Resenha: ‘Março de Promessas – Aline Sant’Ana’

Listas de coisas a fazer antes dos 18 anos:

1 – Fumar um cigarro inteiro (OK);
2 – Sair sem a irmã gêmea e sem o consentimento do papai (Em andamento hoje);
3 – Fazer sexo (Planejando);
4 – Tomar uma garrafa de vodca sozinha (OK);
5 – Nadar pelada (Planejando);
6 – Beijar uma garota (OK);
7 – Andar de moto (Planejando);
8 – Pular de bungee jump (Planejando);
9 – Saltar do palco em um show de Rock (Planejando);
10 – Conhecer a banda Reckles (Em andamento hoje);

Oi gente! Olha a resenha do terceiro conto da série de Janeiro a Janeiro da nossa parceira Aline Sant’Ana chegando pra vocês. A cada mês um crush novo no meu coração rs

Sinopse: Marjorie Hughes possui uma lista de coisas a fazer antes de completar dezoito anos. Após perder, há três anos, o seu melhor amigo e primo, Fred, ela havia decidido honrar todos os desejos dele e principalmente as coisas que o garoto adoraria fazer caso sua saúde não fosse tão debilitada. O problema é que o item mais difícil da lista se trata da perda da virgindade e, próxima do seu aniversário, Marjorie sabe que tem os minutos contados.
Enquanto a garota procura realizar um dos itens, acaba encontrando, em uma festa universitária, o sensual Ryan James. Baterista de uma banda quase famosa da Irlanda, o homem é problema com P maiúsculo e Marjorie logo nota isso.
Mas quem sabe o que a vida reserva?
Talvez o fato de Ryan ser viciante como uma droga e mulherengo como ácido consiga fazer Marjorie perceber que o amor nem sempre acontece com pares perfeitos e primeira vez idealizada com o príncipe encantado…
Bem, há quem goste dos vilões, não é?

 

Aaah que delícia que são esses contos da Aline. Eu já disse como eu estou apaixonada por essa série? ❤ Neste mês de março, conhecemos nossa mocinha determinada, Marjorie, que tenta aproveitar a vida da melhor forma possível. E ela está em uma missão: concluir a lista que fez com Fred, seu primo e melhor amigo, de coisas a fazer antes dos 18 anos à tempo, mas o relógio está correndo e ela só tem um mês antes de seu décimo oitavo aniversário.

17410237_985964764867823_25443460_n

E é em uma festa, que sua amiga Eilís a convida pra ir, que ela vê a chance de riscar dois itens desta lista de uma vez: sair sem a irmã gêmea e sem o consentimento de seu pai e conhecer a banda favorita de seu primo Fred, a Reckles. Nesta festa, ela também conhece Ryan, o baterista da banda. Ryan é o típico rockstar mulherengo e que demonstra logo de cara certo interesse em nossa mocinha. Ela então vê uma oportunidade de riscar mais um item – o mais difícil – da lista, perder a virgindade. É a chance de Marjorie de ter sexo sem compromisso.

“Fred, você me pediu para perder a virgindade antes dos dezoito, mas nunca esperaria que fosse com o baterista da Reckles, né? Posso te ver dando risada aí no céu, seu cretino.”

É um encaixe perfeito. Ou assim seria se ela não se sentisse tão atraída por Ryan . Na hora H, por mais que Marjorie tente ser corajosa não é assim que ela quer perder sua virgindade, com alguém que ela mal conhece e que não terá nenhum tipo de envolvimento. Ryan deixa claro que não vai se envolver emocionalmente, mas como ela mesmo diz, ela quer alguém gamado nela. Ela sai da festa correndo deixando Ryan sozinho. Mas na correria de escapar ela acaba esquecendo algo importante pra trás. A lista. E quem será que acha esta lista?

Acertou quem disse Ryan rs Ele fica intrigado com ela e isso vai despertar nele um sentimento de querer ajudar Marjorie. Ele só não esperava que ela também iria despertar outros sentimentos mais intensos. E gente, confesso que nessa hora meu coração shipador já estava dando altos suspiros 😍 rsrs.

“Flashes da noite passada invadiram minha mente: meus beijos com Ryan, tão vívidos quanto as batidas do meu coração, seu toque em minha pele, os gemidos, o calor do seu corpo, a maneira como ele ficava incrível nu e… o esquecimento da minha lista no chão do quarto.”

Fred é um personagem super importante na história, claro. E por mais que ele já tenha morrido no início do conto, Marjorie fala tanto dele e ‘conversa’ tanto com ele que parece que ele está ali. Fred era muito maduro apesar da pouca idade e sempre motivou Marjorie. É bonito de ver a proximidade dos dois e como nem a morte conseguiu destruir o que tinham. Ele vive em seu coração pra sempre.

“Lembrei-me do sorriso de Fred, da vida que ele deveria ter vivido, do amor incondicional que sentíamos um pelo o outro. Por mais que ele não estivesse aqui, fechei os olhos e pude ouvir sua voz me dizendo para ir em frente.”

No mais, eu super indico este conto e dou minhas quatro Angélicas. É de uma leveza sem tamanho, apesar de eu ter um olho na minha lágrima em certos momentos rs. É sobre a força da amizade, saber lidar com a dor, descobertas e claro, amor. O que não falta nos livros da Aline é amor. Eu não vou dizer novamente o quanto estou amando esta série rsrs eu vou logo é correr pro próximo mês e descobrir mais um crush. Te espero no próximo mês.

“— […] Obrigada por ter feito a lista comigo, por ter me feito viver a vida de novo.

— Você que me fez viver, Marjorie.”

received_1196252527162302.jpeg

Anúncios

6 comentários em “Resenha: ‘Março de Promessas – Aline Sant’Ana’

  1. Que história linda!!!!
    Principalmente o amor da Marjorie por seu primo Fred. E como você bem disse ,nem a morte coseguiu destruir a amizade dos dois.
    E para completar ,aparece o Ryan. Um baterista de uma banda.
    Quando eu era beeeeeemmm mais jovem,meu sonho de consumo ou princípe encantado,era o de encontrar alguém assim. Rsrs

    Gostei demais da resenha do conto. Principalmente por me fazer lembrar dos meus sonhos… 🙂

    Curtido por 1 pessoa

    1. Que boooom que gostou. Fico muuuito feliz💜
      Eu amei demais esse conto, principalmente pela relação de amizade que tenho com meu primo e muitas coisas, como a amizade e cumplicidade, me fizeram pensar nisso. E aaah, eu tbm secretamente já quis conhecer alguém assim..
      Ryan roubou um pedacinho no meu coração!

      Curtir

  2. Eu chorei lendo sua resenha, imagina quando ler o livro, eu devo confessar que quando se trata de bandas geralmente fico com um pé atrás, porque já li tantos livros nos quais o mocinho é tão egoista, é bom ver um personagem que pensa em alguém mais além dele. Acredito que a perda que a Marjorie sofreu com a morte do primo a fez amadurecer muito rápido e ver o que realmente importa na vida, e a motiva a cumprir a lista de objetivos ao invés de afundá-la em depressão

    Curtido por 1 pessoa

    1. Aaah eu acredito que você vai adorar este conto.
      Eu amo essa ligação que els tem com o primo. O desejo de viver e fazer tudo o que ele não podia.
      Leia e venha me contar o que achou 😍

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s