Resenha ‘Te Devo Uma – Sophie Kinsella’

Oi ooooi gente! Hoje eu trouxe a resenha do lançamento do dia do selo Record, do Grupo Editorial Record. Mas, se é o lançamento do dia, vocês devem estar se perguntando, como eu já li a ponto de fazer resenha, não é? A verdade é que esse foi o livro inédito da terceira caixa do Clube de Romance da Carina, onde nós recebemos o lançamento uns três meses antes dele chegar as livrarias. E, tivemos um da rainha dos chick-lits. Então, vamos conhecer a mais nova história de Sophie Kinsella…

Fixie Farr não consegue deixar nada pra lá. Se encontra alguma coisa fora do lugar, quer logo ajeitar, se um amigo está em dificuldade, já começa a pensar em como pode ajudar… Ela sente necessidade de arrumar tudo. Tudo!
Então, quando um estranho em um café lhe pede que fique de olho em seu laptop por um instante, ela não só se compromete a tomar conta do computador como acaba salvando-o de um grande desastre. Sebastian, muito tocado com o gesto de Fixie, não sabe como lhe agradecer, então pega um protetor de copo e o entrega a ela depois de escrever nele: “Te devo uma”. Fixie acha a atitude muito fofa, mas duvida que voltará a vê-lo.
Até o dia em que um antigo crush da época da escola volta para sua vida e Fixie precisa ajudá-lo. Ela então recorre a Seb, mas as coisas não dão muito certo. Agora é ela quem fica lhe devendo um enorme favor, e isso gera uma troca de favores infinita que obriga Fixie a enfrentar um passado que cheio de mágoas para abraçar o futuro que ela de fato merece.

O apelido de “Fixie” tem um motivo: ela não consegue deixar as coisas para lá. Ela precisa resolver problemas, precisa consertar o que está errado. Sempre, na mesma hora se possível. Se por um lado isso pode ser muito bom, por outro, isso significa que ela acaba se envolvendo demais e acaba até sendo explorada por outros.

618

Ela é a irmã mais nova da família, que acabou vendo seus planos de negócio indo para o ralo junto com a falência. Com isso, Fixie voltou a trabalhar na loja de sua família, afinal ‘família em primeiro lugar’, foi algo que ela aprendeu desde sempre. Com isso, ela acaba se sentindo inferior aos seus irmãos mais velhos, principalmente em relação a Jake, que vive fazendo vários negócios e se dando bem com eles. Ele é uma pessoa fútil, que vive querendo transformar a loja de sucesso da família em algo que não é, apenas pelo status. Sua outra irmã é Nicole, muito preocupada com a aparência, seus problemas, o fato de estar longe de seu marido e, bem, bastante manipuladora.

Não consigo parar de olhar para aquela bagunça. Meus dedos estão fazendo aquele negócio que fazem quando eu fico desesperada para resolver uma coisa; quando uma situação começa a me enlouquecer. Eles ficam tamborilando sem parar.

Fixie tem um amor de anos, Ryan. Ele foi sem empresário em Los Angeles, deu certo por alguns anos, só que agora ele voltou para Londres, já que seu castelo ruiu. Com isso, nossa mocinha acredita que é a chance que ela precisava de conseguir ficar com o homem que ama. Só que ela vai aprender quem ele é de verdade.

Nesse meio tempo, ela vai para um café espairecer a cabeça e, ali, sua vida vai se cruzar com a de Sebastian. Onde eles estão, está com um probleminha no teto e, quando ele pede para ela ficar de olho no notebook dele enquanto atende uma ligação, Fixie vai levar isso bem a sério, a ponto de salvar o aparelho de um desabamento. Isso vai dar início ao ciclo de “dever favores” entre eles e a importância de um copinho de café.

– Você acha que eu estou brincando. Mas não estou, não. Eu te devo uma, Fixie Farr. Lembre-se disso.
– Ah, pode deixar! Vou me lembrar disso.

Por causa de uma pressão de Jake e Ryan, Fixie entrará em contato com Seb e depois de um mal entendido, a amizade deles vai nascer de verdade. A ponto dela até mesmo conseguir salvar a vida dele, depois de um ataque. Com isso, a protagonista acaba ganhando alguém para desabafar, além de sua melhor amiga, sobre os problemas que a rondam.

619

Espero que o que eu tenha falado até agora, seja o suficiente para despertar a curiosidade de vocês, porque quero deixar toda a evolução de Fixie como uma surpresa. Inclusive, invertendo a ordem de como sempre faço, quero falar da trama primeiro. Eu sou uma grande fã de chick lits. Acho que são leituras leves, com problemas reais, para mulheres bem reais. Além disso, o foco são sempre as protagonistas, seus dramas, suas evoluções e seus aprendizados. Tem aquela gota de romance, que aquece nossos corações, mas o foco é ela se descobrir e ver o quanto é incrível.

Nunca mais vou cometer o mesmo erro de novo. Nunca mais vou me deixar não ver a verdade. Nunca mais vou cruzar os dedos e torcer. Nunca mais vou entrar em um negócio com base em conversa fiada, promessas e apertos de mão. Se teve uma coisa boa nisso tudo foi que aprendi e fiquei bem mais esperta.

E isso que acontece com a Fixie. Começamos o livro com ela morrendo de medo de impor suas ideias para seus irmãos, medo de mostrar sua voz e seus ideias. Tudo isso porque fracassou no passado. Mas, no presente, será ela que que mudará as coisas e conseguirá ajudar todos a sua volta a enxergarem os verdadeiros pontos. Ela vai evoluindo muito durante o livro e é gratificante ver essa mudança a ela, o quanto faz bem. Claro que até ela se posicionar, me deu vontade de dar uns sacodes, mas faz parte haha. Além disso, a história trás lições de vida para outros personagens também, além da importância da família, do perdão, de ter coragem, de recomeçar acima de tudo.

