Resenha ‘Orgulho e Paixão – Nora Roberts’

Oi ooooi gente! Mais uma terça, mais um livro da família MacGregor e já estamos na metade dessa série super gostosa. Depois de Jogo de Sedução e Destino Tentador, que contaram as histórias de Serena e Caine, chegou a hora de conhecer melhor o filho mais velho desse clã, Alan, e da mulher que irá conquistar o seu coração. Antes de mais nada, confiram a sinopse…

Uma mulher vibrante e criativa que não quer um envolvimento amoroso. Um homem paciente, determinado e que tem todos os passos de seu futuro traçados. Um amor que nasce de uma atração improvável, mas inegável. Shelby Campbell é uma mulher única que sempre fugiu dos padrões estabelecidos para as mulheres que fazem parte do cenário político de Washington. E ela tem uma regra clara: nunca se envolver com políticos. Até conhecer Alan MacGregor, e entender que regras servem para ser quebradas. Alan está determinado a conseguir o que quer, e não vai deixar uma disputa de séculos entre os MacGregor e os Campbell ficar entre ele e o grande prêmio: o coração de Shelby. Sequência da série MacGregor, Orgulho e paixão narra uma nova história da família que acha que está no topo do mundo, que vivem entre o poder e a glória. Até que os seus corações sejam roubados.

Shelby Campbell é uma mulher que cresceu envolvida na política que exala no estado de Washington. Seu pai era um importante político, que foi assassinado as vésperas de uma votação e, de certa forma, tudo isso afetou um pouco como Shelby enxerga os homens que ingressam nessa carreira. Ainda que ela viva em festas e jantares no ambiente, se envolver amorosamente com um deles, está fora de cogitação. Ela é dona da sua própria loja de peças de cerâmica, feitas por ela.

Alan MacGregor é o filho mais velho do meu amado clã e leva uma vida na carreira política. Assim como os seus irmãos, Alan sofre com a pressão do seu pai em fazer mais visitar ao lar da família e construir uma vida familiar como sonha seu pai. Ele está em um momento decisivo, onde o senador já está sendo cercado para pensar na possibilidade de se tornar um futuro candidato a presidência do país.

– A melhor coisa sobre as regras é a infinita variedade de formas para quebrá-las – Shelby deu aquela risada que o atraiu pela primeira vez. – Acho que é por isso que você está no jogo.

O caminho desses dois vai se cruzar em um jantar. Entre conversas onde descobrem que são descendentes de clãs rivais e vários pontos um sobre o outro, a mulher acredita que a despedida entre eles será para sempre, mas Alan não vai desistir tão fácil da mulher que tanto o encantou. Então, ainda que Shelby tente fugir, ele vai mostrar que pode ser um cara que ela queria por perto.

508.JPG

Claro que não vai ser fácil conseguir convencer uma mulher decidida a mudar sua mente, mas Alan sabe como ir mexendo com a mente e o coração. Entre cestas de morangos, passeios em zoológicos e intimações para jantar, Shelby vai percebendo que já está encantada pelo tipo de homem com o qual jurou nunca se comprometer.

– Não sabia que você e Shelby se conheciam.
– Estamos trabalhando para quebrar uma antiga tradição familiar.
– Ele quis dizer rixa.
– Ah! Os clãs Campbell e MacGregor eram inimigos na Escócia…

O MacGregor vai ganhando espaço na vida da Campbell, ao ponto de fazer com que ela repense várias coisas que sempre teve como certeza em sua vida e, quando o desespero bate e ela não sabe o que fazer, vai procurar a outra pessoa que pode ajudá-la, o seu irmão Grant. O verdadeiro medo de Shelby pouco tem a ver com o sentimento ‘amor’. Mas sim pela pessoa que ela está se apaixonando. Um cara que está prestes a assumir a mesma posição que o seu pai estava quando foi assassinado. E ela precisa decidir se vai passar por cima dos fantasmas do passado e entrar numa relação para valer com Alan, ou vai se afastar e assistir seu sucesso de longe.

Igual aos livros anteriores, esse tem pouco menos de 200 páginas. Então, vou parando por aqui sobre falar da história e mergulhar nos personagens. Shelby é uma personagem que nos cativa de cara. Ela tem uma personalidade hiper marcante, principalmente, se levarmos em conta o meio onde ela convive e foi criada. Ainda que seja turrona sobre assuntos sentimentais, a gente consegue sentir que ela até quer se entregar, mas o que aconteceu em seu passado ainda a segura, e não é uma coisinha bobinha.

– Você não pode usar as táticas de uma campanha em um romance, senador. Aida mais com alguém que conhece muito dessas estratégias.
– É uma conceito interessante. Você deve admitir que minhas declarações foram claras. Não fiz nenhuma promessa que eu não vou cumprir, Shelby.

Alan é como eu espero de um McGregor: apaixonante. Gosto muito da personalidade dele, do seu empenho de mudar mesmo as coisas no meio político, pensando no bem da sociedade. Gosto que a gente tenha o lado romance, mas o lado do trabalho dele, onde ele se dedica e tenta convencer os outros de que o seu projeto é bom. Também não vai medir esforços de mostrar o quanto está apaixonado e o quanto quer estar com Shelby. Ele vai conquistando ela e a gente.

