Resenha: ‘O Fundo É Apenas O Começo – Neal Shusterman’

Oi oi pessoas. Estou de volta para falar de um dos livros que mais mexeu comigo e me fez refletir por um bom tempo depois da última página. Recebemos O Fundo é Apenas o Começo em parceria com a Editora Valentina e confesso que demorei mais que o meu normal para ler para absorver bem, tudo que estava lendo e sentindo. Antes de saber mais, confere a sinopse:

“Caden Bosch está a bordo de um navio que ruma ao ponto mais remoto da terra: Challenger Deep, uma depressão marinha situada a sudoeste da fossa das marianas. Caden Bosch é um aluno brilhante do ensino médio, cujos amigos estão começando a notar seu comportamento estranho. Caden Bosch é designado o artista de plantão do navio, para documentar a viagem com desenhos. Caden Bosch finge entrar para a equipe de corrida da escola, mas na verdade passa os dias caminhando quilômetros, absorto em pensamentos. Caden Bosch está dividido entre sua lealdade ao capitão e a tentação de se amotinar. Caden Bosch está dilacerado. Cativante e poderoso, o fundo é apenas o começo é um romance que permanece muito além da última página, um pungente tour de force de um dos mais admirados autores contemporâneos da ficção jovem adulta.”

Primeiro de tudo, eu preciso dar um simples conselho. Quer ter uma experiência de surpresas, descobertas e entrar totalmente em uma história sem saber o que te espera? Então, pare de ler esta resenha por aqui e corra pra comprar este livro. Eu não ligo que eu possa ter escrito tudo a seguir em vão, contanto que você tenha a mesma experiência que eu tive. Peguei este livro apenas tendo lido a sinopse e ter recebido um aviso de não ler sozinha pois a jornada seria intensa. Eu confesso que saber mais sobre a história só me deixa mais curiosa para conhecê-la, mas por algum motivo, eu não quis saber quase nada deste livro e sinto que tomei a decisão certa.

Pra você que ainda continua por aqui, pode relaxar que não darei spoilers. Na verdade não há nada de reviravoltas ou plot twists que irão estragar totalmente a leitura se você souber antes. Este livro é mais para nos fazer entender como uma doença mental pode ser muito mais do que achamos que sabemos do lado de fora e para que quem vive esta realidade possa se sentir de certa forma, compreendido.

36862003_1289321464532150_7398649288454045696_n

Vamos conhecer o adolescente Caden Bosch. Um garoto inteligente e carismático que vive sua vida normal, seja se misturando em cada grupo da escola ou criando um game com os amigos Max e Shelby. Mas em determinado momento as coisas começam a mudar gradualmente. Começa com uma convicta certeza de que um colega de escola quer lhe matar, pensamentos que ele em algumas horas sabe que são irracionais, mas no momento seguinte já confia plenamente neles.

As coisas só pioram com sua crescente ansiedade que não o deixa comer, dormir e pensar direito. Caden está perdendo a noção do que é real e o que não é. Quando seus amigos e pais notam que algo está errado com ele e tentam conversar e entender, Caden sabe que não vão acreditar nele e apesar de no fundo saber que tudo é coisa de sua cabeça, as vozes sempre o fazem voltar atras e entrar em seu próprio mundinho no qual as pessoas tramam contra ele e se ele não andar até os pés sangrarem, algo de muito ruim vai acontecer.

“O que acontece quando o seu universo começa a sair do ponto de equilíbrio e você não tem a menor experiência em reconduzi-lo ao centro?”

Paralelo a esta ‘realidade’, temos uma jornada de Caden Bosch em um navio pirata, rumo a exploração do ponto mais profundo da Terra, que promete guardar muitos tesouros, o Challenger Deep. Além dele e de todos os seus companheiros marinheiros, que vão ganhando destaque ao longo da trama, temos o capitão, que é rígido e não aceita ser contrariado e o papagaio, que está atento a tudo e que planeja se livrar do capitão assim que surgir a oportunidade.

Caden se torna cada vez mais essencial para a missão, com seus desenhos reveladores. Ele se vê em um embate entre o papagaio e o capitão, sem saber em quem acreditar. O papagaio quer ajudá-lo a se livrar do capitão, que segundo ele é uma ameaça, e a sair do navio, e o capitão quer que Caden o ajude a alcançar seu objetivo e enfim ser livre. Caden também  cria vínculos com alguns dos companheiros a bordo, como o navegador, o faxineiro Carlyle e Calíope, que vive na proa do navio.

Essas duas dimensões começam a se entrelaçar e a se complementarem. O autor até muda a forma de narrativa – que é predominante em primeira pessoa – para segunda pessoa, assim conseguimos realmente entrar na história e nos colocarmos literalmente no lugar de Caden. Como temos estes dois mundos sendo apresentados ao mesmo tempo, eu acompanhei todas as fases de Caden como as minhas também. No começo, toda a confusão e o não saber o que está acontecendo, depois a dúvida de qual mundo é o real, mesmo sabendo qual obviamente é, e enfim o entendimento do que está realmente acontecendo. É incrível!

