Resenha ‘Em Chamas – Suzanne Collins’

Oi ooooi gente! Como falei mês passado, estou fazendo uma releitura da minha trilogia favorita da vida! Foi o que gerou meu amor incondicional por distopia – e, apesar de já ter lido vários do gênero e amado, nenhum chegou perto desse haha. Já falamos de Jogos Vorazes, então, chegou a vez de Em Chamas, o meu preferido! Lembrando que aqui teremos a resenha do livro e, depois, um comparativo de livro e filme, o que pode trazer alguns spoilers. Sem mais delongas, vamos a sinopse…

Depois da improvável e inusitada vitória de Katniss Everdeen e Peeta Mellark nos últimos Jogos Vorazes algo parece ter mudado para sempre em Panem. Aqui e ali distúrbios e agitações dão sinais de que uma revolta é iminente. Katniss e Peeta representantes do paupérrimo Distrito 12 não apenas venceram os Jogos mas ridicularizaram o governo e conseguiram fazer todos – incluindo o próprio Peeta – acreditarem que são um casal apaixonado. A confusão na cabeça de Katniss não é menor do que a das ruas. Em meio ao turbilhão ela pensa cada vez mais em seu melhor amigo o jovem caçador Gale mas é obrigada a fingir que o romance com Peeta é real. Já o governo parece especialmente preocupado com a influência que os dois adolescentes vitoriosos – transformados em verdadeiros ídolos nacionais – podem ter na população. Por isso existem planos especiais para mantê-los sob controle mesmo que isso signifique forçá-los a lutar novamente.

LIVRO

Um tempo se passou desde que Katniss Everdeen e Peeta Mellark ganharam o 74º Jogos Vorazes. Depois que o rapaz descobriu que tudo o que a menina disse era apenas para tentar salvar os dois, eles acabaram se distanciando. Mas, a Turnê da Vitória está prestes a começar e eles precisam voltar a se relacionar, até porque estarão cercados por câmeras.

E a pressão para que o clima entre os dois fique bem aumenta quando o próprio Presidente Snow avisa que alguns Distritos estão em polvorosa, não acreditando que o ato com as amoras foi por amor e sim por rebeldia. Ou seja, ele quer que Katniss acalme as coisas e convença a todos de que tudo está bem. Mas logo na primeira parada, ela vai ver que essa missão não será tão fácil, mesmo que tenha Peeta e Haymitch ao seu lado.

Quando a turnê chega ao fim, a menina percebe que não conseguiu o que era necessário, deixando todas as pessoas que ama correndo perigo. Então, começa o plano para que possam fugir. Mas, as coisas estão mudando no Distrito 12. Um novo grupo de pacificadores mais duros chegaram e Gale já sentiu na pele como vai ser.

Nunca vi nada parecido em toda a minha vida, mas só posso estar testemunhando uma única coisa. Isso é o que o presidente Snow chama de levante.

Além disso, a nossa heroína ainda vai ter um encontro inesperado. Duas mulheres que, milagrosamente, conseguiram fugir do Distrito 8, onde a rebelião já começou e partes do local já foram bombardeadas. Só que a informação mais importante e curiosa que essas duas trazem, é que seu destino é o Distrito 13. O que deixa Katniss sem crer muito, afinal, anos atrás ele foi bombardeado e destruído pela Capital. Mas, ambas mulheres acreditam piamente que o governo esconde a verdade sobre o local.

494.JPG

Enquanto precisa lidar com essa informação, Katniss vai vendo seu casamento com Peeta ser preparado e decidido pelo povo da Capital. Mas, o Massacre Quarternário está chegando e tudo vai mudar. Para comemorar os 75 anos desde o começo dos Jogos, teremos o Massacre Quartenário, que acaba sendo um ano mais “especial”. E, dessa vez, os tributos serão colhidos do hall de vencedores de cada Distrito. Ou seja, Katniss certamente irá retornar para arena e sabe que Haymitch ou Peeta irá com ela. E, apesar dela implorar ao Haymitch que não deixasse Peeta assumir esse papel, o pedido irá mudar para focarem em manter o menino vivo, já que ele não vai deixar de voltar para a arena também.

Nesse ano, eles vão lidar com pessoas experientes na “brincadeira” da Capital, além de serem queridos e amados pela população. Muitos deles já são amigos. Mas, fato é, ninguém está lidando muito bem com a volta para a arena, depois da promessa de uma vida tranquila. Só que não muda o fato de que eles estarão de olho no único casal que conseguiu ganhar os Jogos juntos, que se tornaram os queridinhos das pessoas; além de sempre tere um truque na manga, como Peeta bem mostra na sua entrevista.

