Resenha ‘Inevitável Destino – Alissa Nayer’

Oi oooooi gente! Estamos com mais uma resenha fresquinha saindo. Hoje vamos falar sobre o primeiro livro da série Destino, escrita pela nossa parceira linda, Alissa Nayer. São 269 páginas de uma comédia romântica hiper gostosa! E eu estava super ansiosa, já que a Alissa vem torturando os leitores com quotes da história há um tempo. Vamos a sinopse…

Maurício não é o tipo de homem que acredita em destino até o momento em que ele vê todo o seu passado personificado na forma de uma mulher: Débora. Alguém a quem ele costumava odiar, mas só por querê-la tanto e ser invisível aos seus olhos.

Um encontro inusitado após vários anos traz a prova de que ele nunca deixou de querê-la, mas junto a esse sentimento, outro entra em jogo: o desejo de se vingar; o desejo de fazê-la sentir o que ele sentiu por sua causa durante tanto tempo. Ele deduz que não será muito difícil, já que, ao vê-la, percebe que a vida se encarregou de uma parte de sua “vingança”.

Contudo, Maurício sente seus planos irem por água a baixo quando aquela paixão há tempos adormecida se torna ainda mais forte do que ele jamais sentiu, principalmente após conhecer profundamente a mulher que Débora se tornou, em vista da adolescente que foi.

O que valerá mais a pena? A satisfação da vingança? Ou simplesmente seguir em frente com a mulher que ele nunca deixou de amar?

Bom, começamos a história com o Maurício tomando um porre junto dos seus amigos. Isso porque ele terminou um relacionamento super desgastante. Mas tudo tem um preço e no dia seguinte ele acorda bem mal. Desse modo, conhecemos seus melhores amigos, Vinícius e Heitor – que serão, nessa ordem , os mocinhos dos próximos livros – e eles são muito engraçados! E logo de cara, descobrimos um dos maiores, senão o maior, trauma da vida de Maurício: ele foi um adolescente bem gordinho e que sofria bullying na escola. Quase correndo risco de vida, Maurício muda seus hábitos alimentares, passa a fazer exercícios e se torna um gostosão.

189.JPG

Pareciam brincadeiras costumeiras pelas quais qualquer adolescente passa, mas depois de um tempo, começaram a doer de verdade. Eu encontrava cada vez mais prazer na comida conforme me senti cada vez mais infeliz com o passar dos dias e apelidos novos que recebia a cada semana.

   Durante um treino na academia, onde Maurício não escuta as instruções de Vinícius e acaba se machucando e quando levam ele para ser socorrido, o destino entra em cena e coloca Débora Bittencourt como a fisioterapeuta que irá cuidar dele. Tudo estaria bem se ela não fosse sua paixão da adolescência, mas que era popular e uma das que faziam da sua vida um inferno. Só que Débora também mudou nesses 10 anos. Ela deixou de ser aquela menina magrinha, para ser gorda.

É Débora Bittencourt. A mulher que está me trazendo uma enxurrada de lembranças e me deixando surpreso – em vários sentidos – com suas curvas mais proeminentes. 

 Com esse reencontro, a primeira coisa que se passa pela cabeça de Maurício é que ele quer vingança por tudo o que ele sofreu no ensino médio. Mesmo que Débora sequer o reconheça. Só que Maurício não contava com um furo em seu plano: Débora ainda mexe, absurdamente, com ele e as coisas podem não sair como ele planeja.

Odeio Débora. Quero fazê-la sofrer o que sofri, sentir o que eu senti e passe pelo o que eu passei por sua culpa. Débora está linda. Tão linda e atraente, e isso, juntamente à sua eficiência e habilidade profissional, me deixou com um tesão inesperado.

Preciso começar a dizer o que eu amei nesse livro: A construção de Débora! Ela é INCRÍVEL! Que personalidade, que jeito de ser e lidar com as coisas. Alissa vem com uma quebra de padrão das mocinhas com seus corpos ultra perfeitos. Débora é mais gente como a gente, tem curvas e isso não acaba a auto estima dela. Ela se sente poderosa sim, é confiante, é gostosa. Com a introdução da história de Maurício, fiquei com medo de odiá-la antes de conhecê-la, mas não passei nem perto disso. Ela come batata frita com queijo, bebe Coca Cola, curte sertanejo e não acha estranho um cara “gostosão” se interessar pela “gordinha”. Se isso não mostra personalidade, eu desisto rs.

