Crítica Cinematográfica ‘Pantera Negra’

Oi ooooi gente! Hoje tem crítica do lançamento do último final de semana. Eu vi o filme no sábado (17) e vim correndo contar para vocês. Antes de seguir, queremos falar que as críticas que o Além vem fazendo é mais baseado na história, apesar de falar da parte técnica, fazemos de forma superficial, já que não temos conhecimento nessa área. Antes de falar mais, confiram o trailer de Pantera Negra.

Em 2018, a Marvel completa 10 anos nos cinemas. Já temos 18 sucessos para o MCU, mesmo com alguns filmes inferiores a outros, podemos afirmar sem medo, que e estúdio só coleciona sucessos e muito dinheiro. Depois de introduzir todos os heróis dos Vingadores, a Marvel decidiu ir para heróis menos conhecidos do grande público: Guardiões da Galáxia, Homem Formiga e agora, chegou a vez de Pantera Negra. Preciso dizer de cara, que esse foi – disparado – o melhor filme de origem que a Marvel apresentou até aqui. E lembrando, sempre é bom estar por dentro do MCU, até porque tem cenas e personagens que foram apresentados em filmes anteriores.

Nós conhecemos T’Challa (Chadwick Boseman) em Capitão América: Guerra Civil. Ele perdeu o pai em um explosão e ali já ficou claro que além do traje de Pantera Negra, ele assumiria o trono de Wakanda. E nós veremos como é a coroação nesse reino. O filme começa explicando como Wakanda e o Pantera Negra surgiram. E então, nós somos levados para 1992, para um momento que será uma peça importante para o meio do filme.

Logo de cara podemos ver o Pantera Negra numa missão junto com a líder das Dora Milaje Okoye (Danai Gurira) para resgatar a espiã Nakia (Lupita Nyong’o). T’Challa quer que Nakia esteja presente no desafio que irá resultar em sua coroação. Falando desse ponto, é incrível ver todo o visual criado para Wakanda. Desde as cores, as locações, os figurinos é uma verdadeira obra de arte.

Se tem uma coisa que precisamos falar nesse filme são as tecnologias que Wakanda proporciona. A responsável pelas invenções é Shuri (Letitia Wright), irmã mais nova de T’Challa. Ela mostra que é super inteligente, não tem medo de partir para a briga quando preciso e trás um pouco de alívio cômico para a trama.

Um das cenas mais legais que temos no filme e que já apareciam nos trailers, é a cena da perseguição de carro. T’Challa, Nakia e Okoye vão até a Coréia do Sul para tentar pegar Klaue (Andy Serkis) – o vilão Garra Sônica, que conhecemos em Vingadores: Era de Ultron – e o vibranium que ele está tentando vender. Lá, eles reencontram o agente Everett K. Ross (Martin Freeman) e após um ataque de Erick Killmonger (Michael B. Jordan) para recuperar Klaue, Ross é gravemente ferido e levado para Wakanda.

Assim, vamos ser apresentados ao real vilão do filme: Killmonger. E não pense que é mais um dos vilões da Marvel, que acabam sempre sendo um ponto problemático dos filmes. Killmonger tem uma motivação bem forte e vem para contrapor, totalmente, T’Challa. Ele não está ali apenas para que o herói entenda sua força. Ele está ali para ser o outro de Wakanda. O lado que precisava ter responsabilidade, menos omissão, mais reflexão e um paralelo entre os erros do passado e os acertos do futuro. O que faz com que T’Challa venha a perceber tudo de errado que os seus ancestrais fizeram e se torne não só um Pantera Negra melhor, mas um rei melhor, mais sábio.

Bom, eu não vou falar muito sobre depois que o vilão aparece, porque já se encaminha para o fim do filme e é incrível não saber de nada e ser capaz de sentir aflição, agonia, excitação e felicidade haha. Quero falar sobre os atores!

