Resenha: ‘Inocência? – Gail Carriger’

Hello queridxs!!! Voltei com mais uma loucura, quer dizer, livro, da série O Protetorado da Sombrinha da Gail Carriger. Hoje trago o livro Inocência?, o terceiro livro da série. Caso você ainda não tenha lido as duas primeiras resenhas, segue o link de Alma? e Metamorfose?, para você se atualizar antes de ler a resenha de hoje. Bom, antes de qualquer coisa, vamos à sinopse:

“Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana.
Ao abandonar a residência do marido e se mudar de volta para o lar de sua terrível família, Lady Maccon se tornou o escândalo da temporada em Londres.

Além disso, a Rainha Vitória dispensa Alexia do Conselho Paralelo, e a única pessoa capaz de ajudar a esclarecer os fatos, Lorde Akeldama, inesperadamente deixa a cidade. Como se não bastasse, Alexia é atacada por joaninhas mecânicas assassinas, indicando – como apenas joaninhas são capazes de fazê-lo – o fato de que todos os vampiros londrinos estão muito interessados em vê-la rigorosamente morta.
Enquanto Lorde Maccon concentra seus esforços em ficar cada vez mais ébrio e o Professor Lyall se desdobra para que a Alcateia de Woolsey se mantenha coesa, Alexia deixa a Inglaterra em direção à Itália em busca dos misteriosos Templários. Somente eles têm o conhecimento sobre os seres preternaturais que Alexia precisa para entender sua crescente e inconveniente condição, mas eles podem ser piores que os vampiros – e estão armados com molho pesto.”

Quando você pensa que Alexia não pode entrar num escândalo maior do que os anteriores, ela vai lá e te surpreende. Dessa vez, não por culpa dela (acredite se quiser), ela está sendo mais do que nunca julgada e condenada pela sociedade em que vive. Mas o pior de tudo é que o seu estúpido, insensível, traidor, desconfiado e grosseiro marido não acredita nela e se enfia em uma fossa colossal (daquela que a gente se enfia em um pote de sorvete enquanto escuta Adele), se embriagando com formol e a deixando a mercê de tudo de ruim que poderia (ou não) acontecer naquela situação. Para piorar um pouco mais, seu melhor amigo, Lorde Akeldama, sumiu do mapa deixando Alexia sozinha pra se defender de joaninhas assassinas e damas da sociedade mal educadas.

“- Conall sempre foi meio tolo. Se fosse esperto, não teria se casado comigo.”

Mas vamos começar do começo né? Depois do meu coração ser partido no final de Metamorfose? e eu ficar sem saber por quem sofrer mais, por Alexia ou por Conall, eu comecei e ler Inocência? torcendo para que tudo se ajeitasse entre nosso casal esquisito logo no começo do livro. Porém, Conall imbecil Maccon, acaba logo com essa dúvida porque ele me decepciona passando metade do livro embriagado e a outra metade tentando concertar tudo que ele causou. No meio disso tudo, seu beta, o Professor Lyall, tenta manter sua alcateia firme e forte na ausência do alfa.

Quero deixar aqui registrado, minha grande admiração pelo Professor Lyall nesse livro. Em nenhum momento ele desconfiou da nossa Alexia e teve grande destaque durante todo o enredo do livro. Com a ausência de Conall, Lyall assumiu sua função de beta da melhor maneira possível, sendo leal ao seu alfa e não deixando a peteca cair em nenhum momento.

Voltando à nossa protagonista, Alexia embarca numa nova aventura rumo à Itália, acompanhada de Madame Lefoux, sua mais nova BFF, e de Floote, o mordomo mais multitarefas que já existiu.

Com essa viagem, Alexia, além de tentar permanecer viva até o final do livro, busca uma prova concreta para provar sua inocência tanto para a sociedade londrina quanto para o seu marido idiota. Como ela consegue sobreviver até o final do livro? Também não sei te dizer. Até o momento, esse é o livro onde ela mais sofreu risco de morte e eu só sei que se todo mundo tivesse uma sombrinha igual à dela pra se proteger todos os dias, nossa vida seria muito mais segura rs. No fim, nosso querido (sóquenão) Conall, acaba recobrando o bom senso e começa a trabalhar pra reconquistar sua querida esposa.

“Ela se resignou a levar uma vida sem pesto e, ante esse pensamento, percebeu que perdoaria o marido. Um dia.”

Eu, particularmente falando, teria ficado com o pesto, e olha que eu nem gosto desse molho. Lorde Maccon terá que se superar muito nos próximos livros pra subir no meu conceito novamente, sendo escocês ou não (isso já te diz o quanto ele pisou na bola nesse livro né?).

