A Hora do Chá: ‘Como se Casar com um Marquês – Julia Quinn’

Oi ooooi gente! Hoje eu trouxe para a nossa hora do chá semanal, o segundo livro da duologia Agentes da Coroa. Já falamos sobre Como Agarrar uma Herdeira e a história de Blake e Caroline. Dessa vez, vamos reencontrar James e saber como seu caminho irá se cruzar com o de Elizabeth. Mas, antes de falar sobre o livro, vamos a sinopse…

Elizabeth Hotchkiss precisa se casar com um homem rico, e bem rápido. Com três irmãos mais novos para sustentar, ela sabe que não lhe resta outra alternativa.
Então, quando encontra o livro Como se casar com um marquês na biblioteca de lady Danbury, para quem trabalha como dama de companhia, ela não pensa duas vezes: coloca o exemplar na bolsa e leva para casa.
Incentivada por uma das irmãs, Elizabeth decide encontrar um homem qualquer para praticar as técnicas ensinadas no pequeno manual.
É quando surge James Siddons, marquês de Riverdale e sobrinho de lady Danbury, que o convocou para salvá-la de um chantagista. Para realizar a investigação, ele finge ser outra pessoa. E o primeiro nome na sua lista de suspeitos é justamente… Elizabeth Hotchkiss.
Intrigado pela atraente jovem com o curioso livrinho de regras, James galantemente se oferece para ajudá-la a conseguir um marido, deixando-a praticar as técnicas com ele. Afinal, quanto mais tempo passar na companhia de Elizabeth, mais perto estará de descobrir se ela é culpada.
Mas quando o treinamento se torna perfeito demais, James decide que só há uma regra que vale a pena seguir: que Elizabeth se case com seu marquês.

Elizabeth trabalha há alguns anos com Lady Danbury. A menina ocupou o cargo quando seus pais morreram e ela ficou com a responsabilidade de cuidar e criar os irmãos mais novos, duas meninas e um menino. O problema, é que cada vez mais, Lizzie precisa de dinheiro para poder dar um futuro as crianças, principalmente o de Lucas, que deveria conseguir ir para uma boa escola. Quando repara que seu salário já não é suficiente, a irmã mais velha da família Hotchikiss decide que precisa se casar com um homem rico. E seu plano começa a se desenvolver quando ela encontra o livro ‘Como se casar com um marquês” na biblioteca de sua Lady.

410

James Sidwell , o marquês de Riverdale, é sobrinho de Lady Danburry, que foi criado por ela. Depois dos acontecimentos finais do livro anterior, ele acabou se afastando da função de Agente da Coroa. A tia lhe envia uma carta, contando que esta sendo chantageada e pede ajuda. O homem então, decide se disfarçar de novo administrador das terras, sob o nome de James Siddons, para tentar descobrir o autor das ameaças.

Eles, literalmente, se esbarram assim que James chega a Casa Danburry e o homem já fica intrigado com a jovem senhorita que tenta esconder o livro que esta em sua posse. Além disso, Elizabeth se torna a sua primeira suspeita, afinal, além dela precisar de dinheiro, ela é a dama de companhia da Lady e sabe tudo a seu respeito.

– Quer saber a verdade?
– Hã… sim. A verdade é quase sempre o caminho preferível.
– Quase?
– Ora, se a outra escolha acabar magoando alguém – explicou Elizabeth -, então…

Mas, logo ele começa a deixar essas suspeitas de lado, quando vê o carinho, amor e respeito que a jovem tem pela sua patroa. O marquês consegue perceber que Lizzie se preocupa sinceramente com a mulher que faz companhia, só porque a senhora decide sair um pouco de sua rotina, coisa que não é normal.

E, enquanto desfruta da companhia de Elizabeth, James acaba descobrindo o livrinho que tanto ela tenta esconder. E James sendo, de fato, um marquês, ele decide ler o livro e ajudar a moça a conquistar alguém para casar. Mesmo, que o próprio seja contra diversas regras que a autora apresenta e passe a ensinar métodos totalmente diferentes.

Durante o tempo que vão passando juntos, James conhece os outros integrantes da família Hotchkiss e se encanta com os irmãos mais novos de Elizabeth. Sem dúvidas, uma das cenas mais fofas do livro é quando o ex agente conhece Jane e faz com que a menina tem um momento que jamais esquecerá. E não, não vou dizer qual é, porque merece ser lido rs.