– Você podia viver cem vidas e ainda assim não merecer aquele cara, sabia? – disse Haymitch.
– Eu sei, eu sei – digo bruscamente. – Sem dúvida nenhuma, ele é o que tem o caráter mais elevado entre nós três.

Quando o Massacre começa oficialmente, Katniss percebe que não será apenas ela e Peeta. Mas, de cara já terá como aliados Finnick Odair e Maggs, tributos do Distrito 4. É claro, ela não confia muito em seis companheiros e sabe que só uma pessoa pode ser vencedor: Peeta. Mas, logo vai perceber que os outros também estão dispostos a manter ele vivo.

A arena esconde segredos e perigos, que farão com que os tributos sofran bastante. Chuva ácida, trovões, ondas gigantes, banho de sangue, macacos bestantes, gaios tagarelas, insetos e outras coisas. Prontos para derrotá-los ainda mais rápido. Logo após passarem por um perrengue, Johanna Mason, Beete e Wiress também se juntaram a esse estranho grupo de aliados. E vai ser a maluquinha da turma que vai dar a principal dica: a arena é um relógio. E cada hora, terá um perigo.

Mas Beete tem um plano gigantesco para derrotar o que resta dos adversários. Basta saber se dará certo. E, entender qual a real intenção dele com tudo o que promete e com o que tentou fazer. Além disso, Katniss precisa entender porque todos parecem estar protegendo e poupando Peeta, quando isso deveria ser uma função só dela. E, claro, iremos entender o que a Capital pretendia e quais surpresas nos aguardam.

– […] Lembrem-se, vocês não estão mais num ringue cheio de crianças tremendo de medo. Todos eles são assassinos altamente experientes, independentemente da forma física na qual pareçam se encontrar.

Vou parando por aqui, porque acho que já falei até demais, ainda que tenha ocultado váaarias coisinhas rs. Vamos a nossos personagens… Katniss é a minha diva maravilhosa. Não vou mentir e dizer que a amo sempre. Sinto constante vontade de bater nela ou dar uns sacodes, mas acho que já a encontramos mais amadurecida e endurecida do que no primeiro. Ela está mais disposta do que nunca a proteger quem ela ama, mesmo que isso signifique sua própria vida em jogo. Também sinto, que seus sentimentos, em geral, passam a ficar mais claros para ela e para gente.

Peeta segue sendo maravilhoso. Assim como Katniss, ele também esta disposto a se sacrificar pela menina que ama e deixa isso claro diveeeeeersas vezes. Podemos ver que, no início, ele ainda não estava lidando bem com o fato de que tudo o que tinha acontecido era apenas por causa dos Jogos, mas superar, para poder ficar perto dela. E, ele acaba defendendo e cuidando até de Gale, para ajudá-la. E é o que mais me dói. Ver que ele passa por tudo isso e muito mais coisas durante seu período na Arena e até depois.

Haymitch é aquele homem que a gente adora. Ele tem atitudes que não só estressam os personagens, mas a gente também; só que conseguimos entender ele. Eu acredito, piamente, que ele ama os seus dois protegidos e que dói ver eles correndo risco. Tanto que ele é capaz de se envolver em altos planos para defendê-los. Gale é um personagem que me deixa ainda mais bipolar. Tento não sentir mais raiva dele, mas diversas atitudes dele nos deixam com o pé atrás. Cinna é importante para um dos momentos mais icônicos do livro. Ele mostra que sabe mais do que aparenta e que ele é afrontoso sim. O problema é o preço que ele precisa pagar pelas atitudes que toma.

 – Katniss, quando você estiver na arena […] basta se lembrar de quem é o inimigo.

É nesse livro que iremos conhecer diversos personagens novos e que seguirão com a gente. Preciso falar do meu amado e adorado Finnick Odair. Ele foi o mais novo tributo a ganhar os Jogos e é muito adorado pela Capital. Finnick é sedutor, lutador e apaixonado. Ainda que as pessoas da Capital acreditem que seja por uma delas, já que ele troca momentos por segredos, seu coração tem dono e é do mesmo local que ele. A verdade é que ele tem muito mais camadas do que podemos imaginar no princípio.

Outra que conhecemos é Johanna Mason, a sonsa ganhadora do Distrito 7. Ela não é uma personagem que gostamos de cara, mas ela vai nos conquistando a cada vez que aparece. Em vários momentos, podemos ver que ela não tem medo de encarar a Capital, porque eles não tem nada para usar contra ela.  Ela não nos parece confiável, assim como Katniss sente, mas vamos descobrir também os segredos que ela esconde.