“Você vê demônios nos olhos do mundo, e o mundo vê um poço sem fundo nos seus.”

Eu adoro todos os assuntos que se referem a mente humana. Eu sou fascinada por saber mais e mais do que nosso cérebro é capaz e todas as suas nuances. E o que mais amei neste livro é que podemos entender como a doença mental realmente afeta a pessoa, de uma forma totalmente nova. Temos muitos livros que nos ensinam sobre esses temas, mas sempre de uma forma didática e até entediante as vezes. Em O Fundo é Apenas o Começo, entendemos realmente como é difícil estar preso dentro de sua própria mente e conseguimos compreender melhor como todas as pessoas com esta doença realmente se sentem. Com uma trama não tão simples de ser lida, mas intensa e envolvente que me deixou pensativa e me marcou pra sempre, com toda a certeza.

Acredito que muitas pessoas podem se identificar nem que seja 0,01% com Caden. Por exemplo: eu não consigo sair de casa sem conferir se tudo está fechado e desligado e se eu penso em não fazer isso algo me diz que alguma coisa dará errado. Claro que estou falando de algo muuuito menor e diferente aqui, e não é algo que precise de medicação e acompanhamento, mas é só um exemplo das peças que nossa mente pode nos pregar e aposto que muitos vão se identificar comigo. Assim como muitos se identificam com Caden ou até mesmo com seus pais.

“Quando a verdade dói, sempre sentimos ódio do mensageiro.”

A diagramação está do jeito que a gente gosta, com páginas amareladas e com fonte e espaçamento com um tamanho ótimo para uma leitura confortável. Os capítulos são curtos, em sua maioria, o que dá uma maior agilidade na leitura, numerados e nomeados com frases que condizem com cada capítulo referente. Também temos alguns desenhos espalhados que marcam determinadas passagens do livro.

36817644_1289321001198863_5328722648056725504_n

Neal Shusterman é um premiado autor do New York Times e venceu ou foi finalista de quase todos os prêmios literários dos EUA. Ele deixa claro que este livro não é exatamente uma obra de ficção, pois tudo que Caden passou é a realidade de milhares de pessoas, incluindo de seu próprio filho. Neal pegou muitas situações que passou e viu seu filho passar, para criar esta obra tão verdadeira. Inclusive, os desenhos que citei foram feitos por seu filho quando estava submerso nas profundezas de sua mente. Em uma nota no final do livro, Neal diz que espera que esta história nos faça sentir empatia e compreender como pode ser obscuro e imprevisível todos esses transtornos mentais e para que quem passa por isso, saber que não está sozinho.

Pelo menos da minha parte, Neal atingiu seu objetivo. Eu, como amante da amplitude de nossa mente, com certeza compreendo ainda mais como os transtornos mentais podem ser provações extremamente difíceis. Pelo que eu soube, a compreensão final deste livro é diferente para cada pessoa, – recebemos esse aviso da editora – então se você já leu, me conta aqui qual a sua conclusão para eu saber se é a mesma que a minha e se você vai ler não esquece de vir me contar depois. Indico muito esta leitura que foi tão maravilhosa e não teria como dar menos do que 5 Angélicas.CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

Anúncios

9 comentários em “Resenha: ‘O Fundo É Apenas O Começo – Neal Shusterman’

  1. Minha nossa!!! Não costumo gostar de livros assim, muito complexos rs. Mas esse me deixou super curiosa pra entender (ou tentar) tudo que se passa na cabeça do Caden.
    E como eu amo quando os autores colocam um pouco de si nos livros. Me deixou arrepiada saber que os desenhos e algumas experiências são do filho do Neal. Vou comprar esse livro pra ler e depois a gente vê se a minha conclusão bate com a sua rs.
    Parabéns pela resenha maravilhosa, Anna!!! Ameeeei ❤

    Curtir

  2. Olá! Caramba, achei bem interessante o inicio do seu post.Não continuei, adicionei a minha lista do skoob e vou procurar imediatamente esse livro. Entendi sua posição, tem livros que eu leio e até quero fazer uma resenha,mas tudo parece tirar a surpresa,então não faço e só fico dizendo para todo mundo: LÊ! É incrível!.

    Curtir

  3. Oi tudo bem?

    Não conhecia o livro e autor, mas sua resenha consegui o mostrar bem seu ponto de vista sobre a obra e me deixar interessada. A proposta do livro é igualmente interessante e com toda certeza deve ser uma ótima dica de leitura.

    Curtir

  4. Olá! CARAMBA!
    Pelo visto, é uma história bem densa mesmo, e isso já me interessou demais. Quando eu fui lendo, a apresentação da história e dos mundos paralelos, me lembrei muito de As Aventuras de Pi.
    Eu também sou apaixonada pela mente humana, e ler esse livro deve ser maravilhoso! Adorei tua resenha.

    Beijos||Psicologia de Boteco
    http://www.psideboteco.blogspot.com

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s