Maurício é o mocinho que não nos dá escolha: ou a gente se apaixona ou se apaixona. Ele é absurdamente fofo, como um Bebê Panda ~ prometo que vocês vão entender essa comparação quando lerem rs. Ele faz burrada, tenta se vingar… mas sede ao próprio sentimento. Só que toda mentira – ou seria omissão? – tem perna curta e Maurício pode se arrepender das coisas. Mas Maurício não está disposto a perder mais batalha nenhuma. Os momentos em que ele fica tentando fazê-la cair em seus encantos é de passar mal de rir. Ele é muito cara de pau também. Ah, outra prova da fofura dele? Seus momentos com os sobrinhos. É de fazer os olhinhos brilharem.

  Mais uma vez, Débora Bittencourt me surpreende a ponto de me deixar ainda mais apaixonado por ela. É merda. Apaixonado não dá mais para negar. Nem para mim mesmo. Sempre estive. Esse sentimento só esteve adormecido dentro de mim, durantes todos esses anos, e nosso reencontro reafirma o que eu sempre pensei na época do ensino médio: eu nunca serei capaz de esquecê-la.

A diagramação do e-book está uma graça e um charme. Sabe o Bebê Panda? Ele ta presente e é tão fofo.

190.JPG

Acredito que um dos pontos altos do livro, foi o fato da Alissa ter criado personagens que vamos mesmo nos identificar, em algum momento. Eu, por exemplo, entendi o lado do Maurício. Já sofri bullying na escola, por ser baixinha, e não é nada agradável. Apesar de ter resolvido meus problemas naquela época mesmo, entendo o sentimento do Maurício. E já falei que Débora é incrível? Também me identifiquei muito com ela. Principalmente na parte do “me amo como sou”.

A melhor atitude que uma pessoa pode tomar é reconhecer os próprios erros e tentar consertá-los. 

Por enquanto, vocês só vão encontrá-lo em formato de e-book. Mas já to fazendo uma torcida para que, no futuro, ele tenha possibilidade de ser publicado em forma física. E agora que acabou, fico com uma teoria e na expectativa pelo livro do Vinícius. E do Heitor também.

191.JPG

Com uma leitura leve, agradável, que te mantém envolvida na história e fazendo torcida pelos mocinhos tão queridos, é claro que Inevitável Destino leva cinco Angélicas.

classificacao-5-angelicas

 

 

Anúncios

6 comentários em “Resenha ‘Inevitável Destino – Alissa Nayer’

  1. Toda vez em que vejo essas cinco “Angélicas”,fico na maior curiosidade em conhecer a história.
    Bem lá no início da resenha,fiquei com um pouco de raiva da Débora. Acho que ela não era nada fácil quando mais nova.
    Mas o tempo passa,e as pessoas mudam. E algumas para melhor!
    E foi o caso dela não é?!
    Quanto ao Maurício ,gostei dele logo de cara.
    Carrega alguns traumas do passado,mas acho que o amor vai curá-lo.
    Como sou romântica,sei que vou gostar dessa história !

    Bjs. 🙂

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ai, isso que é bom, né?! Eu ando sorte nas minhas leitura. Melhor que mês passado, que peguei unas bombas haha simmm! Mas ela fala um pouco do passado e a gente até entende ela. Beijos.

      Curtir

  2. Muito amor para uma resenha só! Raíssa, fico feliz demais que tenha gostado da história. Fico encantada quando leitores se envolvem assim pelos personagens! É minha maior realização. Obrigada por essa resenha linda e por todo o carinho! Você e as meninas do Além são puro amor ❤
    Beijos! ❤

    Curtido por 1 pessoa

    1. Aaaaaaai 😍 eu amei! Gostar foi até pouco. Acho que era um livro que eu tava precisando ler. Leve e descontraído. E esse carinho é o que encanta os leitores, pode apostar. Aaaah e muito obrigada! Nós só queremos retribuir um pouco para os autores. E quando a gente ainda tem uma relação pessoal com o autor, dá mais prazer ainda e nod faz gostar mais 💙

      Curtir

  3. Que bom ter uma opção de leitura leve e que nos faça apaixonar por personagens verdadeiros, pois muitas vezes vemos aquelas descrições que eu acredito se não tiver auto-estima até a Gisele se sentiria feia, também é bom ver o homem sofrer atrás do amor da mulher, porque nos livros o contrário é o mais comum. Agora fiquei curiosas para ler os livros do Heitor e do Vinicius

    Curtido por 1 pessoa

    1. Simmmmm! Exatamente isso. Ver esse tipo de descrição faz com que a gente se apague mais e se coloca até mais no lugar. Me mata quando a mocinha faz a feia e é loira e olhos azuis rs. E sim, Maurício tem que correr atras rs. E aaaaaai, eu também to curiosa.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s