Obviamente, quem leu as outras duas resenhas, sabe que Daniel foi e é um destaque nas histórias. Eu não consigo parar de rir quando ele aparece, porque imagino um homem grandão, com manias engraçadas, seu vício em uísque e charuto – que ele ACHA que esconde da mulher – e sua inabalável lutar para que todos os seus filhos se casem e lhe deem netos. Com a namorada da Alan, seu embate vai ser ainda mais engraçado quando ele colocar a rivalidade MacGregor vs Campbell nas conversas e ver como ela se sai. E ainda temos notícias incríveis sobre os outros membros, é claro.

– Você é surpreendente – respondeu ele. – Para alguém sem qualquer senso de organização, você consegue trabalhar na sua oficina, gerenciar uma loja e viver exatamente como quer.
– Eu gosto de elogios estranhos – declarou Shelby, depois de um momento. – Alana está acostumado a uma rotina mais estruturada. Ele nunca ficaria sem gasolina numa estrada.
– Eu gosto de insultos estranhos – repetiu Alan.
– Fazem um bom equilíbrio – Daniel gesticulou para ambos.

Assim como os livros anteriores, esse também tem a narrativa em terceira pessoa. Também fui conquistada por esses personagens de primeira. Claro que a protagonista é alguém que é nos apresentada nesse livro, mas ela ‘chega chegando’. E os outros, que já conhecemos, é como se fôssemos ficando cada vez mais íntimos. Nora tem o dom mesmo da história fluída, que faz com que a gente queira ir lendo e lendo sem parar. Temos uma história leve, agradável, cheia de amor e risos.

507

A diagramação é simples. Temos o símbolo do clã nas aberturas dos capítulos, com folhas amareladas. Mas, as letras são um pouco menores do que o costume e o espaçamento “apertado”, o que pode incomodar um pouco a visão, principalmente se você usa óculos, como essa que vos fala. O que eu amei, foi que antes do livro começar temos a árvore genealógica dos MacGregor. O que é bom e ruim, porque já temos “spoilers” dos próximos livros. Ah, dito isso, é bom falar que teremos mais quatro livros pelo caminho. E, ainda que cada um seja sobre um casal, é bom ler sim na ordem, porque eles são sequenciais e falam de acontecimentos dos livros anteriores. Ah, e a capa desse livro também é um arraso, né? Só fico cobiçando o vestido haha.

Minha admiração pela Nora só faz aumentar a cada livro que se passa dessa série. Adoro todo o lado amoroso, super família, com uma leveza e muita diversão. É como se fosse a minha família, é uma família que eu gostaria de conhecer e fazer parte. Deixo minhas cinco Angélicas e um spoiler de que o próximo casal não é composto por nenhum MacGregor de sangue, mas um de coração.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

10 comentários em “Resenha ‘Orgulho e Paixão – Nora Roberts’

  1. Amo romances e esse parece ser um daqueles que nós prende do início ao fim. Não consegui perceber na tia resenha se ele se trata de um romance de época ou mais moderno, mas independente disso, adorei.
    Parabéns pelo post!

    Curtir

  2. Oh pah eu quero um Alan para mim…
    Antes de mais dizer que amei sua resenha. Super bem escrita e um texto muito cuidado, onde a leitura flui. Amei.
    Depois dizer que adorei o livro e o Alan (já disse mas é só para relembrar). É o tipo de livro que atualmente gosto de ler. Os dias são tão stressantes que este tipo de leitura vem trazer uma nova cor a ele.
    Adorei, mesmo.

    Curtir

  3. Essa história é um exemplo de que não podemos viver de certezas, um dia o destino se encarrega de mostrar que a vida não é estática, opiniões e convicções podem mudar. O trauma da protagonista com relação à morte de seu pai vai ser superado através do amor, achei essa premissa muito bonita e inspiradora!

    Curtir

  4. Eu gostei muito da resenha e principalmente, da forma como você a escreveu. Minha mãe é louca pela Nora Roberts e vive querendo que eu leia também, quem sabe um dia né rs

    Curtir

  5. Já li algumas obras de Nora Roberts e realmente a autora nos impressiona sempre com histórias surpreendentes. Confesso que não conheço a série McGregors, mas pretendo em breve atualizar minha leitura e as obras dessa série estarão na lista de propriedades. Orgulho e Paixão com certeza é uma daquelas histórias que nos tiram da realidade e nos faz sofrer junto aos personagens.

    Abraços! 😊

    Curtir

  6. Eu era doida pra ler Nora, mas ai eu li um livro dela que peguei na biblioteca a minha cidade e não gostei muito, ai acabou que eu desencantei dela. Venho acompanhando as outras resenhas da série e quem sabe eu leia um dia, talvez tenha sido só um livro que não me agradou né..

    Curtir

  7. Oi,tudo bem ?

    Nora Roberts é uma das autoras que sempre são citadas e que tem histórias apaixonantes. Esse romance ainda não li, mas com a fama da autora e sua resenha que ressaltou bem os pontos fortes da obra, deve ser uma ótima indicação de leitura.

    Curtir

  8. Oi Raí,
    Mais uma terça-feira, mais um livro da Nora, mais um livro pra minha lista infindável rs
    A cada resenha, minha vontade de conhecer a escrita da Nora só aumenta. Eu amo quando as histórias são de uma mesma família/clã e cada livro representa um desses integrantes. A sensação de que eu amaria essa série é GRANDE! rs
    Mais uma vez Sr. Daniel roubando a cena e o fã clube dele formado por você, a Anna e eu, fica cada vez mais forte rs
    Ansiosa pelas próximas resenhas.

    Bjo ❤
    https://almde50tons.wordpress.com/

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s