Resenha ‘Harry Potter e a Pedra Filosofal – J. K. Rowling’

Oi ooooi gente! Ai, eu confesso estar animada para falar dessa resenha. Eu cresci junto com Harry, Rony e Hermione. Passei por todas as aventuras junto com eles e hoje, só ficou saudade. Lembro tanto quando meu pai trouxe o primeiro livro para mim… Enfim, estou divagando. Eu tenho como meta de 2018 reler todos os livros – incluindo A Criança Amaldiçoada, que eu nem li ainda -, porque ganhei aquele box com a lombada de Hogwarts e ele estava parado. Cada mês sairá a resenha de um livro, só que farei comparativos com os filmes também. E olha, tem alguns que eu sei que vou reclamar bastante haha. Então, me acompanhem nessas resenhas nostálgicas. Mas, antes de falar mais, vamos a sinopse…

A vida do menino Harry Potter não tem um pingo de magia. Ele vive com os tios e o primo, que não gostam nem um pouco dele. O quarto de Harry é, na verdade, um armário sob a escada, e ele nunca comemorou um aniversário sequer em onze anos.
Até que, um dia, Harry recebe uma carta misteriosa, entregue por uma coruja: um convite para estudar num lugar incrível chamado Escola de Magia e Bruxaria Hogwarts. Lá ele vai encontrar não só amigos, esportes praticados em vassouras voadoras e magia para todo lado, como também seu destino, que espera por ele desde que nasceu… Se ele sobreviver a tudo que esta descobrindo, é claro.

Livro

Bom, preciso começar dizendo que é difícil resenhar um livro que a gente tenha a impressão que todo mundo conhece, mas vamos lá rs. O livro começa com os Dursley na verdade. Eles são os tios de Harry, que abominavam Lilian e Tiago, por eles serem bruxos. E com essa família de trouxas – como são conhecidos os não bruxos -, que o Harry vai acabar morando depois da morte dos pais.

E é claro que eles escondem do pobre Harry a sua origem. Durante 11 anos, eles trataram mal o menino, faziam com que ele morasse debaixo da escada, deixavam o filho atormentar o primo. Basicamente, era uma tortura psicológica das brabas. Mas isso está prestes a mudar, afinal, Harry já vai completar 11 anos e é chegada a hora dele ir para o colégio ao qual pertence desde que nasceu.

– […] Ele vai ser famoso, uma lenda. Eu não me surpreenderia se o dia de hoje ficasse conhecido no futuro como o dia de Harry Potter. Vão escrever livros sobre Harry. Todas as crianças no nosso mundo irão conhecer o nome dele!

Harry começa a receber cartas e mais cartas da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Mas Válter Dusley não esta disposto a deixá-lo ler nenhuma dessas cartas e, em uma atitude extrema, leva todos para o meio do nada. Mas, Rúbeo Hagrid consegue chegar até Harry e dá a notícia que irá mudar a vida do menino: ele é um bruxo! E assim, eles partem para o Beco Diagonal, fazer as compras dos materiais que Harry irá precisar durante o ano letivo.

Quando enfim chega a escola, Harry já fez amizade com Rony Weasley e seus irmãos. Afinal, foi a família Weasley que o ajudou a chegar ao trem que precisava e foi com Rony que ele dividiu a cabine. Mas, também logo encontra Draco Malfoy – um bruxinho nariz em pé, assim como todos em sua família. Ainda temos Hermione Granger e Neville Longbottom, que se tornarão amigos de Harry e importantes no decorrer da história.

– Um bruxo, é claro – repetiu Hagrid, recostando-se no sofá, que gemeu e afundou ainda mais -, e um bruxo de primeira, eu diria, depois que receber um pequeno treino. Com uma mãe e um pai como os seus, o que mais você poderia esperar? E acho que já está na hora de ler a sua carta.

Hermione se tornará amiga dos meninos na noite do Dia das Bruxas, quando eles a salvam de um trasgo. A partir daí começa de verdade a primeira das muitas aventuras que eles irão viver juntos. E o primeiro desafio dos três amigos é descobrir o mistério por trás da Pedra Filosofal, até descobrir qual o interesse de Lord Voldemort – o responsável pela cicatriz de Harry e pela morte de seus pais -, nisso.

345.JPG

Eu dei uma resumida no livro, até porque ele é o menor de todos, pouco mais de 200 páginas, e porque acho que essa é uma história bastante conhecida. Vou falar um pouco dos personagens e então, comparar com o filme.

– […] Não faz bem viver sonhando e se esquecer de viver, lembre-se.

