Resenha ‘Salve-me – Rachel Gibson’

Oi ooooi gente! Hoje trouxe para você uma resenha de um livro que é um chick lit. Quando falamos desse gênero, muitas pessoas perguntam o que é. Chick lit é um gênero de ficção feminina, que aborda temas das mulheres moderna. São livros leves, divertidos, que tem um certo charme e trata muito da relação da protagonista não só com o par romântico, mas com a família e amigos. Rachel Gibson é uma das rainhas de chick lit e hoje trouxe a resenha de um de seus livros publicados por aqui, mas antes de falar mais dele, vamos a sinopse.

A salvação de Sadie Hollowell e Vince Haven depende de muitos fatores. Ele voltou traumatizado da guerra ao terrorismo no Afeganistão e ela, aos 33 anos, acha ridículo ser convidada para ser dama de honra do casamento de uma prima no interior do Texas, onde nasceu. Ambos estão perdidos, à procura das raízes e de uma identidade que a vida foi esfacelando, e são atormentados por uma atração sexual violenta que demora muito a se transformar em amor e compromisso. O que se oferece aos leitores é uma história tensa, em que preconceitos e hesitações lutam contra o amor, sem saber qual dos lados terá o triunfo final. Vale a pena ler e torcer por ele.

Sadie Hollowell saiu do rancho da família em Lovett, no Texas, anos atrás. Ela perdeu a mãe muito cedo e acabou ficando só com o pai que não lhe dava muita atenção, já que parecia gostar mais do rancho do que dela. Sadie Jo era sempre diferente do que as pessoas esperavam e provou isso quando resolveu sair, sem vontade de voltar atrás. Foi fazer sua vida fora do Texas, sendo corretora, sem ter casado e tido filhos. Só que após muitos anos, ela vai ter que voltar para a cidade onde nasceu e cresceu para ser dama de honra do casamento de sua prima.

383.JPG

Quando esta chegando na cidade, ela encontra um homem precisando de ajuda, na beira da estrada. Depois de se certificar de avisar a amiga com quem estava, Sadie Jo ajuda Vince Haven a chegar ao local onde ele precisava. Vince é um ex seal da marinha, que após um ataque na guerra, onde perdeu parte da sua audição e perdeu um grande amigo, pediu afastamento e se tornou uma espécie de investidor. Vince chega a Lovett a pedido da tia, para que ele posso comprar e cuidar da loja de conveniência dela.

Sadie queria uma companhia para o casamento de sua prima, assim se livraria das perguntas sobre relacionamento e propõe que Vince a leve. De início ele não aceita, mas resolve aparecer de surpresa e ajudat a mulher que lhe deu carona. A faísa entre os dois dispara e eles se deixam levar. Mas Sadie Jo foge antes que alguém pegue os dois fazendo coisas indevidas.

Mas se Sadie era imaginativa e do contra, ninguém podia realmente culpá-la. Ela fora um bebê tardio. Nascida de um rancheiro durão, Clive, e sua amada esposa, Johanna Mae.

O que parecia apenas uma noite marcada por aventuras, acaba se tornando uma noite tensa, quando Sadie Jo descobre que seu pai sofreu un acidente, quando levava o garanhão da fazendo para cruzar. Ela corre para o hospital e fica sabendo que seu velho pai esta bastante machucado.

Então, depois de anos afastada de sua cidade natal e se sentir deixada de lado por seu pai, Sadie precisa deixar toda sua vida de lado e cuidar do seu pai, enquanto ele luta para se recuperar e ela luta para de aproximar dele, além de tentar entender como funciona toda a administração do sítio.

Além disso, Sadie precisa ir lidando com o fato de que começa a surgir uma amizade colorida entre ela e Vince. Ao mesmo tempo que precisa ter cuidado em como levar essa história entre os dois, também precisa tomar cuidado com as fofocas que começam a surgir em Lovett.

Ela era Sadie Jo Hollowell. A maioria das pessoas sabia seu nome. Sabiam que ela era filha de Clive, mas não a conheciam. Durante toda a sua vida, as pessoas a odiaram ou a amaram, dependendo de como se sentissem em relação ao pai dela.

Sadie Jo é uma personagem incrível. Ela é forte, bastante decidida sobre o que quer. Mas sente falta de ser amada pelo pai, como sempre quis. Ela cresceu sem a mãe, fazendo tudo o que não esperavam dela, como uma forma de chamar atenção, até que tomou o controle de sua própria vida e seu próprio gosto. Mas quando seu pai adoecer e ela precisar ficar ao lado dele, talvez ela perceba o quanto eles tem em comum e o quanto ele a ama, do jeito dele, mas a ama.

Seu pai vai dar uma prova de amor, que Sadie Jo não esperava. Ao mesmo tempo em que ela vai precisar lidar com um momento difícil e encontrar sua âncora no mundo. Acho que é a melhor e mais emocionante parte do livro. Essa fase nova que Sadie vai passando e descobrindo sobre si mesma e sobre sua família.

– Você vai entender um dia.
[…]
– O quê?
– Que é fácil vagar quando se tem uma âncora.

