Resenha ‘Bem-Casados – Nora Roberts’

Oi ooooi gente! Estou de volta com mais uma resenha da série Quarteto de Noivas, da Nora Roberts. Já falamos dos dois primeiros – vou colocar os links para as resenha anteriores mais abaixo – e chegou a vez de conhecer melhor sobre a Laurel. Vamos à sinopse primeiro…

A chef confeiteira Laurel McBane pre­cisou batalhar muito para realizar sua maior aspiração profissional — ser uma doceira premiada. Agora seus bolos de casamento são a própria perfeição, obras de arte surpreendentes que complementam as belas fotografias de Mac e os arranjos de flores de Emma.
Após ter conseguido superar um histórico familiar complicado, ela tem o cuidado de não deixar que nada fique no caminho de seu trabalho. Por isso se irrita tanto quan­do Del, o irmão de Parker, tenta opinar em seus assuntos. Como cultiva um amor secreto por ele há muito tempo, Laurel acha ainda mais difícil aceitar que Del a trate apenas como uma amiga.
Mas certa noite uma discussão acalorada e um beijo ardente mudam tudo. Laurel constata que a realidade é ainda melhor que seus sonhos e Del percebe a mulher incrível que sua visão de irmão mais velho não o deixava enxergar.
Quando a amizade se transforma em algo mais, os dois precisam ter muito cuidado para não estragar o que tinham antes e, ao mesmo tempo, aproveitar a oportunidade que lhes foi dada: ser os protagonistas de uma grande história de amor.

Assim como os outros, esse livro começa com um prólogo relatando o passado das quatro amigas, Mac – a resenha do livro dela AQUI -, Emma – a resenha do livro dela AQUI -, Laurel e Parker. Só que dessa vez, não é focado na infância e, sim, na adolescência delas.

A noite das garotas era o evento favorito delas. Frequentemente envolvia jantar e DVDs, pipoca, fofocas, e sempre a paz e o conforte de estar com as amigas em uma tradição que remontava à infância. 

Nessa história, a nossa mocinha, Laurel, é a responsável pela parte de confeitaria da Votos. E com o prólogo, podemos ver que ela quase desistiu da carreira por não ter dinheiro para estudar, mas um anjo – que falarei mais para frente – apareceu na sua vida e a ajudou.

Laurel não é uma mocinha tão doce quanto as outras e acho que talvez seja a que eu mais tenha me identificado até agora. Ela é mal humorada em vários momentos, irritada quando algo não saí como ela planeja e não tem papas na língua. Assim como Mac, ela teve problemas com os pais. Mas não apenas uma separação envolvendo na traição, mas com o fato que o pai dela tentou dar vários golpes na receita federal. Com isso, ela foi muito prejudicada e quase viu seu sonho ir para o espaço.

273.JPG

Só que não só Laurel, mas as outras meninas e os meninos integrantes dessa grande família, possuem a Sra. Grandy em suas vidas. Ela trabalhou para os pais de Parker, viu todas essas meninas bebês e continuou cuidando delas. E quando viu que Laurel iria desistir do seu grande talento pela falta do dinheiro, foi lá e deu um cheque, apostando nela. É maravilhoso ver o quanto a Sra. G ama essas meninas, é aquela mãe orgulhosa cercando a cria. E é super legal também ver os meninos interagindo com ela.

Sozinha, a Sra. Grandy balançou a cabeça e suspirou. Suas garotas sabiam tudo sobre casamento, mas o amor dava um nó na cabeça delas. Então, mais uma vez, pensou que o objetivo do amor era esse mesmo.

O mocinho desse livro é alguém por quem sou apaixonada desde o primeiro livro dessa série! Delaney Brown, o Del, o irmão da Parker, o protetor de todas. E eu fiquei louca imaginando como isso iria acontecer, já que ele via todas como irmãzinhas. Ele já tinha olhado para Laurel de um modo diferente no livro da Emma, mas nada muito grandioso. Mas tudo muda quando ele e Laurel tem uma discussão e ela acaba tascando um beijo nele!

Claro que Del acaba um pouco atordoado com toda a situação, que o pegou de surpresa. Ele tenta dar um tempo para ela e ele pensarem. Mas, quando ele volta a mansão da Votos, percebe que está olhando de modo diferente para Laurel e, novamente, um beijo acontece e Laurel foge. Para fazer com que ela converse com ele, Del decide “sequestrar” os sapatos dela.

– Acho que vocês dois estão tentando ficar no comando e por isso vão brigar como cães raivosos ou se apaixonarem loucamente. Talvez as duas coisas, porque ambos estão partindo de sentimentos fortes e duradouros um pelo outro. E esses sentimentos vão mudar se vocês… se adaptarem.

Como a mudança de sentimentos entre eles é drástica, ambos decidem que antes de se entregarem ao sexo, eles irão ficar um mês namorando com calma. Saindo para encontros, se conhecendo mais ainda. E aqui começam um das partes mais engraçadas da história. Conhecendo os amigos que tem, Parker, Emma, Mac, Carter, Jack e Mal – um novo integrante do grupo de amigos – decidem apostar por quanto tempo eles levarão essa promessa a sério.

