Resenha: ‘Desconstruindo Una – Una’

“Então eu me tornei uma testemunha não confiável e uma vítima perfeita.”

Olha eu voltando com resenha de HQ (quadrinho) novamente. Não é um gênero que costumo ler, mas tem sido uma grata surpresa pra mim. É bom para sair da nossa zona de conforto esse tipo de leitura. O livro de hoje é um relato brutal e comovente de uma história que vai deixar vocês chocados, emocionados, revoltados, abismados e mais tantas outras emoções. ‘Desconstruindo Una’ é uma história autobiográfica.

Vamos à sinopse?

“Sinopse: Um assassino em série está aterrorizando o pequeno Condado Inglês e a polícia encontra dificuldade em resolver o caso – mesmo tendo interrogado o assassino (sem o saber) nada menos que nove vezes. Enquanto a história se desenvolve ao seu redor, Una, então com 12 anos, vivencia uma série de atos violentos pelos quais se culpa. Por meio de um entrelace de imagem e texto, Desconstruindo Una examina o significado de se crescer em meio a uma cultura na qual a violência masculina não é punida ou questionada. Com uma retrospectiva de sua vida, Una explora sua experiência e se pergunta se algo realmente mudou, desafiando a cultura que exige que as vítimas de violência paguem por ela.”

Em meio a uma série de assassinatos, Una conta a sua história. Ela é uma menina de 12 anos e que infelizmente foi abusada sexualmente em alguns momentos de sua vida. Após os acontecimentos Una não sabe como contar para sua família o que aconteceu e cada vez se sente mais isolada na escola. Ela mostra através da história dela e de outras vítimas como o abuso pode mudar a vida de alguém.

O caso do Estripador de Yorkshire é verídico e até o momento que ele começou a atacar mulheres de boa família, a polícia não tinha se esforçado muito para encontrá-lo. As primeiras vítimas foram prostitutas, então todos, incluindo várias mulheres, acharam que ele apenas estava tentando retirar das ruas mulheres de reputação duvidosa. Até que um dia, ele encontrou uma menina inocente e com isso a polícia começou realmente a procurar por ele.

Nesse meio tempo, Una vai contando como mais uma vez foi abusada e novamente não sabe o que fazer. Ela passa a acreditar que a culpa é dela. Alguém consegue ver como essa história é atual? Várias coisas relatadas lá como algo que aconteceu na década de 70, ainda hoje, mais de 40 anos depois, infelizmente ainda acontecem. Os índices de violência sexual contra mulheres e crianças são alarmantes. A cada dia isso tem piorado.

“Quando tudo aquilo acabou, descobriu-se que ele tinha sido interrogado várias vezes. Mas eles não estavam procurando por um homem comum.”

Una continua nos mostrando a cada página mais relatos sobre o caso do Estripador e outros casos de violência sexual. Os anos foram se passando e ele continuavam atacando as mulheres sem a polícia nunca conseguir prendê-lo. Afinal, eles buscavam por um homem mentalmente doente. Nunca que um homem comum seria capaz de atos tão cruéis, certo? Errado. O homem que estava causando vários atos violentos a tanto tempo foi algumas vezes interrogado, mas logo era liberado.

Eu me emocionei em várias páginas, em tantas outras fiquei com o estômago embrulhado com a realidade brutalmente descrita e em outras eu tive tanta raiva por sermos reféns de uma sociedade que ainda acredita que nós mulheres temos que fazer o que os homens querem. Não podemos beber como os homens, pois isso não é coisa de mulher. Não podemos transar no primeiro encontro porque isso é coisa de vadia. Podemos ter as nossas necessidades, mas não podemos dizer isso pra ninguém. As mulheres ainda hoje não podem dizer que também possuem seus desejos.

Eu confesso que tive um pouco de dificuldade para ler a história, pois como eu disse antes, não é um gênero que tenho o hábito de ler. Contudo, eu acredito que até mesmo quem costuma ler quadrinhos tenha achado complicado ler páginas como essa da imagem acima. Em alguns momentos eu reli a página inteira porque a ordem em que eu li não fazia sentido para a história.

‘Desconstruindo Una’ vai te deixar surpreendido por ser uma história que se passa nos anos 70 e ser tão atual. Até hoje, nós mulheres, lutamos pelo direito de sermos donas dos nossos corpos e das nossas vidas. A cada dia temos que lutar por mundo onde possamos sair e fazer tudo que um homem faz sem ser assediada ou chamada de vadia. Essa HQ veio pra mostrar que o machismo existe sim e estamos, infelizmente, muito longe de combater. Dito isso, eu uma leitora atípica dos quadrinhos, dou minhas 4 Angélicas para essa história que precisa ler lida por todos.

classificacao-4-angelicas*Esse livro foi cedido pela Editora Nemo (Grupo Autêntica) no evento Aliança de Blogueiros – RJ. 

Anúncios

2 comentários em “Resenha: ‘Desconstruindo Una – Una’

  1. Também não tenho o hábito de ler HQs. Não nesse estilo.
    Ainda hoje,apesar de não ser tão jovem,curto a Turma da Mônica. 🙂

    Mas voltando ao HQ que nos apresentou,fiquei morrendo de pena da Una.
    Quantas Unas existem até os dias de hoje,sendo violentadas e desrespeitadas?!
    E o pior!
    A sociedade e a própria vítima acham que são culpadas pelas barbaridades que sofreram.
    Não sei se eu teria facilidade para ler esse estilo de leitura. Mas sempre estou pronta para experimentar. 😉

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s