Resenha ‘Rogéria: Uma Mulher e Mais Um Pouco – Marcio Paschoal’

Oi gente! Hoje trago a resenha do livro Rogéria, livro que ganhamos em parceria com o projeto Aliança de Blogueiros do Rio de Janeiro. Eu particularmente não sou muito fã de biografias ou livros do tipo porém posso dizer que esse traz uma história que vale a pena ser lida. Vamos a sinopse…

“Um homem vestido de mulher está a um passo do ridículo. Mas para o artista não existe ridículo.” – Rogéria

Marcio Paschoal mergulha na alma de Astolfo e mostra como, com talento e superação, ele transformou sua maior criação, Rogéria, num sucesso absoluto.

A história de Rogéria mais parece ficção. Nascida Astolfo Barroso Pinto, teve de enfrentar grandes desafios para se afirmar como homossexual, ícone do transformismo e, acima de tudo, artista.

Movida por uma enorme paixão pela arte e pela vida, conquistou, ao longo de mais de 50 anos de carreira, seu espaço no teatro, no cinema e na televisão, consagrando-se como uma personagem irresistível, quase mítica: Rogéria, o travesti da família brasileira.

Neste livro, Marcio Paschoal reconstrói a intensa trajetória de Astolfo-Rogéria desde seus primeiros passos como maquiador das cantoras da era do rádio e das estrelas da TV Rio, passando por sua estreia nos palcos em plena época da ditadura, o sucesso internacional e o reconhecimento artístico em seu retorno ao Brasil.

Para traçar um retrato fiel de Rogéria, o autor fez uma grande pesquisa iconográfica, reunindo fotos lindíssimas. Também optou por dar voz à biografada, que conta, com toda a sua irreverência, deliciosas histórias do showbiz.

Sem citar nomes, mas dando pistas suficientes para instigar os leitores, Rogéria revela detalhes picantes de seus casos de amor com políticos, artistas, empresários, esportistas e jornalistas.

Rogéria costuma dizer que um travesti precisa de inteligência e talento para saber que não é mulher de verdade. Essas são qualidades que não faltam a Rogéria, mulher e mais um pouco.

Pra quem não sabe, Rogéria nasceu como Astolfo Pinto e fez bastante sucesso, ela passou pela ditadura e ainda sim fazia seus shows. Uma pessoa bastante conhecida no meio artístico e carismática.

“Não fui um viadinho infeliz”
“Tive a maior mãe do mundo e nunca sofri bullying. Toda vida que aconteceu alguma coisa comigo foi porque eu quis. Minha mãe foi uma mulher tão maravilhosa que nunca teve vergonha de mim.”

Astolfo com apenas três anos de idade foi sequestrado pelo próprio pai, ele passou bastante tempo desaparecido e sua mãe teve muito trabalho para recuperar a guarda do filho já que mulheres separadas naquela época não eram respeitadas. Desde pequeno ele tinha jeito de menina mas ainda brincava como um moleque. Rogéria ainda Astolfo, teve uma família muito amorosa e que ajudou o garoto a enfrentar todo preconceito sofrido na escola.

IMG_20170312_095903.jpg

Já na adolescência ele começou a demostrar quem ele era realmente é descobriu seu talento. Ele já queria se vestir com roupas femininas e conheceu Geraldo, seu primeiro amor. Rogéria deixa bem claro sua vida sexual e isso me deixou constrangida por ter alguns assuntos pesados.

“Só tenho duas preocupações com o visual: não parecer prostituta nem homem vestido de mulher.”
“Dar o rabo é coisa pra macho”

Astolfo ou Rogéria foi alcançado o sucesso e seu espaço aos poucos, logo já era conhecida e amada pelo público.

“Se o cara me quer como ativo, é  o Astolfo que está ali. Agora, se ele me quer como mulher, Marilyn Monroe ressuscita”

Um livro para quem gosta de conhecer mais sobre a vida de Artistas. A editora fez um ótimo trabalho com a edição do livro, tem várias fotos e a fonte do livro é colorida, o que faz o livro ter um charme único.

IMG_20170312_095936.jpg

Eu vou dar quatro Angélicas, já que mesmo não sendo um gênero que eu goste, a história me chamou atenção e pelo excelente trabalho da editora.

classificacao-4-angelicas

Anúncios

Um comentário em “Resenha ‘Rogéria: Uma Mulher e Mais Um Pouco – Marcio Paschoal’

  1. Luana,admiro muito a Rogéria.
    Em todas as suas entrevistas,se mostra digna e sempre coloca as mulheres em um pedestal.
    Gosto de algumas biografias,e acho que vou gostar dessa.
    E por esse motivo,gostaria de conhecer mais sobre a vida da artista. 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s