Esse é o meu livro preferido da trilogia. Acho que é por causa de toda a adrenalina, presente em cada página. Além da gente entender que a história é muito mais do que contar a história dos Jogos, mas mostrar como a população já não aguenta mais o que passa e que precisam de uma fagulha para começarem a agir. Também entendemos como os movimentos são feitos na nossa cara, ainda que não de maneira tão óbvia. Pistas nos são dadas, mas quando o quebra cabeça é montado, percebemos que tudo apenas começou. A escrita da Suzanne nos deixa ansiosos por cada página que viramos, por cada novo acontecimento.

493.JPG

A diagramação da Rocco é bem simples. As páginas são amareladas com letras e espaçamento bons para a leitura. O livro é menor dos que estamos acostumados, mas é a estrutura dele, então não se espantem. Ele é divido em três partes, de nove capítulos cada uma.

Em Chamas evoluí em cima do primeiro, cresce significativamente, porque entendemos que ele dá início a algo muito maior. Além de terminar de um jeito que nos deixa tão desesperados quanto Katniss. Impossível não deixar as minhas cinco Angélicas aqui.

FILME

*Como farei comparativos entre livro e filme, alguns spoilers podem estar presentes*

Vamos começar com mudanças. Para quem não se lembra, no primeiro livro, Peeta perde uma perna, fato que foi omitido dos filmes. E isso, era algo que daria um melhor sentido em algumas cenas que acontecem no Em Chamas. Por exemplo, a cena onde eles derrapam na neve, é devido ao fato dele ainda não ter total estabilidade do corpo. Quando volta aos Jogos, sua perna atrapalha em alguns momentos, como na fuga da névoa tóxica.

Nesse filme, temos alguns cortes, que acabaram por ser uma pena, ainda que não tenham tirado a magia e tamanha fidelidade que ele trás. Começo falando que as mulheres do Distrito 8 não aparecem no filme. Sendo assim, Katniss vai para arena sem nem imaginar a possível existência do D13. Quem conta tudo é Haymitch. Depois que ela é resgatada. Também tiraram dos filmes alguns momentos da arena, como os pães que eles recebiam, que tinha como significado o dia que eles seriam resgatados da arena.

495.JPG

As coisas ditas acima, foram as mais importantes que acabaram excluídas dos filmes. Mas foram cortados alguns momentos entre Katniss e Cinna, com as roupas que ele criou, para que ela pudesse mostrar como dela, além do ensaio fotográfico com os vestidos. Temos cortes de conversas entre ela, Peeta e Haymitch; assim como o treinamento que eles passam a fazer quando descobrem que voltaram aos Jogos. E um momento super fofo entre Peeta e Katniss antes ir para arena.  Momentos entre Katniss e Madge; o que acabou com a mudança na forma que a menina descobre sobre a rebeliões que estão acontecendo pelo país.

Repito o que disse sobre o primeiro filme, mudanças existem, cortes precisam ser feitos, mas Em Chamas segue sendo um dos filmes mais fiéis que já vi. Que respeitaram não só a trama, mas os fãs.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

 

8 comentários em “Resenha ‘Em Chamas – Suzanne Collins’

  1. Todo esse universo distópico criado para essa trilogia é muito criativo e conquista os fãs do gênero. Não é o meu estilo preferido, mas admiro toda a detalhada construção do enredo para cada segmento da história. Que bom que o filme foi fiel ao livro, na medida do possível, geralmente há muitas alterações nas adaptações, mas vejo que aqui não foi o caso.

    Curtir

  2. Acredita que nunca li os livros e nem assisti aos filmes? E agora sinto que estou perdendo demais deixando essa trilogia de lado! Meu Deus, preciso dar uma chance, sua resenha me deixou com muita vontade de ler a trilogia, e chegar logo no livro “Em chamas” Adorei o post!

    Curtir

  3. Estou desde o início do ano com vontade de ler essa trilogia, mas não consegui. Estou muito curioso com a trama, espero poder realizar as leituras em 2019.

    Curtir

  4. Eu tb tô na turma dos que não conhecem.os livros/filmes desta trilogia. Muito boa a tua resenha, da pra perceber a tua paixão pela história. É maravilhoso quando um livro tem esse efeito sobre nós.
    Adorei!

    Curtir

  5. Olá
    Tive uma péssima primeira impressão dessa história o que me fez ficar bem paralisada diante dela e simplesmente não consegui nem ler, nem ver os filmes, ela se parece demais com uma história japonesa que eu gosto muito, parece tanto que muita gente diz que é plágio, eu não sei se é verdade, mas simplesmente não conseguir consumir Jogos Vorazes U.U

    Curtir

  6. Olá.
    Com certeza essa é a melhor distopia de todas, além dos livros terem uma história incrível e bem construída, os filmes também são fieis a história e tiveram bons atores escolhidos.
    Tenho a impressão que algumas das distopias que vieram depois foram tão semelhantes a jogos vorazes que acabam não conquistando como deveriam.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s