A Hora do Chá: ‘Algo Maravilhoso – Judith McNaught’

Oi gente!! Estou de volta para apresentar o segundo livro da trilogia Sequels da autora Judith McNaught: Algo Maravilhoso. E aiii gente, que amor de livro. É o segundo livro que eu leio da autora e apesar da minha experiência ruim com Agora e Sempre, a Judith se safou com esse livro. Antes de explicar os motivos de ter gostado tanto dessa história, leiam a sinopse…

“Alex sabe que é diferente das outras garotas. Após a morte do pai, viu a situação financeira da família caminhar perigosamente rumo ao abismo, e coube a ela se tornar “o homem da casa”. Apesar das dificuldades, Alex ainda crê que alguma coisa extraordinária possa acontecer. No entanto, salvar a vida do belo Jordan Townsende, duque de Hawthorne e um famoso libertino, não estava em seus planos, assim como casar com a jovem que o livrara de uma bala no peito não estava nos de Jordan. O duque tem uma dívida com a Srta. Lawrence… E ele nunca deixa de quitar seus débitos. Estabelecê-la em uma de suas propriedades, no interior, e, então, retornar a Londres e à cama de suas amantes parece ser o arranjo perfeito. Sua rotina não precisa ser abalada. Exceto que o espírito livre de Alex cativa Jordan, profunda e rapidamente. Um pouco tarde demais, o duque percebe que seu coração de pedra não é tão duro quanto imaginou, e sua esposa pode ser um perigo muito maior que aquela bala.”

20190815_154853

Alexandra Lawrence não se parece em nada com as jovens damas de sua idade. Ela sempre foi muito esperta e inteligente, pois seu avô sempre achou que o conhecimento era tudo. Aos 14 anos, ela perde o pai, que era super ausente, mas mantinha as contas da casa em dia e acaba se vendo a beira do abismo financeiro. A mãe, que deveria ter assumido a responsabilidade pela casa e a filha, só sabe chorar pela perda do marido e tudo se torna pior quando descobrem que ele sempre manteve outra família em Londres. A partir desse dia, Alex se torna “o homem da casa”.

Ela precisa resolver tudo e três anos depois, ela se vê cada vez mais na corda bamba. A mãe de Alex acredita que ela precisa fazer um bom casamento e assim salvar a casa em que vivem, mas isso está fora dos planos de Alex. Ela não tem nada que possa agradar um bom marido, pois ela nem mesmo se veste como frequência como uma dama. Por ter que fazer vários trabalhos que precisavam ser desempenhados por homens, Alex vive zanzando de camisa e calças para o desespero da mãe. Fora que ela sempre treinou esgrima para agradar o pai, então a Alex de 17 anos tem um corpo super magro e aparentemente poderia ser confundida com um menino.

“— O que você acha que vai acontecer? — Alexandra sentiu um arrepio de antecipação. — Algo maravilhoso.”

Apesar de todas as dificuldades e desilusão, Alex sempre acreditou que algo maravilhoso aconteceria com ela. Alex só não esperava que isso envolveria um homem como o famoso libertino Jordan Townsende, Duque de Hawthorne. Ela acaba desmaiando ao salvar Jordan de uma tentativa de assalto e ele como um bom cavalheiro leva Alex para uma estalagem. Ele acreditava se tratar de um menino, então nem imaginou que estava estragando a reputação de Alex ao carrega-lá para um quarto. Para evitar um escândalo, Jordan acaba assumindo o compromisso de se casar com Alex. Mas vai muito além disso, Jordan se sente em dívida com ela, então ele casa com ela para quitar sua dívida.

Jordan é um libertino em Londres e como tal, os planos de casamentos passam longe da vida dele, mas a pequena Alexandra acaba conseguindo se casar com ele. Só que Jordan planeja instalar a esposa numa de suas casa de campo e continuar com sua vida em Londres. Depois que ela atingir a maioridade, ele produzirá um herdeiro e tudo continuará com sempre foi. Ele é muito cético sobre amor, bondade e não acredita nas mulheres, então se vê cada vez mais envolvido pela inocência e generosidade de Alex. Ele não sabe, mas ela está determinada a ter um casamento onde os dois se amem. O casamento é de conveniência, mas uma tragédia acontece e o ‘felizes para sempre’ de Alex com Jordan se torna impossível.

“Sua esposa acreditava em honestidade, confiança e amor – e pretendia que ele seguisse esses preceitos. Jordan poderia ficar bem longe de tudo isso. Ela era uma sonhadora delicada; ele era um realista inveterado.”

A segunda parte do livro envolve o momento em que o possível ‘felizes para sempre’ do nosso casal é interrompido, então eu não vou contar para vocês e vou manter isso em segredo para quem quiser ler Algo Maravilhoso. Dito isso, eu vou falar da minha experiência em ler outro livro da Judith McNaught. Foi extremamente melhor. Se eu tivesse começado por esse, a autora poderia estar no meu Top de autoras de romance de época, mas antes de Algo Maravilhoso, teve Agora e Sempre e não foi totalmente satisfatório.

