Resenha: ‘Pacote Completo – Lauren Blakely’

Olááá pessoal!!! Mais uma segundona chegou e, com ela, mais um livro da série Química Perfeita da autora Lauren Blakely. Dessa vez, com Pacote Completo, o quarto livro da série que foi lançado em Maio desse ano pela Faro Editorial. Os livros são independentes, mas é melhor a série ser lida na sequencia certinho, para que você conheça todos os casais na ordem cronológica dos acontecimentos rs. Caso você queira saber um pouco mais sobre os primeiros livros, clique aqui e confira a resenha deles. Dessa vez, temos a história de Chase e Josie que nos faz ficar grudado no livro do começo ao fim. Mas antes de qualquer coisa, confere a sinopse:

“Ele tem um presente para você. E o pacote é especial.
Chase levava uma vida tranquila como médico na movimentada Nova York, sucesso entre as mulheres, parecia que não faltava nada… até que descobre que seu contrato de aluguel está para vencer e se vê entre duas opções: morar na rua e dividir apartamento com a deslumbrante irmã do seu melhor amigo.
O problema é que conseguir um bom apartamento em Nova York é mais difícil do que encontrar o amor verdadeiro. E se eu tiver que dividir um espaço com alguém, que seja com uma garota tão maravilhosa como a irmãzinha do meu amigo. Só peço que os céus me ajudem.
Eu posso resistir à Josie. Sou disciplinado, e, se me esforçar, consigo manter meus pensamentos sob controle, mesmo no minúsculo apartamento que dividimos. Mas, certa noite, bem atordoada com um dia difícil, ela insistiu para deitar-se ao meu lado, sob as mesmas cobertas. Isso a ajudaria a dormir, foi o que ela disse.
MAS COMO UM HOMEM COMUM PODE RESISTIR A UMA SITUAÇÃO COMO ESSA?
O difícil vai ser segurar a tentação diante da tensão sexual que desperta toda vez que os dois dividem bons momentos. Entre conversas, pizzas e risadas, o clima esquenta e Chase percebe que aquela que em pouco tempo já se tornou uma amiga, pode ser algo mais… talvez um pacote completo.”

20181125_105515

Tudo o que Chase Summer queria era um lugar para morar, mas isso estava mais difícil que achar uma agulha num palheiro. Ou melhor, parecia que o universo estava conspirando contra ele já que sempre que ele conseguia um lugar decente, com um valor acessível, alguma coisa acontecia e ele perdia a grande oportunidade e é assim que começamos o livro: com mais um bom apartamento escapando de suas mãos. 

Ao encontrar com sua melhor amiga, Josie Hammer, para experimentar mais uma de suas maravilhosas invenções de doces para sua doceria, ele desabafa sobre esses inconvenientes e revela que está começando a achar que ia virar um sem teto, já que teria que se mudar logo do apartamento em que ele estava morando.

Josie, por sua vez, diz que também está com um sério problema, já que sua antiga colega de apartamento Natalie, casou com seu irmão, Wyatt, em Vegas (lembram? A história deles é contada em Bem Safado), e agora ela tem que bancar todas as despesas sozinha, o que a impede de expandir sua doceria Sunshine Bakery, da forma que gostaria. Ao falar isso pra ele, os dois têm a mesma ideia genial ao mesmo tempo: juntar o útil ao agradável e Chase ir dividir o apartamento com Josie.

“- Ah, se você fosse uma garota – suspirou Josie, desapontada – Você seria a colega de apartamento ideal para mim.
– Se eu fosse uma garota, ficaria brincando com meus peitos o dia inteiro.”

Ideia genial, não? Sabe quem aprovou essa ideia incrível também? A química incrível que um sente pelo outro e que eles tentam, com todas as forças, esconder. A cada dia que passa, a amizade de anos que eles construíram desde que se conheceram, quando Chase foi passar uns dias na casa da família Hammer durante um recesso da faculdade onde ele estudava com Wyatt, vai dando lugar a uma atração e ficando cada vez mais difícil negar que o que sentem um pelo outro é muito mais que amizade.

