Resenha: ‘Nos Braços do Roqueiro – Terri Anne Browning’

Oieeeee pessoal!!! Conforme eu prometi na matéria especial do Dia Mundial do Rock, hoje trago pra vocês a resenha do primeiro livro da série The Rocker, o livro Nos Braços do Roqueiro da Terri Anne Browning, que foi lançado, aqui no Brasil, pela Editora Bezz em Abril/ 2016. Essa é uma das minhas séries preferidas de rockstars e eu estou muito feliz em falar sobre ela pra vocês aqui no blog. Mas antes de qualquer coisa, bora pra sinopse:

“Sair em turnê com quatro roqueiros parece um sonho. Pelo menos é o que as pessoas me dizem. Para mim, esses quatro roqueiros são a minha família. Cuidam de mim desde meus cinco anos de idade, protegendo-me da minha mãe e de seus episódios de fúria quando estava bêbada e drogada. Mesmo depois de famosos, continuaram cuidando de mim. E quando meu monstro de mãe morreu, eles se tornaram meus guardiões. Há seis anos eu cuido dos quatro homens que são tudo para mim. Tomo conta deles da mesma maneira que sempre cuidaram de mim. Resolvo tudo, até as sujeiras dos bastidores da vida de um roqueiro. Nem sempre é bonito. Às vezes, chega a ser quase repugnante, principalmente quando tenho que me livrar das transas aleatórias. Ugh! E se apaixonar por um roqueiro não é inteligente. Tudo bem, então não sou inteligente. Eu amo os meus garotos, e um deles, meio que tem meu coração em sua, grande e calejada, mão roqueira.”

c6f84dbf-5f11-4abd-922b-b78022b4749c

O livro começa com um prólogo de partir o coração onde temos Emmie Jameson com apenas 7 anos sofrendo com os abusos da sua mãe. Conforme essa Emmie criança narra o acontecimento, percebemos que isso é algo que acontece com frequência: sua mãe chega em casa drogada, bate nela e ela foge pra casa de um dos seus amigos do campo de trailers onde vive. Seus amigos são Nik, Jesse, Drake e Shane. Eles são dez anos mais velhos que ela, estão no Ensino Médio e têm uma banda. Eles cuidam dela de uma forma tão amorosa, que enche meus olhos de lágrimas tanto pela dor física que a Emmie sente com os abusos da mãe, quanto com a dor pelo sentimento de impotência dos meninos que não podem fazer nada pra fazer tudo isso parar. Eles não querem chamar o Serviço Social porque sabem que podem levar Emmie pra um lugar pior do que aquele e ali, pelo menos, eles podiam cuidar dela. Então eles dão banho nela, cuidam de seus ferimentos e a alimentam, torcendo muito para que aquilo não aconteça novamente.

E assim, com o coração apertado e querendo abraçar todos os cinco e levar pra minha casa pra cuidar deles, o livro começa.

Temos Emmie, agora com 21 anos, e ela mora com os meninos em um ônibus de turnê. Eles, agora, são muito famosos, eles são os integrantes da banda Demon’s Wings, e a vida deles é na estrada e, como não podia ser diferente, Emmie está sempre com eles. Aos 15 anos, depois da mãe de Emmie ter morrido por overdose, os meninos a levaram em turnê com eles. Podemos perceber a eterna gratidão de Emmie para com os meninos, por tudo que eles fizeram por ela e ela tenta compensar isso agora, fazendo tudo que puder por eles, desde arrumar um café até se livrar das garotas que eles arrumam pra passar a noite.

Por mais que eles digam que ela não precisa fazer tudo isso, ela não concorda e faz mesmo assim, afinal, é o mínimo que ela poderia fazer por eles depois de tudo.  E ai, eu quero esses meninos pra serem meus amigos, sério!!! Eles são maravilhosos demais com ela. É muito fofo de se ler. Dá pra perceber que eles são como uma família, a família que eles nunca tiveram e que, mesmo com todas as diferenças, se respeitam e se amam mais que qualquer outra coisa.