Falando no grupo de amigos… Já virou tradição falar dessas amigas nas resenhas. A cada livro e momentos que elas passam juntas, eu me apaixono mais. A amizade que elas tem é algo tão maravilhoso e invejável! Duvido alguém ler esses livros e não querer uma amizade como a delas. A Parker é sempre o destaque, por sinal! Clara que as outras três são maravilhosas, mas Parker é quase uma fadinha perfeccionista e que quer ver o melhor para suas melhores amigas da vida.

– […] agora que estou morando lá e vivo no meio delas, vejo que elas têm quase uma conexão psíquica. Às vezes um pouco assustadora, para falar a verdade. – Ele ergueu sua cerveja em um brinde. – Isso é amor, cara, o mais amplo e profundo tipo de amor. 

E além das meninas, temos um Quarteto Masculino agora, com a chegada de Mal. Os meninos trocam muito papo, zoam demais o Carter – que é o fofo, atrapalhado mais lindo desses livros – e Jack tem um momento de “irmão mais velho” e quer saber das intenções de Del com Laurel – uma pequena vingança depois do que Del fez com ele em relação a Emma.

274.JPG

Nenhuma das famílias aparece no livro. Laurel deixa bem claro que não tem e nem quer contato com a família dela, que tanto a fez sofrer. Pelo o que ela dá a entender em uma conversa com a Sra. G, ela não consegue perdoar tudo o que elas fizeram passar. Já Del, infelizmente, perdeu seus pais anos antes em um acidente de avião.

– […] Você quer segurança? Compre um cachorro. O amor foi feito para ser assustador. 

– Por quê?

– Porque onde não há medo, não há emoção. 

Infelizmente, a terrível e insuportável mãe de Mac volta nesse livro, mesmo depois de Parker ter proibido sua presença na mansão. Mas dessa vez, como não encontra a filha e genro em casa, suas garras afiadas se voltam contra Laurel e é um dos piores momentos do livro. Ela finca uma faca nas feridas e inseguranças de Laurel e torce, provando mais uma vez, o quanto é a pior personagem dessa série.

Del é fácil de amar, desde sempre. Mas aqui podemos ver mais ainda o quanto ele é carinhoso, dedicado. Também fica mais claro o quanto ele é protetor em relação aqueles que ele ama e que, muitas vezes, toma atitudes que podem mexer com as outras pessoas, mesmo que ele não perceba. Laurel é bem real, amei ver a dedicação e paixão que ela tem em relação aos seus bolos. Pra ela é difícil começar a lidar com a mudança entre ela e Del, já que ela o amou a vida inteira. Ela não acredita ser possível que ele retribua o que sente e precisa entender que só ele pode falar por si mesmo.

Acreditava totalmente que cada pessoa, cada coração, tinha um complemento. Um par. Alguém certo para ela. Sempre acreditara nisso e sabia que a crença inabalável era o motivo para ser boa no que fazia. 

Sobre a diagramação, preciso falar que já me acostumei com o fato da divisão dos livros ser corrida. No primeiro livro me incomodou um pouco, mas nem sinto mais. Torno a elogiar a decisão de escrever a série em terceira pessoa, já que a Nora não foca só em Del e Laurel, mas também conseguimos saber o que os outros personagens também estão sentindo/pensando.

O amor era lindo, considerou, mas estar em sintonia era muito importante a longo prazo. 

Acho que esse ganhou o posto de preferido, até agora. Eu só fico mais e mais envolvida com todo o clima que a Nora criou nesses livros e to prevendo uma ressaca literária quando acabar essa série, falando nisso, vou correr para o último! Bem-Casados leva todas as  cinco Angélicas.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

13 comentários em “Resenha ‘Bem-Casados – Nora Roberts’

  1. Eu amei ESSE LIVRO >< peguei na biblioteca quando vi que era da Nora Roberts, e eu já tinha ouvindo falar desse quarteto de noivas. Quando comecei a ler, não consegui parar mais, é encantador.
    Parabéns pela resenha!

    Curtir

    1. Oiii! Ai, eu amo romances e to muito na vibe de casamento. E foi mt legal ver os bastidores. Acredito que lendo um, você vai querer ler os outros.

      Curtir

  2. Oiee ^^
    Fico feliz em saber que você gostou tanto deste livro, espero que o quarto seja ainda melhor!
    Eu cheguei a ler o primeiro livro e não gostei muito, acho que tenho um problema com a escrita da Nora :/ tentei ler livros de outras séries dela, mas também não curti. Acho que não fui feita para ser sua leitora, e ela não foi feita para estar na minha listinha de autores :/
    MilkMilks ♥

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ai, o quarto foi meu favorito. E eu te entendo. Tem autores que minhas amigas amam e eu não suporto haha
      Não fomos feitas para todos os autores rs
      Beijos

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s