– Acho que gosta de uma travessura Sr. Siddons. E está tentando me fazer dizer algo de que possa me arrepender.
Ele deu um sorriso malicioso.
– Prefiro levá-la a fazer algo de que possa se arrepender.

O problema é que James guarda um segredo de Elizabeth, guarda um segredo da pessoa que esta se apaixonando e confiando nele. E quando tudo for revelado, quando ele decidir revelar até seus sentimentos, pode enfrentar uma grande resistência da mocinha. Afinal, ela terá todo direito de se sentir enganada e até mesmo motivo de chacota.

Elizabeth é um doce de pessoa. Se esforça para criar os irmãos, de quem esconde a verdade sobre a morte do pai. Tenta pensar em soluções para arrumar dinheiro, mesmo que isso signifique sacrificar sua própria vida, mas pensa que a educação dos irmãos vale muito mais. Nutre um amor e respeito muito grande por Lady Danburry, com quem tem um relacionamento com maneirismo e um toque de comédia. Fora os diálogos que mantém com o gato. Só que ainda que pense que deva se casar com dinheiro, vai se apaixonando pelo novo administrador das terras.

James é um velho conhecido nosso, mas, acredito que ele tem diferenças de quando o vimos em Como Agarrar uma Herdeira. Ele está mais sério, mais decidido em encontrar quem esta atormentando sua querida tia. Inclusive, vamos descobrir porque foi ela que o criou desde a infância, num momento muito tocante. Ele tem um humor na medida certa, passa a gostar do fato de que a mulher que o está encantando, apesar de querer se casar por dinheiro, esta se apaixonando por ele, sem saber quem ele de fato é. Isso faz com que o amor deles seja o mais genuíno e honesto possível.

– Esse é o espírito da coisa! – disse lady Danburry com uma gargalhada, batendo palmas. – Elizabeth Hotchkiss, declaro que você cada vez se parece mais e mais comigo.
– Que Deus me ajude – comentou Elizabeth com um gemido.

Parece ser contraditório dizer que um amor genuíno nasceu de um segredo, não é? Mas é que só lendo para entender como o amor nasce entre os dois, por meio de conversas tão honestas sobre um e outro. James pode ter omitido seu posto na sociedade, mas não quem é o homem que o carrega.

Assim como no primeiro livro da duologia, esse tem personagens secundários absurdamente encantadores. A primeira, é Lady Danburry. A senhora com um humor maravilhosamente sarcástico e bem espertinha que acaba sendo o elo de ligação entre os protagonistas. Tia de um, patroa de outro, ela rende momentos hilários com os dois. Ela tem um coração gigante e acaba agitando grande parte do livro. Quem também rouba atenção, é seu gato, Malcom. O pequeno animalzinho rouba a cena quando aparece, a ponto de me deixar na expectativa de seu próximo encontro com Elizabeth haha.

Os irmãos Hotchkiss mais novos também são adoráveis. Susan é a segunda mais velha e bem madura para 14 anos. É com ela que Lizzie divide mais as suas preocupações e ela que acaba ajudando a irmã com o livro que acha. Jane é uma menininha muito fofa e querida que forma um dupla imbatível com o caçula Lucas. Eles brigam, brincam e são cúmplices. Roubam risadas sem esforço. Fora a hora que Lucas se comporta como um verdadeiro sir e homem da família.

Havia alguma ligação especial entre eles. Elizabeth não sabia nada sobre amor, mas sabia que poderia se apaixonar por aquele homem. Sentia isso no fundo do seu coração, o que a apavorava.

Aaaaaaaah! Não posso esquecer de mencionar que Caroline e Blake aparecem por aqui! Caroline, claro, rouba a cena e se torna amiga à primeira vista de Elizabeth. Além disso, ela e Blake continuam com seus diálogos doidos e apaixonados, que deixam James a ponto de arrancar os cabelos. Foi uma participação super gostosa dos protagonistas do livro anterior.

Continuei achando a escrita da Julia muito cativante. Confesso que comecei a ler esse com mais medo do que o primeiro, afinal, já tinha gostado muito e também me interessei demais por James. Bateu o medo de não superar o que eu já estava esperando. Mas, a autora continua com toda uma aura de amor, com os toques de comédia e uma pitada de drama.

A aparência e a juventude dele eram vistas como uma vantagem, mas James nunca ouvira ninguém mencionar sua inteligência, seu senso de humor ou mesmo seu sorriso.
No fim das contas, Elizabeth Hotchkiss era a primeira mulher que James conhecia em muito tempo que parecia gostar dele pelo o que ele era.

