Resenha ‘A Garota no Gelo – Robert Bryndza’

Oi ooooi gente! Hoje a resenha é de um suspense! Eu, graças a Deus, sou bem eclética no mundo literário e com isso, acabo curtindo várias leituras. E acabei dando sorte com os livros que recebi no evento da Aliança de Blogueiros RJ. Meu caso de amor com o gênero começou anos atrás, quando li Garota Exemplar, da minha diva Gillian Flynn e o último que li, foi A Garota no Trem, no final do ano passado. Então, quando na capa da minha atual leitura tem “Depois de Garota Exemplar e A Garota no Trem, seu sangue vai congelar ao ler esse livro”, eu sabia que o livro ia ser do babado! Vamos a sinopse dele…

Seus olhos estão arregalados… Seus lábios estão entreabertos… Seu corpo está congelado… Mas ela não é a única. Quando um jovem rapaz encontra o corpo de uma mulher debaixo de uma grossa placa de gelo em um parque ao sul de Londres, a detetive Erika Foster é chamada para liderar a investigação de assassinato. A vítima, uma jovem e bela socialite, parecia ter a vida perfeita. Mas quando Erika começa a cavar mais fundo, vai ligando os pontos entre esse crime e a morte de três prostitutas, todas encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, em águas geladas nos arredores de Londres. Que segredos obscuros a garota no gelo esconde? Quanto mais Erika está perto de descobrir a verdade, mais o assassino se aproxima dela. Com a carreira pendurada por um fio depois da morte de seu marido em sua última investigação, Erika deve agora confrontar seus próprios demônios, bem como um assassino mais letal do que qualquer outro que já enfrentou antes.

O prólogo do livro, nos apresenta o caso que vai gerar a investigação policial. Andrea Douglas-Brown está em uma rua deserta, com raiva e de repente, se vê sendo perseguida por um carro. De dentro desse carro, uma figura familiar saiu e selou o destino de Andrea: a morte. Depois que seu corpo é encontrado em um lago congelado, começa uma investigação que pode mudar o rumo de muita coisa e de muitas pessoas em Londres.

195

Erika Foster é chamada de volta à polícia, para (re) assumir o posto de Detetive Inspetora Chefe. Ela foi afastada meses antes, após o fracasso de uma missão importante, onde cinco policiais foram mortos, incluindo seu marido. Só que Erika é jogada no meio da investigação sobre a morte brutal de Andrea, que é filha de Sir Simon, um político com bastante influência e que não vai facilitar muito as coisas.

– Mas então o que diabos Andrea Douglas-Brown estava fazendo aqui sozinha? Um pouco fora de mão para filha de um milionário que mora em Chiswick, não é? – indagou Erika.

Conforme as investigações vão se passando, Erika tem uma linha de investigação muito precisa em sua mente, porém, as duas testemunhas que dão base a sua teoria, são desmerecidas. Uma, desapareceu sem deixar rastros e a outra, é uma prostituta drogada. Além disso, Erika tem alguns embates com a família de Andrea, que não gosta das supostas insinuações feitas pela Detetive. Então, quando Erika toma uma decisão, no meio da coletiva de imprensa sobre o caso, ela é afastada.

Mesmo afastada, Erika não desiste de caso e começa a fazer investigações paralelas juntos de Moss e Peterson, dois policiais que estavam junto com ela. E com a ajuda do legista, eles descobrem outros três casos antigos, além de um após o assassinato de Andrea, todos do mesmo modo. O que leva a crer em um serial killer.

– Eu voltei a meus registros antigos. Fiz autópsias em três casos em que as vítimas eram garotas do Leste Europeu, todas com suspeita de terem sido traficadas para o Reino Unido. Encontraram todas as três estupradas e estranguladas, com as mãos amarradas, jogadas na água nos arredores de Londres. Tinham o cabelo arrancado e estavam sem roupa da cintura para baixo.

E quando o caminho de investigação que a polícia estava tomando, dá errado, Erika é chamada de volta e ela está decidida a achar o culpado, depois de tudo o que reuniu. Mesmo que pra isso, tenha que peitar toda a família Douglas-Brown e vários oficiais da polícia.

Sentiu-se como a única pessoa que sabia que a polícia havia prendido o homem errado.

Preciso dizer que resenhar um suspense é difícil. Fico pensando no que posso ou não dizer, de modo que nunca deixe uma pista pelo caminho. Ainda mais porque com esse livro, eu realmente só consegui descobrir quem era o assassino, quando as coisas se apertam e a Erika consegue descobrir tudo.