Chadwick Boseman encarnou completamente T’Challa. Ele criou um sotaque especial para o personagem – que acaba perdido nas versões dubladas, mas fica a ponto de curiosidade -, todo um caminhar especial, resumindo, ele já deixou sua marca no personagem. Ele tem um jeito todo sério, ao mesmo tempo que tem seus momentos engraçados com sua irmã, a mulher que ama ou uma amiga. Ele consegue nos conquista como rei e como herói.

Michael B. Jordan também vem com um vilão que mostra um poder até no seu jeito de andar e se expressar. Michael é um ótimo ator e fico feliz dele estar de volta a um filme de herói que seja bom – vamos todos tentar esquecer aquele fracasso de Quarteto Fantástico -, e que possa mostrar um senhor vilão, com uma motivação e força que há muito precisávamos nos filmes da Marvel.

Lupita, Danai e Letitia são o trio girl power badss que esse filme tem! As três atrizes estão perfeitas nos papéis que representam, trazendo toda força que as mulheres devem e podem ter, especialmente as guerreiras de Wakandas. Elas podem ser consideradas coadjuvantes de peso e que vão conquistar todo o público, sem dúvidas. O filme ainda trás nomes como Angela Bassett, Forest Whitaker e Daniel Kaluuya, com personagens fundamentais para a construção de T’Challa. Os personagens são todos memoráveis, com atuações que não ficam devendo em momento algum.

Pantera Negra tem um roteiro redondo, com grandes momentos na trama e momentos onde possamos respirar. Não esperem as piadas sarcásticas que estamos acostumados dos outros filmes. Temos piada sim, mas em momentos pontuais. O filme é mais sério, mais político, lembrando das guerras que existem no mundo. A direção é espetacular, a fotografia é muito bonita, os efeitos especiais são incríveis e a trilha sonora casa perfeitamente com as cenas e pode ser capaz de causar arrepios.

O filme ainda carrega um peso gigante de representatividade. Grande parte do elenco é negro – sendo sincera, apenas dois atores são brancos -, o que faz com que possamos ver algo inédito em um filme desse porte. Temos visto, nas últimas semanas, notícias sobre o lançamento do filme e o quanto ele tem sido importante, principalmente para as crianças negras. Não consigo esquecer o vídeo das crianças comemorando o fato da escola levar todos para uma sessão especial. O filme ainda dá voz as mulheres. Elas são guerreiras, são lindas e são importantes na defesa de Wakanda.

Ah, claro que temas cenas pós créditos, afinal, estamos falando de Marvel. São duas, seguindo a tradição de ser uma no meio e a outro no fim dos créditos. A primeira delas serve como complemento do próprio filme e a segunda serve já pra nos dar um docinho na preparação para Vingadores: Guerra Infinita.

Pantera Negra valeu muito a pena. É um filme importante, com um herói incrível. Acredito que tenha deixado a sua marca e possa ser o caminho para que a Marvel comece a fazer filme mais sérios, mas sem perder o seu toque especial.

29 comentários em “Crítica Cinematográfica ‘Pantera Negra’

  1. Eu assisti na estréia e confesso que não sabia muito o que esperar, porque não conhecia esse herói antes de Guerra Civil. Mas gente, que filme!!! Adorei a história, e principalmente as mulheres da vida do T’Challa! Nossa, nem sei escolher qual é a melhor hahahahha e a trilha sonora já salvei no Spotify hahahhaha agora to numa ansiedade pra Guerra Infinita que meu Deus!!!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Line! Foi um filmão da p*rra hahaha as mulheres são maravilhooosas e ajudam muito ele! Também salvei a trilha maravilhosa haha. E senhor, nem fala de Guerra Infinita. Já necessito de abril hahahaha

      Curtido por 1 pessoa

  2. Fui no cinema com as expectativas a um nível ok para ver Pantera Negra, mas me apaixonei pelo filme!! Tudo nele é muuuuito bom, desde o elenco sensacional até o tom político que rodeia todo o filme, isso sem contar na trilha sonora que é fenomenal. Tô louca pra ver o filme de novo nos cinemas mesmo, é um dos filmes do ano pra mim!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Laura. Acho que esse é o mais legal. A gente foi sem nuita expectativa, por ser um herói un pouco desconhecido, mas o filme é uma porrada. Também to louca pra rever. E acho que vai ficar mesmo com o título de um dos melhores do ano!

