Resenha: ‘Bruto e Apaixonado – Janice Diniz’

Oi gente!! Hoje tem resenha de livro de cowboy, mas é um livro totalmente nacional. Bruto e Apaixonado é lançamento da nossa parceira Harlequin e escrito pela autora brasileira Janice Diniz. A autora é conhecida entre as suas leitoras como a rainha dos cowboys e já escreveu várias séries sobre esse universo. Só que hoje estamos aqui para falar do primeiro livro da série Irmãos Lancaster, um livro com um peão brasileiro além de ser uma história que se passa no nosso país. Antes de falar mais, confiram sinopse…

“Mário Lancaster e Natália Esteves parecem não ter nada a ver um com o outro: ele é um ex-peão de rodeio e ela, uma empresária sofisticada de uma metrópole. Ela deve demitir funcionários da maior fábrica local, e ele é o responsável por convencê-la a mudar de ideia. Eles estão em lados opostos, mas a química entre os dois é impossível de ignorar. Bruto e apaixonado é o primeiro volume da série Irmãos Lancaster e uma história irresistível de amor, superação, sedução e, claro, caubóis atraentes e possessivos.”

20180904_131731

Mário Lancaster é o primogênito da família e quando seu pai morreu assumiu os negócios da família na cidadezinha de Santo Cristo. Os irmãos, Thomas e Santiago, foram tentar a vida nos rodeios dos Estados Unidos enquanto Mário se tornava um dos maiores peões do Brasil, mas um acidente há cinco anos tirou Mário do circuito. Depois da morte do pai e do acidente, Mário só quis enterrar seus traumas e centralizar suas forças em não perder a fazenda.

Santo Cristo é uma cidadezinha de cerca de 6 mil habitantes. Todo mundo se conhece e as famílias mais antigas estão lá desde a fundação da cidade. A economia gira em torno da Fábrica de Parafusos, mas ela acaba de ser vendida e todos estão com os empregos ameaçados. Quando a empresa que comprou a fábrica decide mandar um executivo para efetuar as demissões, a cidade inteira planeja espantar o sujeito assim que ele aparecer.

“Jamais considerou que uma cidade inteira se mobilizaria por algo tão trivial no mundo dos negócios, que era a compra e venda de empresas. Nada mais do que isso. Sim, havia a questão das demissões, o tal efeito colateral. Mas, ainda assim, não precisava haver tanto drama envolvido.”

Natália Esteves é a gerente de RH na empresa fundada pelo pai, a TWA. Ela sempre trabalhou incansavelmente para que um dia seu pai pudesse enfim reconhecer seu valor, mas quanto mais se esforça menos é reconhecida. Quando ela é escolhida para ir à Santo Cristo enxugar o quadro de funcionários e assim se tornar uma empresa mais atrativa para ser revendida, ela vê a possibilidade de que agora seu pai lhe dará o devido valor.

Ela só não contava que iria sozinha e muito menos que não tivesse nenhum apoio da empresa. A cidade está toda contra a forasteira e não vão dar descanso e muito menos serão hospitaleiros com ela. Eles estão bastante unidos e até tem um plano em mente. É aí que nosso peão bruto entra na história. Por ser um mulherengo de carteirinha, todos acreditam que Mário dará conta da forasteira e assim ela irá embora sem fazer as demissões necessárias.

“- Sou Mário Lancaster.
– Bom pra você – rebateu, por cima do ombro.
– Pode ser bom para você também, madame – ela o ouviu dizer e tinha certeza de que ele controlava uma risadinha.”

Só que Natália é super profissional, então ela pode até se encantar por aquele bruto xucro, mas sem deixar de fazer o seu trabalho. Ela jamais voltaria para São Paulo sem executar a ordem direta que recebeu de seu pai. Só que a população vai se tornando cada vez mais hostil e ela fica sem lugar para se hospedar já que foi expulsa do único hotel da cidade. Nosso bruto vê aí a oportunidade de ter a madame sob os seus cuidados. A princípio ela não quer aceitar, mas realmente não tem outra opção a não ser ficar na fazenda dos Lancaster.

Ao se abrigar na fazenda dos Lancaster, a família comprou uma briga com a cidade e a população passa a boicotar tudo que venha deles. Dona Albertina, matriarca da família, é conhecida pelo seu temperamento forte e de não levar desaforo para casa, então sempre que pode fala o que pensa sobre o tratamento que os jacus de Santo Cristo estão dando para Natália. Enquanto isso Mário tenta proteger sua dona madame o melhor que pode, mas não será fácil conquistar o coração de Natália e nem fazer com que a cidade a aceite.

“As vezes sinto saudade do que nunca vivi.”

