Resenha: ‘A Ladra – Emi de Morais’

Oi gente! Eu conheci a série Os Agentes da BSS no ano passado quando a Editora Charme nos enviou um exemplar de A Decodificadora. Eu acabei de ler e pensei: quero mais dessa série, mas apenas esse ano a editora e a autora Emi de Morais lançaram A Ladra. Como Ramon era o meu agente preferido já peguei o livro com altas expectativas e só tenho uma coisa a dizer: eu devorei essa história. A Ladra é uma história com novos protagonistas, mas o enredo está muito ligado ao livro anterior. Então teremos possíveis spoilers. Antes de falar mais, leiam a sinopse…

“Ramon é um mexicano intempestuoso e temperamental que se orgulha de fazer parte da BSS, a agência de serviço secreto mais famosa do mundo.
Quando conhece Nicole Palmer, a moça com olhos inocentes e rosto de fada, não consegue entender como a noite mais singela da sua vida se tornou, de repente, a melhor, a mais gostosa, a que ele queria repetir mais e mais vezes.
O que Ramon não poderia imaginar era que estava se envolvendo com uma das ladras mais procuradas pelos departamentos de segurança dos Estados Unidos.
Nesta segunda história da série “Os agentes da BSS”, você vai conhecer melhor o sexy e implacável Ramon, que vai enfrentar a difícil decisão de cumprir a lei dos homens ou a do coração. Ele vai aprender, da maneira mais difícil, que o coração, muitas vezes, ignora a razão e faz suas próprias escolhas.”

Após a missão para desfazer a rota de drogas de Júlian, Murilo foi contratado pela BSS, a maior agência de serviço secreto dos Estados Unidos. Ele precisará sair do Brasil e como a namorada, Babi, e o irmão dela, Thiago, precisam de um novo começo, eles partem juntos rumo à uma nova vida, mas com novas identidades. Afinal alguém do cartel ainda poderia estar interessado neles. Eles  se instalam numa boa casa, num bom bairro e aos poucos vão criando suas novas rotinas.

Thiago, que agora se chama Marcos, é um adolescente que sofreu muito como prisoneiro do cartel e apesar de muito jovem já viu muitas coisas que não deveria. Agora ele tem a chance de ter uma nova vida, mas depois do que viveu, passou a ser uma pessoa desconfiada e observadora. É por isso que ele fica desconfiado quando ver uma movimentação estranha na casa da frente. Logo ele conhece Nicole Palmer e os dois criam uma linda amizade. Ele apresenta a irmã e logo Nicole se vê convidada para um churrasco na casa dos novos vizinhos.

“Somos irmãos. Você é a única pessoa que tenho e com quem me preocupo. Eu sofri, você sofreu, mas nós sobrevivemos. O resto fica pra trás.”

Nick é uma mulher super trabalhadora e batalha todos os dias para pagar a hipoteca e pelos os remédios que o pai precisa. Ele sofreu um AVC e agora é dependente dela e da madrasta. Se isso não fosse problema suficiente para uma moça tão jovem adicione um ‘irmão’ viciado, que some por dias e quando volta acha que é dono da casa e que pode tirar todo o dinheiro da família pra continuar alimentando o vício. Rafe agora é um homem agressivo e que não medira esforços para conseguir o que quer e ele quer Nick. Ele sempre nutriu sentimentos pela ‘irmã’ e acha que Nick precisa lhe dar uma chance.

Ramon é um dos agentes secretos da BSS e que trabalhou no caso de Babi no Brasil. Ele acabou se tornando um grande amigo de Murilo e agora que todos moram no mesmo país a amizade foi além do trabalho. Ramon é conhecido pelos amigos como um pegador e que não quer se prender num relacionamento quando pode sair com a mulher que quiser. Ele vive zoando com a cara de Murilo por ele ser o presidente do Clube da Poção do Amor e que ele não quer ser um membro do clube, mas isso muda quando ele conhece Nicole num churrasco na casa dos amigos.

20190703_142421

Ramon se interessa rapidamente por Nick, mas ela tem medo de se envolver com ele por causa de Rafe. Ele está cada vez mais possessivo com ela e passou a espancá-la e ameaçar de matar o pai de Nick caso ela não se comporte. Nick acaba cedendo as investidas de Ramon e decide que vai sair com aquele homem lindo. A partir daí, eles começam a se ver com mais frequência, mas isso terá consequências gravíssimas para Nick. Ela não conta pra ninguém que Rafe não é seu irmão de verdade, que é o filho de sua madrasta e que eles cresceram juntos, então nada justifica o comportamento de namorado ciumento que Rafe tem com ela. Apenas Thiago sabe, mas ele prometeu à Nick que não contaria seus segredos.

