Resenha: Em Pedaços – Lauren Layne

Oiiii pessoas. Hoje trouxe a resenha de um livro super amorzinho, que nos traz uma história à la A Bela e a Fera. Sendo esse o meu conto de fadas preferido, só me fez querer esse livro ainda mais. Antes de mais nada, confere a sinopse…

“Aos vinte e dois anos, Olivia Middleton tem Nova York aos seus pés. Por fora, ela é a garota perfeita — linda, inteligente e caridosa — mas, por dentro, guarda um segredo terrível: um erro que a afastou das duas únicas pessoas que realmente importavam na sua vida. Determinada a esquecer o passado, ela deixa Manhattan e vai trabalhar como cuidadora de um soldado recém-saído da guerra. O que ela não esperava era que seu paciente seria um jovem enigmático de vinte e quatro anos tão amargurado quanto atraente. Paul Langdon está furioso — com o mundo, com a vida, com o seu pai e, principalmente, consigo mesmo. Depois de sofrer na pele os horrores da Guerra do Afeganistão, a última coisa que ele quer é a companhia de uma princesinha nova-iorquina linda, mimada e irritante. A presença de Olivia parece tóxica para Paul: ela o incomoda, mas ele não consegue afastá-la, por mais que tente. Nessa recontagem moderna de A Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.”

Olivia fez algo no qual agora, se afoga em culpa. Ela se deixou levar por uma situação que não deveria e que, além de acabar com uma amizade de anos, magoou pessoas que ela amava, e até ela mesma saiu super ferida. A culpa de tudo dar errado não foi só dela. Aliás, analisando a situação toda depois, a gente percebe que ela estava errada sim mas não detém a maior parte da culpa da qual ela toma posse.

E é por essa situação desastrosa que Olivia decide que precisa sair de Manhattan e de tudo o que cerca sua vida de luxo e reputação. Ela larga a faculdade, sem a aprovação dos pais, e decide ir para o Maine cuidar de um ex soldado que ela deduz ser um senhor debilitado precisando de sua atenção extrema. Ela é elogiada em seu meio de elite por estar sendo tão altruísta e caridosa, mas Olivia sabe que sua intenção não tem nenhum grau de caridade e amor ao próximo. A intenção dela é se castigar pelo erro cometido. Ela procura uma forma de se redimir.

“Ajudá-lo é uma maneira de me ajudar também. De provar para mim mesma que não sou um monstro.”

Mas chegando em seu destino, ela conhece Paul Langdon e ele com toda a certeza não é nada do que Olivia estava esperando.

Paul é um ex soldado sim, que passou por situações horríveis no Afeganistão, mas que ninguém tem muita noção do grau real que ele tem que lidar dia e noite. Ele sofreu um acidente em campo e todas os outros soldados que estavam com ele, seus amigos, morreram. Paul sobreviveu por muito pouco e teve suas marcas físicas como um lembrete. Ele teve ferimentos graves em sua perna, fazendo-o perder a força e um pouco do movimento e ficou com cicatrizes em seu rosto do lado direito.

Mas o que mais perturba Paul – além do fato que ele, um cara que amava correr ser impossibilitado deste prazer agora, e ter sua alto estima jogada no lixo com suas cicatrizes – são suas feridas interiores. Ele sofre calado, tirando os pesadelos, isolado em sua mansão no meio do nada. Ele nunca falou com ninguém sobre o que passou naquele dia fatídico e se fechou em sua bolha, afastando-se de todos e não aceitando ninguém perto dele, além das visitas esporádicas do pai e seus dois funcionários, Lindy e Mick.

O pai de Paul vendo o filho se afundar cada dia mais, resolve lhe dar um ultimato. Paul precisa aturar e obedecer sua nova cuidadora por três meses, senão ele será deserdado. Paul se revolta um pouco no início, mas ele tem um forte motivo para ainda precisar do dinheiro do pai, e não tem nada a ver com seu gosto por bebidas caras como seu pai acredita, então decide aceitar.

Paul só não contava que sua nova cuidadora seria alguém como Olivia. Linda, classuda e totalmente impertinente. O primeiro encontro deles termina com Paul fechando a porta na cara de Olivia. Não por ter odiado ela, e sim ter odiado a grande atração imediata que sentiu e pela necessidade de se esconder dela por conta das cicatrizes. Raiva do pai por ter contratado uma mulher muito parecida com as quais ele de relacionava antes do acidente, sendo um lembrete de tudo o que ele perdeu.

“Ele causa essa reação nas pessoas. Chegam todas esperando sentir pena, mas vão embora querendo estrangular o garoto.” 

Acontece que Olivia toma a atitude de Paul como um desafio. Ela anseia por sua redenção e muitas vezes quando Paul a maltrata, em sua mente culpada, Olivia acredita ser merecedora de tal tratamento. Ao mesmo tempo ela não vai tratá-lo como um inválido e muito menos sair correndo. Ela enfrenta a situação soando irritante, com atitude e sarcasmo, ações que uma pessoa educada para ser uma lady sem defeitos, nunca sequer pensou que poderia fazer.

Aos poucos os dois vão se conhecendo e aprendendo a conviver. A atração deles é inegável, fazendo Paul ficar até surpreso por ainda despertar sentimentos em alguém. Aos poucos Olivia vai quebrando a parede que ele construiu ao seu redor e conhecendo o verdadeiro Paul, sem toda a magoa e rancor que carrega.

Até que em um impulso movido pela curiosidade de Olivia, ela faz algo que chateia Paul profundamente, desencadeando uma briga gigante entre eles, e devo dizer que ele deu uma exagerada em sua reação neste momento, apesar de eu entender um pouco seus motivos para se chatear.