20181125_105618

Bom, quem leu os livros anteriores ou leu as resenhas de Big Rock, Mister O e Bem Safado, meio que já conhece essa história e sabe no que vai dar. Por isso, fiquei um pouco decepcionada com esse livro. Confesso que estava super ansiosa por essa história, pois eu venho me apaixonando cada vez mais com os livros dessa série e, o livro anterior foi o meu preferido, então dá pra imaginar a grande expectativa que eu estava sentindo para com esse quarto livro, né?

E no fim, acabou sendo um mais do mesmo. Dois amigos que se sentem atraídos e descobrem isso ao passarem a conviver mais juntos. Fim. Em vários momentos, eu vi uma repetição das histórias de Spencer e Charlotte, assim como de Nick e Harper e isso me deixou um pouco entediada. Eu adorei saber tudo sobre a história de Chase e Josie, mas achei que a autora poderia ter inovado um pouco, assim como ela fez com Wyatt e Natalie.

“Poderia jurar que, ao caminhar pelo quarteirão onde ela trabalha, com as multidões de fim de tarde crescendo ao meu redor, sentia as nuvens se espalharem e meu coração começar a ficar mais leve só de pensar que eu iria vê-la. Josie seria como a luz do sol nesse dia chuvoso.”

20181125_105138

Mesmo com essa sensação de deja vú, eu li o livro bem rápido e a cada página eu me diverti bastante com Chase e Josie. Foi muito legal ver a interação deles morando juntos e me deu aquela vontadezinha de dividir o apartamento com um amigo rs. Eu morri de rir com a forma como Chase contava sobre as mudanças ao estar morando com uma amiga mulher, tanto os pontos negativos, quanto os positivos. E mesmo com toda a química estalando na cara deles, até o momento em que eles decidem se tornar “amigos coloridos de apartamento” (e mesmo depois) conseguimos ver como a amizade deles é importante, daquelas que a gente tem que ter, pelo menos uma vez na vida.

Chase é um médico, trabalha no pronto socorro do Mercy Hospital de Manhattan e esse é o trabalho perfeito para ele por conta de toda a sua hiperatividade. Ele passou uns anos na África trabalhando para o programa Médicos Sem Fronteiras e voltou a pouco tempo para NY com uma bagagem grande que só quem faz esse tipo de trabalho incrível pode ter. Ele também entende a mente humana como gavetas onde você pode setorizar as coisas da forma que quiser: emocional aqui, profissional ali, amor platônico lá e tudo mais. E isso funcionou muito bem pra ele durante anos, mas é muito melhor ver tudo se embaralhando quando ele começa a se envolver com a Josie.

“Eis o meu dom especial: eu sou o rei da compartimentalização. Ou seja, eu nasci com gavetas diferentes para cada aspecto da vida. Desejos e ações. Luxúria e sentimentos. Amor e sexo. Um vai aqui, o outro ali. Tudo bem separadinho e sem chances de se encontrar.”

Josie, a caçulinha dos irmãos Hammer, é uma empreendedora de sucesso no ramo alimentício. Ela é dona da Sunshine Bakery e seus doces fazem um grande sucesso em Manhattan, tanto que ela já está pensando em abrir um filial para expandir seu negócio. Confesso que em vários momentos fiquei com água na boca por todas as delícias que ela faz. Inclusive, preciso comer um mil folhas de chocolate o quanto antes rs. Fora todo esse dom incrível de fazer as pessoas mais felizes com seus doces, Josie é aquela protagonista que ilumina todos à sua volta, com seus cabelos castanhos e rosas e seu sorriso fácil. É impossível não gostar dela.

“Eu poderia dizer que ela é o pacote completo, e não estaria errado.
Mas o que ela é de fato… é um presente.”