Sobre seu relacionamento com Vince, tudo começa casual e esta dentro dos desejos dela. Sadie planeja voltar o quanto antes para sua vida e não tem como encaixar um relacionamento. Só que quanto mais ela precisa ficar em Lovett, mais ela vai ficar com Vince e mais vai se encantando por ele. E quando ela se descobrir apaixonada, ainda terá que saber como Vince reagirá.

Já Vince é um personagem normal, sendo bem sincera. Ele largou sua carrera militar após um trauma e é um cara fechado para o amor. Apesar dele se preocupar bastante com Sadie Jo e ser um grande apoio para ela com o problema com o pai, ele não quer um relacionamento. Ele quer levar as coisas sem complicação. E talvez, para assumir que esta sentindo algo por Sadie, será preciso um sacode.

Aquele psiquiatra também tinha dito que ele havia desligado os sentimentos. E que, assim que começasse a sentir, ele se curaria. “Sentir para curar” era o lema preferido do psiquiatra.

Eu amo a escrita da Rachel. Já tinha lido quase todos os outros lançamentos dela aqui – faltando apenas o último – e sei como ela é boa. Mas em Salve-me, nem tudo funcionou para mim. A parte de Sadie Jo consigo mesma e sua família foi ótima, achei uma mensagem linda e importante. Mas o romance… acho que não ornou. Ele é tranquilo, suave, sem muito drama, mas senti que faltou algo a mais. Quanto a narração, o livro é em terceira pessoa, o que é ótimo, porque nos mostra todos os lado da história.

384.JPG

Quanto a diagramação, o trabalho da editora é simples, mas muito bom. Eu acho as capas dos livros dela super fofas e femininas, sempre com elementos condizentes a história. Por dentro, as folhas são amareladas, com letras e espaçamentos bons para a leitura.

– Você não precisa fazer nada a não ser viver a sua vida e, algum dia, quando estiver pronta, eu estarei esperando por você.

Já deixo registrado que irei trazer resenha dos outros livros da Rachel. Eles foram lançados há bastante tempo, mas são histórias bem legais e que acho que merecem mais reconhecimento.

Sempre indiquei a Rachel como uma Rainha do Chick Lit. Se quiser um livro gostoso, com romance, família, risadas garantidas e quase sem drama… os livros dela são sempre uma boa pedida. Posso ter minhas restrições quanto a esse, mas ele ganha quatro Angélicas.

CLASSIFICAÇÃO 4 ANGÉLICAS

 

15 comentários em “Resenha ‘Salve-me – Rachel Gibson’

  1. Não conhecia o estilo chic lit e confesso que achei muito interessante. Uma abordagem onde a mulher é o centro das atenções é sempre bem-vindo. Salve-me parece ser um livro agradável, com uma leitura leve e descomplicada.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Patricia! Feliz em apresentar o gênero então. Sim, nós mulheres somos o foco e de forma leve e relaxada. Com histórias reais, sobre amor, amizade e relacionamentos em geral.
      Sim, e até mesmo uma leitura rápida.

      Curtir

  2. Eu adorei a ideia de “quatro Angelas”, essa definitivamente foi uma ideia bem divertida. Em relação ao livro, realmente não faz muito meu gênero, mas gosto de dramas familiares – acaba que se for o ponto alto do livro, acima do romance, é uma pedida deliciosa.

    Obrigada pela indicação. ❤

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi! Obrigada. A Angelica é nossa bonequinha desde o inicio, então pensamos “por quê não colocar ela ao invés de estrelas?” Haha
      E simmm. O drama familiar valeu muuuito mais a pena que o romance. Nada!

      Curtir

  3. Menina,
    confesso que eu não conhecia este estilo chic lit! Entretanto, fiquei surpreso por não conhecê-lo! Ele, certamente, é uma das maiores pedidas editorias do século XXI (no qual, o público feminino mostra toda sua força de compra e escrita).
    Adorei a resenha, achei a Sadie Jo poderosíssima! Mas, mais uma vez, eu amei as fotos do post! Poxa, é bom d+! QUando eu tiver um filho, vou contratar vcs para tirar as fotos….
    Parabéns pelo blog, mais uma resenha que merece cinco menininha bonitinha.

    Curtir

    1. Oi Luca! Haha eu amo quando você fala das Angélicas rs
      Sim, é uma aposta e que muitas autoras também investem. São livros leves e fáceis de cativar público. E obrigada pelo elogio das fotos. Fico muito feliz de ver isso! E oh, amo crianças. Tiro foto e brinco bastante com seu filho então rs

      Curtir

    1. Olá! Eu amo os livros da Rachel. Geralmente, me apaixono loucamente pelo casal, mas esse não foi. E pode ser bem isso que você pontuou. Obrigada, torço que você goste do livro. Beijos.

      Curtir

  4. Olá! O livro parece ser bem levinho de se ler com um eredo que prende e te faz torcer pela personagem.. Acredito que quer ler não vai se decepcionar com a estória! Eu não me aventurei ainda por um chick lit mas acredito q esse livro seja um bom começo haha obrigada pela dica!

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s