“- Bem, você precisa. Queremos saber onde quer viver. Você sabe que aonde você for, nós iremos.”

Tudo é absolutamente perfeito, exceto uma pequena paixonite chamada Nikolas Armstrong que é o ponto fraco de Emmie. Nik é o vocalista da banda, e Em é completamente apaixonada por ele, mas esconde isso o máximo que pode porque não quer estragar a relação maravilhosa que ela tem com ele. Confesso que eu também ficaria apavorada. Esse tipo de amizade é tão difícil de encontrar que dá medo mesmo de qualquer coisa acabar estragando tudo.

Nik é muito amorzinho, ele é o integrante mais calmo da banda que mantém todos os outros sãos. Além de vocalista, ele é quem compõe as músicas da banda. Ele sempre coloca em suas canções o que aconteceu com eles na infância e tudo que eles passaram até chegar onde chegaram. Ele é o mais atencioso e carinhoso de todos, apesar de Jesse fazer um pouco desse papel também só que um pouco mais bruto rs. Podemos perceber o quanto ele ama o que faz, o quanto ele ama a música e a sua família formada pela banda e Emmie.

Acontece que tem algo de muito errado com Em. Ela anda passando muito mal, quase não consegue comer e vomita tudo que coloca no estômago. Os meninos da banda percebem que tem algo de errado com ela e acham que é estresse por causa da turnê maluca que eles estão fazendo. Então eles a convencem a encontrar uma casa no lugar que ela quiser para que eles saiam de férias assim que fizerem o último show (QUERO!) e a convencem a ir procurar um médico quando chegarem lá. Só que não dá tempo. Durante um show, quando Nik anuncia uma nova música que ele compôs e Emmie acha que ele está apaixonado por alguém, isso parece ser a gota d’água para o que quer que seja que ela tenha; ela sai correndo pra vomitar e acaba desmaiando.

Por sorte, nesse momento, ela está com um amigo da banda Axton Cage, que a leva às pressas pro hospital. Quando ela acorda, o médico diz pra ela que ela vem passando mal porque ela está muito desidratada e passando por muito estresse, mas a principal razão de todo o mal-estar é apenas uma: ela está grávida (PASMEM COMIGO!). Vocês conseguem imaginar como os meninos da banda vão reagir com isso, né? Eles que são roqueiros fodões e super protetores vão ficar loucos da vida querendo matar o responsável por ter ousado tocar na sua Em. E quem mais surta no hospital é quem? O próprio! Nik fica louco da vida querendo saber quem ousou tocar a Em e a partir daí podemos ver que Nik também nutre sentimentos além de amizade pela Em. Agora eu lhes pergunto: quem é o pai dessa criança, meu Deus? Vou deixar a dúvida aí pra vocês matutarem um pouco rs.

Assim, depois dessa bomba lançada com sucesso, todos os cinco saem de férias antecipadas porque a Em tem que ficar de repouso e todos eles precisam absorver toda a mudança na rotina deles. Nik acaba se aproximando de Em, porque (SIM) ele também é apaixonado por ela. No decorrer do livro eles passam por todas as atribulações de um relacionamento normal, tentando encontrar um equilíbrio entre o romance, a amizade e a rotina de um astro do rock.

“…eu estou apaixonado. Existe essa chama, Ember, em meu coração que me segura e não vai me soltar.”

O que eu mais gosto nesse livro e em toda a série é a rotina da banda que é retratada. As viagens de ônibus de cidade a cidade, show após show. A adrenalina e a energia que é retratada pela autora quando os meninos estão tocando e o quanto eles amam o que fazem. Além disso, a amizade de todos eles, mas principalmente do Jesse e da Em, me fazem suspirar e pensar “Ai, que amor!” a todo momento rs. Jesse e Emmie têm uma ligação muito forte que os fazem se tornar mais que irmãos e não dá nem pra explicar esse laço que eles têm. Só lendo o livro pra entender rs.