      Curtir

  3. Oi Raíssa, tudo bem?

    Esta é a primeira crítica que leio sobre o filme e mais do que nunca estou bem curiosa para assistir esse filme. Eu gostei muito do papel de Pantera Negra no filme do Capitão América e ali já tinha ficado curiosa para seu filme solo. saber que o filme dá voz as mulheres é algo que me deixa muito contente e mais animada para ir aos cinemas assistir. Com certeza já quero ver!!!

    Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Velho, 10 anos do universo Marvel????? Fala sério! Ficar velho é muito rápido. Cara, não vi o filme, mas sua crítica me deu uma água na boca! Sobretudo pela questão da representatividade, que você colocou muito bem. Poxa, já separei meu dinheiro aqui, inclusive da pipoca rsrsrs.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Hahahahah sim! 10 anos. Pelo amor, é muito tempo, né? E ai, que bom que você ficou com vontade de ver e torço para que tu goste. E ai, dinheiro pra pipoca é sempre bom hahahaha

      Curtir

    1. Oi Fabi! Também acho que ese é um dos acertos da Marvel. Não só a aposta em heróis desconhecidos – e concordo com esses que você colocou -, e toda a construção do MCU. Obrigaada!
      E ai, estamos nos sentindo velhas hahaha

      Curtir

  5. Oi, Raissa. Tudo bom?

    Acho que várias vezes já passei por aqui e disse que não sou fã de filmes de super heróis e tal… E uma vez disse que qualquer hora iria me permitir ver algum. E eu fiz isso, também assisti ao Pantera Negra.
    Não gosto de escrever críticas de filmes porque tenho uma dificuldade tamanhã também na parte técnica. Mas falando de emoção posso dizer que gostei do filme, mas senti falta de alguma coisa no roteiro. Não sei se é pelo fato de conter situações de outros filmes que não assisti, mas ainda assim senti falta de algo.

    No entanto, valeu muito assistir ao filme justamente por conta da representatividade. Não somente dos negros como também da força da mulher. Cara, só tem gente forte nesse filme. Os negros estão na maioria como você disse, e é lindo de ver. A parte histórica e política também é excepcional. E além disso, como disse, amei vendo as mulheres à frente e não à margem ou atrás dos homens. Ver os homens se “curvarem” para elas, que adquirem confiança e lutam em batalhas fortes para serem vencedoras foi emocionante. Especial demais. E que meninas lindas!

    Bjão.
    Diego, Blog Vida & Letras
    http://www.blogvidaeletras.blogspot.com
    Instagram: @vidaeletras

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Diego! Qu comentário incrível. Acho que pode ser isso, de não ter visto os outros. Os filmes da Marvel são bem interligados em vários pontos. Mas acho que a representatividade é o que grita no filme e é muito especial. Não só pelos negros e a cultura da África, mas pelas mulheres também. Elas são tão importantes quanto o herói e os ajudam em vários momentos. E são lindas mesmo, né?! Beijos.

      Curtir

  6. Estou vendo muita gente falar sobre este filme e, apesar de realmente parecer bem interessante, não faz o meu estilo. hahaha
    adorei seu post, achei super completo!
    by: atratravesdaescrita.blogspot.com

    Curtido por 1 pessoa

  7. Legal o texto! Um bom panorama do filme. E olha que vc disse que não falaria da parte técnica (mas falou de roteiro, fotografia, atuação… rs). Fiquei com ainda mais com vontade de postar algo sobre o filme tb (www.artesdaescrita.com.br), dando ênfase à narrativa audiovisual.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Adenor. Ah, falo, mas não sei como conhecimento profundo. Fico com medo das pessoas lerem aqui e acharem que vão encontrar críticas iguais as de sites especialistas rs.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s