Paul então vai regredir nos avanços que estava fazendo, até chegar ao limite da babaquice com Olivia. Eu fiquei extremamente irritada com o que ele faz e quis entrar no livro para dar na cara dele. Porém Olivia ainda detém o sentimento de ser merecedora de tais ações, o que me deixa louca, e após Paul cair em si, os segredos dos dois vão surgir para colocar definitivamente os pingos nos is. Olivia só não contava que os receios de Paul eram muito mais profundos.

Ah meu pai amado, eu amei esse livro rs. Que leitura mais gostosa. Tem essa trama com uma pegada de releitura de um conto tão querido mas ao mesmo tempo cheio de personalidade própria. Eu ri, chorei, fiquei irritada, frustrada e apaixonada rs.

“Você está errado”, ela diz, baixo.
“Sobre?” Sinto o coração na garganta.
“Disse que eu teria que ver sua cara feia todos os dias.” Seus olhos, finalmente, encontraram os meus. “Mas seu rosto é lindo.” 

Paul é um jovem que teve sua vida virada do avesso. Tudo o que ele passou na guerra foi algo extremamente horrível e triste. Desde que ele voltou e se recuperou, ninguém perguntou a ele o que aconteceu naquele dia e ele, isolado em sua casa, nunca contou a ninguém o quão horrível foi aqueles momentos finais no Afeganistão. Eu não esperava uma história tão triste, e quando finalmente descobrimos os detalhes, algumas atitudes de Paul começam a fazer sentido. O motivo para ele ainda querer o dinheiro do pai foi um detalhe importante que definitivamente me fez amá-lo.

A diagramação está do jeito que a gente gosta. Páginas amareladas, com espaçamento e fonte de um tamanho ótimo para uma leitura confortável. Temos uma narrativa em primeira pessoa com o ponto de vista alternando entre Olivia e Paul, algo que eu gosto bastante e nos deixe mais envolvido com tudo que os protagonistas estão sentindo. O primeiro livro que li dessa autora foi Mais Que Amigos, e eu já tinha me apaixonado por sua escrita, e esse amor só cresceu.

received_299276674027550.jpeg

Sabe aquele livro perfeito pra ler quando estamos de bobeira em casa, ou curtindo um friozinho debaixo de um cobertor e um chocolate quente ? Este é ideal. Ele não é tão grande, apenas 245 páginas, que flui com facilidade e quando você percebe, já está terminando a leitura em uma sentada só. O aprendizado e crescimento que Paul e Olivia tiveram no decorrer da trama é cativante e desperta um sentimento de torcida por eles muito grande. Tirando alguns momentos que eu quis entrar no livro e bater com a cabeça de Paul na parede, eu tentei ao máximo entender seus motivos para tais decisões, mesmo não aceitando algumas e torcendo para ele superar tudo o que pesava em seu coração.

Já Olivia foi uma mocinha que eu torci para encontrar uma paz interior. Ela se martirizava além da conta e isso interferia e muito no modo como ela passou a enfrentar as coisas. Quando você aprende com o erro, não é nada errado seguir em frente e ser feliz. Eu fiquei na torcida para ela perceber que merecia sim encontrar sua felicidade.

Em pedaços foi uma releitura moderna e cativante, que eu comecei um tanto receosa mas terminei satisfeita. Olivia vem para mostrar a Paul que a vida dele não precisa se resumir a ficar isolado em seu “castelo” e vai aprender junto com ele a se perdoar. Deixo minhas 4 Angélicas para essa história.

CLASSIFICAÇÃO 4 ANGÉLICAS

9 comentários em “Resenha: Em Pedaços – Lauren Layne

  1. Acho incrível histórias que fazem releituras de contos de fadas, no caso dessa, semelhanças com a Bela e a Fera, então logo já fiquei muito interessada em ler, ainda mais quando soube que ambos os personagens tem feridas do passado não trabalhadas, livros com essa premissa já me ganham de primeira, acredito que histórias assim contribuem para um crescimento pessoal, além de ter uma conexão entre os personagens. Com certeza o livro vai estar na minha lista de próximas compras.

    Mirella Vieira

    Curtir

  2. Adorei a resenha e já quero ler esse livro, que de cara me lembrou um dos meus favoritos de todos os tempos: Como eu era antes de você. Pelo que pude ler na tua resenha, são história e e personagens bem parecidos. Adorei!

    Curtir

  3. Sou apaixonada por livros de romances, ainda mais um desses que tem todo o mistério do passado de alguém! Não conhecia a autora ou o livro, mas me interessei muito em ler!

    Curtir

  4. Esse com certeza não é o tipo de livro que eu leria, até gosto de romances, mas esse não chamou nenhum pouco minha atenção :/ Mas que bom que você gostou, sua resenha está muito boa.
    Abraços
    desconstruindooverbo.com.br

    Curtir

  5. eu li um livro dessa autora, aquele da capa rosa sabe
    Eu até gosto de romance, mas com moderação, não é sempre que consigo e debruçar sobre eles. Eu amo a Bela e a Fera da Disney e acho que foi isso que e deixou com vontade de ler. gostei das fotos, ficaram lindas também! ❤

    Curtir

  6. Uma versão moderna da história clássica. Para todos os detalhes que você descreve em sua publicação. Acho muito interessante colocar na minha lista de livros pendentes.

    Curtir

  7. Olá, tudo bom?
    Não conhecia esse livro ainda e confesso que, apesar de achar muito legal, releituras de contos de fadas me fazem ficar com um pé atrás, às vezes. Mas, eu gostei do jeito que a autora modificou os personagens e mesmo assim fez com que se encaixasse na história de A Bela e a Fera, parece que ficou realmente bom. Adorei conhecer mais sobre o livro.
    Até mais o/

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s