Agora, o que eu mais gostaria de destacar nessa resenha é a incrível força de Alexia. Logo no começo do livro, ela praticamente perde tudo o que ela ama. O marido virou as costas pra ela num momento muito delicado e a Rainha a dispensou do seu cargo de Muhjah, que era umas das coisas que ela mais se orgulhava de ter. Sua família, que se prova mais horrível do que o já mostrado nos livros anteriores, não a quer em casa por conta do novo escândalo e por isso ela fica sem ter pra onde ir. Quando ela vai em busca da ajuda do seu melhor amigo, descobre que ele sumiu… tudo isso, acrescentado de todos os vampiros de Londres que a querem morta e que estão fazendo de tudo para conseguir isso. Mas tudo isso, só serve para mantê-la mais firme pra continuar e chegar até o fim, seja ele qual for. Alexia permanece plena, indo atrás de seus objetivos sem se deixar abater por todos os contratempos que, com certeza, já teriam me deixado aos prantos logo no começo do livro, se eu tivesse no lugar dela. E o mais bonito de tudo isso, é que no decorrer do livro, Alexia nos mostra seu lado sensível por trás de toda essa força. Ainda munida de seu sarcasmo interminável, ela acaba deixando transparecer o quanto sentia a dor de tudo que estava acontecendo com ela.

“Falar sobre os próprios sentimentos é exaustivo. Não sei se gosto de fazer isso.”

Quanto à diagramação, segue a mesma coisa dos dois primeiros livros, com fonte e espaçamento bons para uma leitura confortável e todos os capítulos continuam bem sinalizados e com títulos pertinentes. Esse, assim como os livros anteriores, eu li em e-Book.

inocência

E assim, um pouco chateada e desiludida com meu ex-querido lobisomem escocês, deixo as minhas 4 Angélicas para esse livro, todas dedicadas a Alexia (minha diva) e ao Professor Lyall (meu mais novo lobisomem preferido).

E aí, o que está achando da série de Steampunk mais cultuada do mundo? Ansiosos por Coração?, o quarto livro da série? Me conta tudo aqui nos comentários.

CLASSIFICAÇÃO 4 ANGÉLICAS

18 comentários em “Resenha: ‘Inocência? – Gail Carriger’

  1. Essa resenha acabou de selar o abandono do livro que estou lendo para passar essa série na frente, nem as provas que vou ter vão me impedir de começar essa série rsrsrsrs.
    Li as 2 resenhas anteriores e com essa peguei uns bons spoilers, coisa que não ligo porque eu amo spoiler, isso é bom para estar preparada e não sofrer muito. Espero que quando você publique a resenha do quarto livro já tenha lido para compartilhar minha opinião.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ai Cá, que bom que você está gostando das resenhas a ponto de passar a série na frente da sua listinha rs
      E AI MEU DEUS, te dei spoiler!! Sorry!!! Mas menos mal que você gosta rs.
      Agora, uma dica: se você não quiser um BIG SPOILER, não leia a resenha dessa semana. Já na sinopse de Coração tem o spoiler que eu tentei segurar agora em Inocência rs.
      Mas se você não se importa mesmo, NÃO PERCA a resenha de sexta! Vou te adiantar que Coração é o melhor livro até o momento, não vejo a hora de mandar a resenha pro BLOG rsrs

      Curtir

      1. Eu amo spoiler, para você ter uma ideia estava lendo o último livro do Myron Bolitar e da metade do livro pulei para os dois últimos capítulos porque não aguentava mais a curiosidade.
        Mas voltando ao livro vou comecar hoje a série acredito que na resenha de sexta já vou poder falar o que achei dela.

        Curtido por 1 pessoa

  2. Achei um pouco confusa a mistura de vampiros, com romance, separações, era vitoriana…de qualquer forma gosto muitode mocinhas fortes que não se deixam abater e vão à luta atrás de seus objetivos.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Parece confuso mesmo! Mas, acredite em mim quando te digo que essa autora consegue colocar tudo de forma tão natural, que já tô achando que é tudo “baseado em fatos reais” rsrs

      Alexia é demais! Sou apaixonada por ela ❤

      Curtir

  3. Menina,
    como assim só quatro menininhas??? Não! Assim não! Se tem vampiros e tem Londres vitoriana já tem que ter 5 menininhas!… Poxa, deu vontade de começar a acompanhar a série, sobretudo por esta pegada steampunk… MAs acho que vou esperar sua avaliação do quarto livro… Se for mais 4 menininhas só, acho que vou preferir voltar a ler o Harry Porter… Que, por falar nisto, seria melhor se tivesse vampiros e se passasse em Londres Vitoriana.
    Amei, como sempre.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Luca, querido, juro que minhas 4 menininhas não foram por mal rs
      E Harry Potter é sempre uma boa pedida! rs, mas dê uma chance à essa série. Ela é demais!

      Volte para a resenha de sexta, é bem provável que as 5 menininhas apareçam pra te fazer feliz 😉

      Curtir

    1. Pior que é difícil fugir de spoilers de uma série já no quinto livro rs
      Eu não li absolutamente nada dela enquanto lia já pra não ter esse problema rs

      Espero que um dia você dê uma chance 😉

      Curtir

  4. Olá! De tudo na resenha, o que mais me chamou a atenção foi o fato de a protagonista também ser forte. Não estou muito inclinada a ler esse tipo de livro ultimamente, mas é bom saber que há um em que a personagem não é coadjuvante de si mesma.

    Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s