Eu gosto muito do Harry nesse primeiro livro, afinal ele é um criança que sofreu tanto e agora está descobrindo um mundo, que mesmo com problemas que ele tenha que enfrentar, é ótimo para o que ele vivia. Ele passa a ter carinho, amigos, diversão. Vira apanhador do time de Quadribol muito rápido, é determinado, esperto, amigo. Mas, ao mesmo tempo, ele ainda vai ser o menino solitário que nunca conheceu os pais.

Rony é o amigo divertido. Ele esta sempre do lado do Harry, é um tanto quanto atrapalhado, mas tem bom coração, assim como todos da sua família. Ele vai se tornar quase um irmão para o Harry, companheiro de aventuras. No primeiro livro, a importância do Rony fica mais explícita no final, devido a ele saber jogar xadrez de bruxo, o que é bem legal. Mostra que uma coisa que seria simples, pode ser importante em um momento crucial.

– Harry, você é um grande bruxo, sabe?
– Não sou tão bom quanto você – disse Harry, muito sem graça, quando ela o largou.
– Eu! Livros! E inteligência! Há coisas mais importantes, amizade e bravura, ah, Harry, tenha cuidado!

A outra ponta desse trio de amigos é composta por Hermione, também conhecida como minha personagem preferida rs. Ela também se torna muito amiga do Harry e toma conta dele e do Rony, afinal, os meninos se metem em muitos problemas. Ela é extremamente inteligente e isso pode ser um pouco irritante, mas é graças a isso que ela consegue salvar Harry no jogo de Quabribol, ajuda Rony nas provas e ela que ajuda eles a passarem pelo visgo do diabo e pela charada de porções, quado eles estão indo salvar a Pedra Filosofal.

Na parte dos professores, temos três destaque. Alvo Dumbledore, que é o diretor da escola e que vai ser uma peça importante durante toda a série, principalmente em relação ao Harry. Temos também a professora Minerva McGonagall, que lecionada transfiguração e era a Diretora da Casa Grifinória. E o outro professor é Severo Snape, professor de Porções, muita ranzinza e que implicava demais com Harry e seus amigos e que era diretor da Casa Sonserina. Sobre as casas, Hogwarts tem quatro: Grifinória, Lufa Lufa, Corvinal e Sonserina. A pessoa que escreve essa resenha é Lufana, com muito amor e orgulho.

– É preciso muita audácia para enfrentarmos os nossos inimigos, mas igual audácia para defendermos os nossos amigos.

Quero falar um pouco da diagramação do livro. Como disse lá em cima, eu estou lendo os livros que são do Box com a lombada de Hogwarts. Ele é bem bonito, a capa é soft touch, com uma ilustração linda da capa, o título é mais brilhante e em relevo. Por dentro, que eu já achei um problema. O livro não tem orelha, o que acaba fazendo com que ele fique um pouco mole, com mais facilidade para dar aqueles amassadinhos, sabe? Minha impressão é que é um livro frágil. As folhas são amareladas, mas um pouco finas demais, e dependendo da luz, a gente enxerga do outro lado. Mas, cada abertura de capítulo tem uma ilustração condizente e fica muito fofo! Não comentei ainda, mas a narrativa do livro é em terceira pessoa.

347.JPG

Outra coisa que me incomoda, mas isso são em todas as edições que já peguei, são algumas das traduções que eles fizerem. Plataforma 9 ³/4 virou Plataforma 9/2, James Potter virou Tiago Potter, Vernon Dursley virou Válter Dursley, Serevus se tornou Severo, Albus virou Alvo, os sobrenomes dos fundadores das casas de Hogwarts foram traduzidos, não digo nem para nomear a casa, mas ao apresentar os fundadores: Godric Gryffinfor, Helga Hufflepuff, Rowena Ravenclaw e Salazar Slytherin. Claro que quando conheci e não tinha ideia da versão em inglês, eu não liguei. Mas depois de saber como era e bons anos de curso, me pergunto ‘por que, Deus, eles traduziram nomes próprios?’. É algo que não me entra na cabeça rs.

Filme

Harry Potter e a Pedra Filosofal é o filme mais parecido com o livro. Foram feitas poucas alterações na história, uma que eu lembro bastante é na parte da Floresta Proibida, que no livro é o Neville que acompanha Harry, Herminone, Draco e Hagrid no castigo, já no filme é o Rony que ocupa esse lugar. A introdução para que os alunos levem o castigo é levemente diferente, apesar de todas envolverem a mesma origem.