O ponto alto do livro é todo o plot de investigação. Ele já começa nos cercando de informações e nos instigando a ir descobrir cada vez mais pistas. Além de fazer uma crítica a política, onde quem tem mais dinheiro, manda! A nossa protagonista tem seus problemas, foi abalada por um caso antigo, mas não deixa que seu passado afete essa investigação. Robert soube dosar, na medida certa, os problemas pessoais de Erika, junto dos profissionais.

– […] Tenho que começar a falar sobre ele em algum momento. Quando você perde alguém, não só a pessoa vai embora, mas os outros ao seu também param de falar sobre ela. Isso me deixa um pouco maluca. É como se ela tivesse sido deletada…

O livro é narrado em terceira pessoa, como muitos dos trhillers costumam ser e isso é bom, pois nos dá uma ampla visão de todo o caso. Principalmente, porque aqui temos certos momentos com o assassino, onde podemos ver como ele está se sentindo com a famosa Detetive Erika no caso.

Quando o caso está prestes a ser solucionado, Erika toma uma atitude drástica, que coloca várias pessoas de cabelo branco. E é aqui que eu fiquei um pouco perdida. Não fica explícito no livro, o porquê dela ter decidido fazer aquilo. E quando o serial killer é revelado, eu achei bem crível, surpreendente, porém, não de todo modo explicado também. Fiquei me perguntando “Ta, mas por quê ele faz isso?”. Eu até tenho uma teoria, mas aí, já acho que é spoiler.

– Falo isso porque é verdade. E também porque sei como isso vai acabar. Você está se metendo com gente poderosa e a sorte não está a seu favor.

– Está soando bem Jogos Vorazes

Como já disse em outras resenhas, ao me deparar com autores novos e de livros que gosto, vou atrás de informações. Então vamos ao que eu descobri sobre Robert e sua escrita… Esse é o primeiro livro de suspense do autor e ele começou super bem. Ele decidiu fazer uma série com a Detetive Erika Foster – já são quatro livros com ela como protagonista. Mas cada livro tem um caso, sendo resolvido ali mesmo e podendo ser lido com stand alone. O próximo, Uma Sombra na Escuridão, vai sair em maio e claro, já quero o meu!

194

A Gutenberg está de parabéns pela diagramação do livro. As folhas são amareladas, sem erros e com o espaçamento perfeito. As letras são grandes e isso ajuda ainda mais na leitura.

Com uma leitura que desperta a curiosidade e o lado investigativo do leitor, aposto que A Garota no Gelo vai fazer muito sucesso ainda, e acredito que os outros envolvendo Erika Foster também. Minha nota será quatro Angélicas, porque acho que pecou um pouco na explicação do verdadeiro criminoso. Mas como é o primeiro livro do autor no gênero, esse erro deve ser sanado nos próximos.

classificacao-4-angelicas

 ~~ Esse livro foi cedido ao Além pela Gutenberg, no evento Aliança de Blogueiros RJ ~~

Anúncios

6 comentários em “Resenha ‘A Garota no Gelo – Robert Bryndza’

  1. Eu lia muito romances, mas depois de um tempo decidi dar oportunidade a outros gêneros, comecei no suspense também por Garota exemplar e já li vários desse gênero e não me decepcionaram, pela sinopse e a resenha estou doida para ler, é mais um que vai para a lista enorme dos desejados rsrsrs, espero aproveitar em uma próxima promoção

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu nunca fiquei muito tempo em um gênero só. Sempre tento dar uma misturada, porque senão, acabo enjoando haha
      Ai, eu também nunca peguei nenhum que me decepcionasse. Recomendo os outros da Gillian, apesar que nenhum dela supera meu amor por Garota Exemplar. Esse é muuito bom. É uma adrenalina total e instiga a gente a ler mais e saber das coisas. Hahaha a lista sempre só aumenta. Mas aproveita sim *-* Beijos Carol

      Curtir

  2. Também gosto de vários estilos literários. E vai de acordo com o meu humor no momento. Rsrs
    Faz pouco tempo em que eu estava em uma fase bem dark. E entre os livros que li ,foi Garota Exemplar e A Garota no Trem .
    E gostei dos dois.

    E agora me deparo com sua resenha do livro A Garota no Gelo. Tenho muita vontade de ler esse livro. Afinal,sou louca por um bom suspense e mistério.

    Bela dica! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ai, é bem isso. Eu vou lendo de acordo com meu humor e também procuro intercalar, pra não ficar enjoada.
      Confesso que dark não é meu estilo, nem um pouco. Acho que esse é um dos poucos que não combinou comigo.
      E bom, se gostou dos dois, vai gostar desse. Ele é ainda mais envolvente na parte das investigações.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s