Fora, que ela nos trás personagens muito cativantes, com problemas reais, os quais a gente se pega torcendo para que tudo de certo e eles consigam encontrar a felicidade. A trama é narrada em terceira pessoa, como a maioria dos livros de época, e que funciona super bem, fazendo com que a gente consiga ver todos os pontos dos personagens. Preciso comentar, que assim como no primeiro livro, adorei a forma que Quinn nos trouxe o epílogo. Uma forma diferente e que combina com a protagonista.

411

A diagramação é simples, mas muito boa. As folhas são amareladas, com letras super confortáveis para a leitura e um bom espaçamento. Os capítulos são de forma corrida; aqueles que começam onde o anterior acabou. Confesso que não sou muito fã disso, mas não me incomodou, afinal, já estava acostumada.

Sem dúvidas amei conhecer a escrita da Julia Quinn e espero ler muitos outros livros dela. É com muito amor, mas com muita tristeza que me despeço dos personagens de Agentes da Coroa, mas não sem antes deixar minhas cinco Angélicas.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

14 comentários em “A Hora do Chá: ‘Como se Casar com um Marquês – Julia Quinn’

  1. Primeiramente, parabéns pela postagem. Muito bem organizada, com fotos e trechos da própria obra. Contudo, não entendi a motivação da coisa toda, principalmente nessa frase: “… precisa se casar com um homem rico, e bem rápido. Com três irmãos mais novos para sustentar, ela sabe que não lhe resta outra alternativa.” Qual é a relação entre ter três irmãos mais novos e precisar se casar rápido, e com alguém rico?

    Curtir

  2. Ha ha ha adorei essa hora do chá 💙🤣 Amei sua resenha, ainda não conheço esse livro, vou dá uma olhada no primeiro para eu ver como é! 💙

    Curtir

  3. Olá, rainha!

    Confesso que li duas histórias já da Quinn, da primeira saga dela, e não me interessei muito em continuar, mas estou super curiosa com essa história da herdeira – e tinha um outro de romance que eu curiosei também, mas não lembro. Não é – nem de longe – meu gênero favorito, mas tô com muita vontade de ler o primeiro desde que descobri que a mocinha queria ficar sequestrada, muito embora o motivo dela não faça sentido para a época, porque mulheres não tinham direitos de herança.
    E curiosei com esse também porque, verdade seja dita, é sempre engraçado ver o não esperado acontecendo, ri já na tua resenha (e sim, eu leio romances assim porque acho engraçado, me perdoa!). Adorei. 😉

    Curtir

  4. Olarr, bem, acho que é a primeira vez que leio uma resenha da hora do chá, mas não tenho certeza, lí outra resenha de algum livro da Julia no teu blog:) E gostei bastante! Eu sou apaixonada por livros, mas tenho uma queda por novels. Achei a história interessante, mas me lembrou outras que remetem à época. Abraços!

    Curtir

  5. Eu não entendi bem o motivo da vontade da Elizabeth ter tanto que se casar rápido, ok que ela tem os irmãozinhos e talvez a pressa de casar seja o fato dela precisar de alguém que a ajude carregar o mundo pq ela meio que faz isso sozinha.

    Curtir

  6. Vale falar que já amei Elizabeth? Pela sua resenha eu senti que ela é aquela personagem que eu vou pegar para cuidar e proteger de todo mal. Talvez ninguém entenda bem a pressa/desespero dela em casar, mas a verdade é que ela carrega o mundo nas costas e precisa de ajuda. Ah, se ela soubesse que casamento as vezes podem atrair mais problemas. Adorei a resenha.,

    Curtir

  7. Pelo o que eu entendi, Elizabeth é aquela personagem que meio que tem que fazer tudo sozinha, ela é nova e já tanta responsabilidades. Talvez Elizabeth não precise de um marido rico, mas sim de um amigo, companheiro, que a ajude a segurar o mundo.

    Curtir

  8. Como sempre você arrasando nas resenhas, amo romances históricos, e desde do lançamento desse livro ele está na minha lista de leituras, amo quando os personagens são tão bem escritos que quase se tornam reais.

    Curtir

  9. Que legal encontrar aqui esta resenha ainda mais agora em junho, gostei da sua maneira de expressar sobre a leitura. recentemente descobri este fato das folhas amareladas ajudarem mais na leitura. Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s