Como eu já disse lá em cima, eu amo muito essa série. Eu amo essa banda, amo esses meninos, a Emmie e amo tudo que envolve todos eles. Mas esse amor todo não é graças a esse primeiro livro, infelizmente. Pra mim, a autora não desenvolveu a história como poderia. O livro começa muito bom, com toda a densidade da infância da Emmie e a sugestão de como era a infância dos meninos também, aí passa pra toda a rotina da banda durante a turnê e todo o amor escondido da Emmie pelo Nik…mas depois que eles saem de férias e a Emmie e o Nik começam a se entender, pra mim, a temperatura baixou muito.

Acho que foi muito corrido, o livro é muito pequeno e eu não entendi o por quê da pressa em acabar o livro logo. Não foram tratados dos assuntos densos e importantes que a autora traz no começo e eu senti que ficou faltando desenvolver melhor o amor tão lindo dos dois. Enfim, o livro começa maravilhoso e termina maravilhoso com um epílogo que me deixou suspirando apaixonada. Mas o meio poderia ter sido melhor desenvolvido.

Mas mesmo com esse ponto negativo, o livro me pegou de uma forma que poucos fazem e, por isso, continuei com a leitura dele e dos outros da série e não me arrependi nem um pouco. Recomendo a leitura pra você tirar suas próprias conclusões rs

Esse foi o primeiro livro da Editora Bezz que eu tive em mãos e fiquei um pouquinho decepcionada. O livro é pequeno e muito fino, se fosse menor, seria um livro de bolsa e eu nunca curti livros assim. Pelo que me falaram, os livros da editora costumam ser desse tamanho então acho que isso é um ponto negativo. Mas a capa é linda e a tradução do título até que é mais ou menos fiel ao título original, Who Holds Me. E o que eu mais amei no livro é que a cada fim de capítulo, temo a imagem da capa novamente. Achei bem fofo rs.

c84e23e2-c8fa-4fc5-b640-a984cac0c08c

E assim, deixo minhas 4 Angélicas pra esse livro que é apenas o início de uma série que vale a pena ser lida. No mês que vem, eu volto com o livro O Coração do Roqueiro que conta a história do Jesse, baterista da banda. E aí? Já conhece essa série? Me conta tudo aqui nos comentários!CLASSIFICAÇÃO 4 ANGÉLICAS

14 comentários em “Resenha: ‘Nos Braços do Roqueiro – Terri Anne Browning’

  1. História que envolve Rock é muito bom. Como vc descreveu a narração detalhando todo o contexto de uma banda de rock, deve ser uma leitura bastante animadora, porém, a curiosidade ficou em saber quem é o pai do filho de Em? Será o Nik?

    Curtido por 1 pessoa

  2. Oi floor! Nossa, coitada da protagonista, que infância difícil. Já sinto um carinho por esses quatro meninos, sem nem ter lido o livro, por terem cuidado dela ❤ realmente deve ser muito complicado se apaixonar por alguém tão presente em sua vida, tão amigo. Nunca passei por essa situação, mas deve ser desesperador e eu também não saberia o que fazer. Sou daquelas que acha que sentimentos nunca devem ser mantidos em segredo, que é melhor saber do que passar o resto da vida se perguntando como seria. Mas ao mesmo tempo, não sei se teria essa clareza caso vivesse algo assim. Pra ela devia ser ainda pior, já que os quatro são tudo que ela tem na vida né, prejudicar a relação com qualquer um deles seria muito doloroso. MEU DEUS COMO ASSIM GRÁVIDA? Gente, quanto drama, amoooooooo! Uma pena que o ritmo do livro pecou depois das tais férias, mas pelo visto ainda vale muito a pena, tanto pelos personagens quanto pelo balanço final da série né? Eu normalmente não sou de ler esse gênero não, acabo dando preferência a outros, mas vou deixar anotadinho para aquele momento que eu estiver desejando um bom romance.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Sim!!! Esses garotos são demais!! Todo o carinho e amor que eles demonstram pela Em é de fazer chorar rs
      Eu também amoooo um bom drama kkkkk.
      SIM, GRÁVIDA!!! Fiquem em choque quando li kkkk mas tudo tem uma explicação!!!
      E realmente foi bem triste que o ritmo da leitura não foi legal, mas vale a pena ler mesmo assim!!!