Enquanto ela acha que parte de sua vida está melhorando ao sair com um homem lindo e gentil como Ramon, o outro lado está desmoronando. A cada dia tem mais parcelas da hipoteca acumulada, mais remédios do pai para comprar e ainda tem Rafe levando tudo que pode. Nick se vê sem saída, então procura Vincent, um criminoso super importante de Boston e que conhece as habilidades de Nick. Ele oferece um trabalho super perigoso, pois confia que ela fará com rapidez e eficiência. Ela precisa entrar nos maiores departamentos de segurança dos EUA e roubar documentos sobre o paradeiro da decodificadora e seu irmão, além de todos os dados sobre o cartel de Júlian.

Nick aceita porque o dinheiro é bom e precisará de todas as suas habilidades como bailarina para passar em cada um dos departamentos, mas os homens da BSS são inteligentes e já estão armando para pegar A Ladra. Além disso, Nick acaba juntando as peças e descobrindo que seus novos vizinhos são as pessoas que Júlian quer encontrar. Como ela poderá ajudar a família a não ser despejada sem trair a confiança dos novos amigos e principalmente do homem que vem conquistando seu coração?

“Deus do céu, o que ela estava fazendo? Estreitando laços com uma agente! Ah, pelo amor de Deus, ela devia ter perdido a razão mesmo!”

Eu estava muito empolgada para ler A Ladra e felizmente ele não decepcionou. Eu já tinha ficado bastante encantada pela trama criada pela Emi em A Decodificadora, mas foi ótimo ver que a sequência não perdeu o ritmo e ainda conseguiu ser melhor. Tivemos a volta de personagens já conhecidos, então é necessário que leia na sequência correta. Tem muitos livros de série que podem ser lidos separadamente sem estragar a leitura, mas nesta série, a narrativa que começou no primeiro livro ganha novos personagens em A Ladra.

Nicole me conquistou completamente, pois ela é uma daquelas personagens que corre atrás do que quer. Apesar da vida não ter sido fácil, ela continua acreditando que pode melhorar. A chegada de Ramon na sua vida é exatamente isso: uma oportunidade para ser jovem, livre e cheia de sonhos, mas essa realidade vive esbarrando naquela onde ela é humilhada, espancada e abusada pelo meio-irmão. Ela pode ser a ladra neste livro, mas ela está muito longe de ser a vilã. As circunstância da vida, a levaram a aceitar um trabalho perigoso e ilegal. Dá um aperto no coração de vê que ela quer mudar de vida, mas parece que sempre é puxada para essa vida difícil.

“Ele era um agente, e ela, uma ladra. Dois mundos opostos que nunca poderiam dar certo.”

Eu já tinha gostado de Ramos desde o primeiro livro. Ele tem um jeito divertido e ao mesmo tempo é super responsável com o trabalho. Ele se orgulha da vida despreocupada que leva. Ele é um solteirão convicto, então tem dificuldades para entender e aceitar tudo que está sentindo por Nick. Em alguns momentos, eu fiquei possessa de raiva dele, mas entendi que ele estivesse vivendo um dilema. É nítido o quanto ele amadurece durante a história e quanto ele gosta e faria qualquer coisa por Nick.

A ligação com o livro anterior nos permitiu acompanhar a nova vida de Babi, Murilo e Thiago. Eu ainda não simpatizo muito com o Murilo, mas quem sabe até o final da série, isso não aconteça né? Agora se tem um personagem que eu amo e quero cuidar, esse personagem é o Thiago. Eu quero um livro sobre ele, pelo amor de Deus. Além de trazer personagens já conhecidos, eu amei que a Emi veio esclarecendo algumas pontas soltas do livro anterior e assim pudemos ter o mesmo pano de fundo, mas com a inserção de novos personagens e de novos perigos.

A edição de A Ladra segue a padronização do livro anterior, mas a marca d’água nas páginas está mais suave. Eu ainda prefiro as páginas completamente livres de imagem, mas acho um charme ter nas aberturas de capítulo. A capa está linda e também segue a padronização. A diagramação tem fonte e espaçamentos confortáveis para leitura. A narrativa é toda feita em terceira pessoa, o que pode confundir quem não tem hábito de ler livros assim.

20190703_142451

A Ladra é um romance policial eletrizante. Temos um enredo cheio de perigos e muita adrenalina, mas sem deixar de lado o romance quente entre o casal. Além disso, Emi trouxe um assunto super pertinente a ser debatido que são a violência doméstica e a dependência química. A escrita da Emi super fluida e envolvente, então é pegar pra ler e não querer largar. Já estou preparada para o próximo livro (que pudia ser pra logo) e cheia de curiosidade de saber o que poderá acontecer com essa turma. Deixo minha 5 Angélicas par Ramon, Nick e seus amigos.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s