventureiro, e totalmente voltado mesmo para o Halloween, apesar de ser beeem sutil. Colleen conseguiu homenagear muito bem essa data adorada por muitos, com uma escrita leve, que alcance a todos. Tudo muito repaginado e com algumas surpresas pelo caminho. Confesso que não é o melhor livro dela, na minha humilde opinião, mas conseguiu me envolver e me proporcionou uma ótima leitura. Vai levar cinco Angélicas sim rs. Espero que tenham gostado e continuem acompanhando, que nossa semana do terror ainda não terminou.

4 comentários em “Semana do Terror 2019/ A Hora do Chá: ‘A Chama de Ember – Colleen Houck’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s