      Curtir

  3. Oi Letícia, tudo bem?

    Não conhecia essa série, mas depois dessa resenha é claro que quero muito ler, e o quanto antes. Coitada da Em na infância, deve ter sido momentos horríveis e que ficaram marcados para sempre nela. Nesse epílogo, creio que eu já teria me apaixonado pela obra.
    Enquanto ia lendo sua resenha já estava imaginando que ela teria alguma doença grave, mas quando veio a notícia da gravidez, fiquei pasma. Já criei a minha teoria. Em um dia que estava bêbado, Em e Nik acabaram indo para a cama, só que ele não consegue lembrar do que aconteceu, e foi aí que ela engravidou. Sinceramente, espero que seja isso.
    Uma pena que o meio do livro não seja tão bem desenvolvido, isto também seria algo que iria me incomodar, pois gosto das histórias com mais detalhes. Quanto aos livros da editora, não conheço, mas confesso que não me importo com o tamanho menor, desde que seja daqueles padrões que já existem. Adorei a sua resenha, com certeza via para a lista!

    beijos!

    Curtido por 1 pessoa

    1. SIM, a gravidez é uma coisa que me deixou super chocada também. E pra saber o que aconteceu, só lendo mesmo kkkk
      Meu problema com o tamanho do livro é que podia ser maior se fosse melhor desenvolvido pela autora. Fiquei um pouquinho decepcionada quando recebi rs

      Curtir

  4. Menina, a sinopse é bem forte, a infância dessa protagonista aí então nem se fala… Vou te dizer. Eu juro que tento manter meus dedinhos mais comportados e fazer um elogio, mas sinceramente, acredito que me incomodaria muito esse tamanho de livro porque eu não gosto de livros de bolso também. Mas como pelo visto isso não influencia na qualidade da história para você, tudo bem, tudo tranquilo e favorável. Mas olha, esse titulo, na moral… Achei bem tosco.

    Ai, desculpa! [Corri] rs.

    ~ Diego França|
    |Blog Vida & Letras ~
    http://www.vidaeletras.com.br

    Curtido por 1 pessoa

    1. kkkkkkkkkkkkkkk Di, fica tranquilo!!! O título não é maravilhoso mesmo, mas é fiel ao original então a culpa é da autora mesmo kkkkk
      Quanto ao tamanho do livro, olha fiquei beeeeeem triste quando recebi. E a autora correu com a história e isso não é legal. Mas tirando isso, eu adorei rs

      Curtir

  5. Caramba. Já quero. Quem é o pai deste bebê?
    Fiquei super curiosa com ela trama parece ser super divertida. Lendo sua resenha já ficava louca para poder ler a série. Acho essa combinação 🔝. Música e romance. Anotado para TBR. Beijos

    Curtir

  6. Adoro essas resenhas super completonas e como nos deixam com vontade de ler a obra. Não conhecia, mas vou dar uma olhada melhor e quem sabe leia quando tiver um tempo.

    Curtir

  7. Oiii flor,
    Acredita que eu ainda não li nenhuma série de rockstar? Eu ainda não conhecia essa série mas pela sua resenha fiquei bem curiosa.Eu até já consigo imaginar a reação dos meninos da banda quando ela revelou estar grávida. :O
    Talvez a falta de desenvolvimento na história que você sentiu foi feita de maneira proposital para que rendesse mais livros, Será?
    Obrigada pela dica, com certeza, vou procurar saber mais sobre essa história.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s