348.JPG

De partes cortadas, temos algumas. O primeiro contato entre Draco e Harry, nos livros, foi feita ainda no Beco Diagonal, mesmo que ambos não soubessem quem eles eram. Já no filme, eles apenas se conhecem nas escadarias da escola. Temos também a exclusão de um segundo jogo de Quadribol – coisa que é bem esnobada nos filmes, por sinal. E por fim, o corte mais triste, na minha opinião, que é a charada de Porções, quando Harry e Hermione estão a um passo de chegar na Pedra Filosofal. É uma cena onde se mostra muito a inteligência da menina e seu conhecimento gigantesco, que não entrou no filme. Acredito que deva ter outras leve mudanças, mas acho que essas são as mais “drásticas”.

Vocês vão me ver dando cinco Angélicas para todos os livros do Harry Potter, já vou deixar esse aviso rs. Eu cresci com eles, é algo que me marcou e que amo até hoje! Então, até o mês que vem, quando falaremos de Câmara Secreta.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

Anúncios

25 comentários em “Resenha ‘Harry Potter e a Pedra Filosofal – J. K. Rowling’

  1. Olá!
    Parabéns pela resenha, ficou um pouco extensa,mas realmente muito boa!
    Eu nunca li os livros do HP só assisti aos filmes, e até o momento não tenho curiosidades para ler os livros. rs

    Curtido por 1 pessoa

  2. Olha eu bem tinha a impressão que o Rony era um burrão inútil até o jogo de xadrez no primeiro livro. Mas acho que a função dele na história é ser a primeira família de verdade do Harry mesmo, por mais que de burro ele não tenha nada. Eu babo por essa coleção nova do hp, a capa é muito caprichada, mas não tenho coragem de comprar outra coleção kkkk. Quanto ao filme, bem a Pedra Filosofal é o mais fiel ao livro acho e é uma gostosura porque os personagens ainda tem aquelas carinhas ingênuas de criança (que somem do nada no terceiro livro).

    Curtido por 1 pessoa

    1. Hahahahahah ai tadinho. Pior que parece, né?! Sim, também acho que é isso. Ser o irmão/família que o Harry sempre precisou. Eu babo em várias, a capa dura é meu sonho, mas também não tenho coragem de comprar. O que eu queria comprar são os ilustrados. Verdade! Eles tem muito cara de nenens nesse filme!

      Curtir

  3. Heey! Eu amo esse primeiro livro, para mim, é um dos melhores livros da serie e o filme tbm. Esse negocio da tradução me incomoda um pouco tbm. E é uma verdade isso se ser mais dificil resenha um livro que praticamente todos sabem da historia. Mas amei a resenha.
    ABRAÇOS.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Douglas! O filme concordo, o livro… meu coração bate muito pelo sexto haha. Mas também gosto do primeiro. Me incomoda demais, porque sempre aprendemos que não se traduz nomes. Obrigada! Beijos.

      Curtir

  4. Ah, eu amei a sua resenha e mal posso esperar para ler a próxima!!!
    Amo Harry Potter… conheci os livros primeiro (lia para o meu filho e ele também ama!!!) e claro que fica aquela sensação de “faltando alguma coisa” quando vemos os filmes, mas no geral gosto muito deles também.
    Foi muito bom matar um pouquinho da saudade lendo a sua resenha. Beijos

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Kelly. A próxima sai agora em fevereiro haha
      Ai, que lindo isso de você ler peo seu filho 😍 fica mesmo. Eu não gosto mt do sexto filme, acho que por ser meu livro preferido, esperava mais rs
      Obrigada. Beijos

      Curtir

  5. Velho, q resenha mais nostálgico! Amei. Nossa, me fez lembrar a delicia de ter 15 e poucos anos de novo, quando me deliciava com os livros do bruxinho. E, nossa, q bom q colocou comparativos com o filme! Cada parágrafo foi um pingo de nostalgia:D E, claro, cinco Angelicas pra todo mundo sempre!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Simmmm! Super incentivadora! Eu também tenho haha fico “como assimmmmm?” Haha
      Eu tinha só os 4 primeiros. Os outros li do meu primo. Por isso meu pai resolveu me dar haha
      Beijos

      Curtir

  6. Oi Raíssa, tudo bem?

    Por incrível que pareça nunca li ou assisti Harry Potter, mas tenho muita de fazê-lo e até já comprei todos os volumes. Esse ano ainda lerei todos. Eu adorei a sua resenha, foi uma forma de ter esse “primeiro contato” com o universo completo criado pela J. K. Rowling. Como sempre, uma resenha completa e maravilhosa, espero gostar tanto quanto você!

    Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s