Fixie é uma protagonista muito querida. Apesar de ter, sim, sentido vontade de dar uns sacodes nela, não era nem por mal. Mas sim para ela conseguir se posicionar sem medo, até porque, ela é super inteligente e mostra que sabe muito bem o que fala. Além da área profissional, ainda tem a amorosa, onde eu queria poder ser amiga dela e da Hanna e falar “amiga, corre que é cilada”. Só que tudo acaba sendo uma lição muito importante para ela, sendo fundamental para torná-la a mulher do final.

Família não se trata apenas das pessoas com quem você compartilha laços de sangue, e sim daqueles com quem você compartilha lealdade, amizade e respeito. Família são as pessoas que você ama.

Dos outros personagens, temos Seb, alguém que acaba ajudando Fixie e com quem ela vai se abrir sobre os problemas que tem com a falta de confiança. Ele irá ajudá-la e o romance entre eles será suave, mas terá seus problemas também. Além disso, sua história do passado também é bem interessante e triste. Temos Hanna e Tim, amigos da nossa mocinha, super incríveis e queridos, com seus problemas e suas felicidades de casal. O pessoal que trabalha na Farr também é bem legal e vamos acompanhá-los nessa aventura.

620.JPG

Falando da Família Farr, não é muito fácil aturar os irmãs não. A mãe é uma querida, mas parece que não quer enxergar como funciona as coisas entre os filhos. E depois que ela acaba parando no hospital por causa da saúde, decidindo para de trabalhar e sair de férias, ela acaba sendo blindada dos problemas, pela Fixie. Jake tem uma coisa boa: Leila, sua esposa. Ela é uma pessoa tão querida e fofa. Mas fora isso, durante grande parte do livro, tive instintos violentos com ele. Imbecil é uma palavra até fofa para falar dele. Ele vai precisar de um senhor choque de realidade para descer do pedestal e entender como tudo na vida funcional. Nicole também é bem irritante. Ela chega a se fazer de burra, para manipular as coisas a seu favor. Outra que vai precisar de um sacode para entender as coisas, mas vai fazer coisas muito fofas para superar o seu lado intragável.

Começo a pensar que eu talvez tenha tido sorte. Todos nós temos de enfrentar algum tipo de fracasso na vida, e eu passei pelo meu bem cedo. E me reergui. Aprendi que fracassar não significa que você é um fracasso, mas apenas que você é um ser humano.

Outro livro super gostoso da Sophie. Acho que quem conhece um pouco da autora, já sabe que suas histórias costumam ser super gostosas, leves, cativantes e fluidas. São 400 páginas que passam super rápido. Fazia até um tempo que não lia nada da autora, o que é uma pena, porque lembrei o quanto suas histórias me conquistam. Além de ter aqueles toques sutis de lições para gente aprender.

Quanto a edição da Record, acho a capa fofinha que só, mas achei que não tem ligação com a trama e isso me deixa um pouco incomodada, não vou mentir. Por dentro, ele vem com uma diagramação simples, de folhas amareladas, com letras e espaçamento confortáveis para a leitura. Como o meu livro veio dentro da caixa do Clube, ainda tive os brindes relativos a trama e eu adorei. Achei que teve super a ver, principalmente o copo. Eu tenho o copo do Seb e da Fixie ❤

Ler uma história da Sophie, sempre me faz rir, refletir e aprender mais uma coisinha, mesmo que seja da forma mais leve e sutil possível. Enquanto deixo minhas cinco Angélicas, só consigo pensar que preciso de outro livro dela para ler haha

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

10 comentários em “Resenha ‘Te Devo Uma – Sophie Kinsella’

  1. Não li nada dessa autora ainda, mas só pela sua resenha eu já amei o estilo de escrita que ela tem. A história parece ser muito boa, fiquei com uma imensa vontade de ler também.
    Adorei a resenha.

    Curtir

  2. Que bonitinho essa troca de favores entre a Fixie e o Sebastian! É uma maneira fofa de iniciar uma amizade que, ao que parece, vai evoluir para um romance. A evolução da protagonista em relação ao seu posicionamento familiar mais determinado é notável e inspirador. Um livro leve mas com ensinamentos de vida preciosos.

    Curtir

  3. eu ainda não tive oportunidade de ler coisas da Sophie, tenho muita vontade, mas me falta tempo, choremos hahahaha
    Adorei essa resenha, deve ser mesmo uma história que faz a gente pensar em muitas coisas, principalmente o fato de que ela precisa resolver as coisas, eu sou muito assim, já senti uma identificação hahahahaha
    Amei as fotos também

    Curtir

  4. Me vi um pouco na Fixie sabia disso?
    Eu sou um pouco medrosa com algumas coisa. E Fixie também poupa a mãe demais por conta da saúde, olha, é um pouco complicado isso.
    Li poucos livros da Sophie, e te vou te dizer que esse me chamou muita atenção! Quero ler

    Curtir

  5. Oi Raíssa,

    Ainda não li nada da Kinsella, acredita?! Tenho muita vontade de conhecer a escrita da autora, por achar que faz muito o meu estilo de leitura, mas não sei por onde começar.
    Gostei bastante da premissa dessa história, e por leve e fluída, creio que iria devorar sem nem sentir e iria adorar a leitura. Saber que é um livro que também faz refletir é um ponto muito positivo para mim, pois gosto de narrativas assim. Quanto a capa não combinar com a história, isso também me deixa incomodada, mas a capa está linda!
    Amei o seu post, como sempre bem escrito, deixando aquele gostinho de quero mais!

    Beijos!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s