Enfim, esquecendo Agora e Sempre, vamos falar de Algo Maravilhoso e para começar eu tenho que agradecer por ele ter sido o escolhido da Carina Rissi para o seu clube. Ele foi o segundo livro inédito do clube e caixinha chegou em março, mas os livro só foi para as livrarias em junho. Algo Maravilhoso não poderia ficar de fora do clube e a Carina acertou em cheio em trazer um romance cheio de reviravoltas para a segunda caixinha. Sem falar que os brindes mais uma vez tem tudo a ver com a história. Só deixo meu lamento por não ter vindo o marcador do livro.

20190815_154948

Em Algo Maravilhoso conhecemos uma mocinha totalmente fora dos padrões e que apesar da pouca idade e das dificuldades que enfrentou, nunca desistiu de ver o lado bom das pessoas e ela viu que existia um lado bom em Jordan. Ela teve uma origem humilde, mas sempre foi muito inteligente. Alex também sempre foi muito inocente e bondosa, coisas que Jordan nunca soube ser. Ele cresceu numa família com muito dinheiro, mas nenhum amor. Ele se tornou um homem que sempre teve a mulher que quis sem prometer nada em troca. Quando conhece Alex, ele sente que ela é diferente, mas ao mesmo tempo não quer ser se enganado por uma menina humilde.

Eu me apaixonei perdidamente por esse livro. Não tem leitura arrastada, não tem pontas soltas ou personagens desinteressantes. Fora que é impossível não se apaixonar por Jordan, o que não aconteceu com o mocinho do livro anterior. Tudo em Jordan é fascinante até mesmo seu jeito cético de ser, então não julgo Alex por ter se apaixonado perdidamente por ele. Lógico que ele comete erros, mas ao longo da leitura você entende suas reações. Ele sempre foi muito desiludido para atos de bondade, então é bem difícil acreditar que Alex goste dele pelo o que ele é. Fora que temos o amadurecimento dele após a tragédia que mencionei acima e Jordan volta determinado a conquistar Alex.

“Porque basta você me tocar para eu ficar louco de desejo. Porque você é capaz de me deixar mais furioso do que qualquer outra pessoa, é porque, mesmo no auge da minha irritação, ainda consegue me fazer rir. Porque, quando se trata de você, sou vulnerável.”

Quanto a Alex, ela é a personagem que mais muda durante o livro. Só que ela muda seus modos, mas não a sua personalidade. Ele se vê tendo que se adaptar a alta sociedade londrina e ao seu posto de duquesa, mas ao mesmo tempo ela continua aquela mesma menina doce que Jordan conheceu. Assim como Jordan, Alex amadurece e além de desabrochar como uma linda mulher, ela se torna cada vez mais dona de si e de suas vontades. Em vários momentos tivemos embates entre eles e ela não abaixou a cabela para ele. Jordan ralou bastante para recuperar Alex. Ela estava decidida a fazer ele sofrer mesmo que seu coração sofresse por ele.

Falar dessa edição de Algo Maravilhoso é muito fácil porque está verdadeiramente maravilhosa. A capa está lindíssima, toda envernizada e se conecta com a capa do livro anterior. Falando de conexão é importante ressaltar que apesar de ser o segundo livro da Trilogia Sequels, as histórias não tem ligação nenhuma, então pode ler na ordem que quiser ou ler apenas esse aqui, caso você tenha recebido ele na caixa do Clube da Carina, e não tenha o primeiro livro. A diagramação é bem simples, mas a fonte e o espaçamento são confortáveis para a leitura. É um livro narrado em terceira pessoa, mas temos as percepções dos dois personagens, coisa que foi muito importante após a tragédia.

20190815_154921

Algo Maravilhoso é realmente maravilhoso. Um título que faz jus ao enredo. Sabe aquela história com zero defeitos? É essa. A Tia Juju me conquistou em cada linha e veio com um epilogo tão lindo que foi difícil se despedir dessa história. Ela construiu um enredo com personagens cativantes, nada clichê e tem até uma pegada de mistério na segunda parte que faz a gente ficar grudada no livro. Além disso vemos como a sociedade londrina era maldosa com quem não fazia parte dela. E o melhor, vimos um amor sincero sendo construído entre duas pessoas improváveis, mas que mostraram que poderiam vencer os obstáculos se confiassem um no outro.

O terceiro livro da trilogia, Alguém Para Amar, já está em pré-venda e em breve venho falar dele pra vocês. Se você não gostou do livro anterior porque achou abusivo, fique à vontade para ler Algo Maravilhoso e se apaixonar por um mocinho digno dos romances de época. É uma leitura completamente envolvente e que com certeza figura entre os melhores que li esse ano. Depois ter me debulhado em elogios é impossível não dar 5 Angélicas né? Alex e Jordan venham pegar as 5 Angélicas que vocês merecem.  CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

Um comentário em “A Hora do Chá: ‘Algo Maravilhoso – Judith McNaught’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s