A diagramação do livro permanece maravilhosa como nos livros anteriores, com páginas grossas, amareladas e com fonte e espaçamento ótimos para uma leitura confortável. A narração também é em primeira pessoa, toda pelo ponto de vista do protagonista masculino, mas assim como no livro anterior, temos algumas partes que nos dá o ponto de vista feminino também, através do livro de receitas da Josie. Nunca tinha visto algo assim antes e deu pra captar bem os sentimentos dela através de suas anotações. 

20181125_105957

Bom, apesar de ter gostado da história e me divertido muito com Chase e Josie, essa sensação de mais do mesmo não me deixa dar mais do que “bom” para esse livro. Quando temos uma série com personagens tão próximos igual a essa, acredito que a autora deva tomar o cuidado de inovar a cada livro para manter o interesse dos leitores nos livros que virão a seguir. Assim, deixo minhas 3 Angélicas e fico no aguardo do próximo livro da série, que contará a história de Max, irmão do Chase.

CLASSIFICAÇÃO 3ANGÉLICAS

 

11 comentários em “Resenha: ‘Pacote Completo – Lauren Blakely’

  1. A temática não me pega tanto… E, uma pena a história ter meio que se repetido.
    É um pouco frustrante quando a gente gosta muito de uma série de livros e o próximo soa como uma mesma linha dos anteriores, mas sem progresso. Ao mesmo tempo que também é bom por podermos ter novos personagens e tal.
    Vai ter mais algum livro? Tomara que venham novas surpresas né.

    Curtir

  2. Pena que o livro não atendeu às suas expectativas Letícia, realmente a premissa de dois amigos que acabam se apaixonando depois que passam a morar juntos é um pouco clichê, concordo que é preciso criar elementos diferentes para que as tramas gerem mais expectativa.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Olá, tudo bem?

    Primeiramente quero elogia as fotos, ficaram lindas e com boas composições. Segundo, a sua resenha ficou bem legal, mas esse não é um livro que me desperta interesse. Eu (Yvens) não costumo ler romances, normalmente são as mulheres do blog que realizam essas leituras por gostar mais. Dica anotada!
    Abraço!

    Curtir

  4. Amo suas resenhas, vejo sinceridade nelas e isso é maravilhoso. Não li nada dessa autora ainda, mas sempre vejo as pessoas falarem bem dessa autora e fico indecisa entre ler ou não, parecem livros divertidos, gostosos pra passar o tempo.

    Curtir

  5. Olha, só pela capa e título desse livro, já achei que a história seria beeeem previsível…
    Sinto muito que, de certa forma, essa leitura tenha sido um pouco decepcionante para você, afinal, você parece gostar bastante dessa autora. É horrível quando nos decepcionamos com autores que gostamos.

    Curtir

  6. Oi Lê! Eu to suoer empolgada para os meus livros chegarem, ainda que sejam só os dois primeiros haha
    Fiquei super curiosa com essa história, pela mocinha trabalhar com cozinha e eu AMO quando tem isso nos livros. Mas entendo você dizer que a repetição chega uma hora que cansa. Acho que adoramos clichês. Mas uma sequência deles em uma série, não deixa a gente curtir muito. Adorei a sua sinceridade. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com

    Curtido por 1 pessoa

  7. Hey. Eu não curto esses tipos de histórias, acho que é tudo muito igual, mesmo que às vezes mudem alguma coisa, a gente meio que sempre sabe como a história vai terminar. E isso se repete até mesmo na saga, como você disso, o que é até chato para leitores que esperam novidades. Espero que o próximo livro não repita essa falha.

    Curtir

  8. Tenho Mister O e Big Rock na black e também Pacote Completo.Bom, adoro new adult, e nunca é demais!Essa edição ao meu ver está perfeita.Não conhecia a Autora Lauren Blakely até então confesso que me surpreendi.me apaixonei pela serie.Gosto de clichés como chamam.E algo que me atrai.e sua resenha ficou muito legal…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s