Eu vou parar de falar da história em si, pois o livro é bem curtinho, cerca de 250 páginas, então eu posso acabar contando tudo. Inicialmente eu achei que seria só mais um livro hot, mas conforme a história foi ganhando ritmo eu fui sendo conquistada pelo universo dos Lancaster. Eu já falei de Dona Albertina, mas essa mulher rouba a cena em vários momentos. Ela é desbocada, mas tem um coração enorme e não pensou duas vezes na hora de acolher Natália. Os irmãos de Mário, Thomas e Santiago, tem grande participação na história já que estão de volta à Santo Cristo e os três irmãos têm vários momentos hilários.

Uma coisa que amei nesse livro é que a Janice trouxe todo o regionalismo da região para dentro da história, então temos dois mundos se cruzando. Natália com seu refinamento, uma executiva chique de São Paulo versus o modo simples de uma cidade acostumada a falar cabra macho, jacu, fia e outras gírias que só trazem mais humor para esse livro. Eu morria de rir todas as vezes que Mário ou os outros colocavam no final das frases a gíria fia. Fora que os homens são conhecidos por suas rudezas, então eles querem ser chamados de cabra macho no lugar de fofo, mesmo que tenham feito algo muito fofo.

20180904_131755

Eu amei esse livro desde que a capa foi revelada. Achei lindo esse tom de preto com verde. A diagramação do livro é bem simples, mas tem fonte e espaçamento super confortáveis para a leitura, além das páginas levemente amareladas. A narrativa é feita em terceira pessoa e os capítulos não são longos. A leitura é super fluida, pois a gente vai se apegando aos personagens devido suas personalidades tão reais.

Apesar de ser um livro para falar do romance de um peão de rodeio com uma super executiva da cidade grande, o ponto alto para mim foram as relações familiares e a união de uma cidade inteira em prol de todos. Santo Cristo todo tinha Natália como o diabo encarnado já que ela viria para acabar com o principal ganha pão deles, então todos se uniram para se proteger. Quanto aos Lancaster, é lindo ver a relação de Dona Albertina com os filhos. Eles se amam acima de qualquer coisa e se protegeriam de tudo, então quando Mário decidiu apoiar Natália, sua mãe e os irmãos ficaram do lado dele.

Mário e Natália precisaram vencer seus próprios demônios para que pudessem viver plenamente. As cenas do casal vão de super quentes e sensuais para cômicas e bem humoradas, sem falar da intensidade das personalidades de cada um. Essa foi a minha primeira experiência com os livros da Janice e eu só digo uma coisa: ela faz jus ao apelido de rainha dos peões. Apesar ter achado o início um pouco arrastado, eu super indico esse romance sensual e hilário. Deixo minhas 4 angélicas. CLASSIFICAÇÃO 4 ANGÉLICAS

10 comentários em “Resenha: ‘Bruto e Apaixonado – Janice Diniz’

  1. As fotos ficaram lindas e a resenha ficou muito bem feita, mas pra mim, não importa quantas vezes eu tente, não importa autor, nada, é um tipo de livro que não desce, simplesmente não vai. Será que o problema sou eu? Esse tipo de livro tá tão na moda, mas eu não consigo ler de forma nenhuma!

    Curtir

  2. Oi Adriana, tudo bem?

    Como sempre você nos apresentando uma resenha completa e despertando a minha vontade de ler a obra. Já vi muitas opiniões positivas sobre esse livro, e adoro essa premissa com um envolvimento de uma executiva com um homem bruto. Amo quando as autoras colocam bastante regionalização e colocam as gírias locais, isto é maravilhoso. O fato de abordar muito as relações familiares é outro ponto que desperta minha curiosidade. Adorei sua resenha, quero ler agora!

    Beijos!

    Curtir

  3. Também publiquei a resenha no meu blog, gostei bastante! A autora soube trabalhar as partes sensuais, do enredo em si gostei muito da Nátalia sua história de vida chega a ser comovente, com certeza vou querer acompanhar os outros livros da autora.

    Curtir

  4. Adorei a resenha. Confesso que infelizmente não curto o gênero, mas fico feliz que a autora tenha pensado tão bem na ambientação e na linguagem dos personagens! Adorei as fotos também, por ser nacional, quem sabe eu leia algum dia né?!
    Bjs

    Curtir

  5. Oi, tudo bem ?

    Primeiramente já tinha escutado falar deste livro e amo o gênero, então ver o quote do Mário sendo engraçadinho me fez rir e querer conhecer a história, assim como a capa está bem coerente e a proposta da leitura bem interessante . Gostei da sua pontuação e pretendo conhecer o livro em breve, parece uma ótima indicação.

    Curtir

  6. Adoro livros com autores brasileiro que retratam cidades do nosso país. Adoro mais ainda, quando o autor retrata a cultura nas suas história e história como essa que você retratou, entre a cidade grande e uma cidadezinha, mostrando o dialeto popular, é uma leitura satisfatória!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s